Nome do Projeto
Plantão Psicológico em Análise do Comportamento
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
26/06/2023 - 26/06/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Direitos Humanos e Justiça
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
A Análise do Comportamento compreende e atua sobre os processos comportamentais, entendendo estes como resultado de uma aprendizagem bio-histórico-cultural que se reflete nas interações entre o organismo e o meio. A Psicoterapia Analítica Funcional e a Terapia de Aceitação e Compromisso, como abordagens clínicas da Análise do Comportamento, podem atuar com intervenções contextuais focadas na compreensão empática e no acolhimento dos indivíduos. Neste sentido, elas podem ser úteis em serviços de plantão psicológico. O plantão psicológico trata-se de um serviço de atendimento psicoterapêutico breve que pretende em uma ou poucas outras sessões lidar com as questões clínicas e não clínicas psicológicas humanas oferecendo de modo pontual suporte e acolhimento por meio de uma escuta qualificada. Esse formato mais dinâmico de interação com pacientes/clientes possibilita uma maior abrangência no número de pessoas atendidas, o que pode facilitar na amplitude da oferta de serviços psicológicos para a população, atenuando as taxas de demandas psicoterapêuticas. Considerando a grande demanda das pessoas nos últimos tempos por atendimentos psicológicos, pelas variadas razões socioculturais contemporâneas, este projeto pode ser bastante importante na busca por auxiliar de alguma forma na melhora da qualidade de vida da comunidade pelotense. Deste modo, este projeto tem por objetivo geral oferecer serviço gratuito de atendimento psicoterapêutico a comunidade pelotense no formato de plantão psicológico sob a perspectiva da Análise do Comportamento, nas abordagens clínicas da Psicoterapia Analítica Funcional e da Terapia de Aceitação e Compromisso. Pretende-se que o plantão psicológico analítico comportamental ocorra no Serviço Escola de Psicologia (SEP) da UFPel. Tratam-se de atendimentos individuais pontuais que serão desenvolvidos por estudantes do curso de Psicologia, treinados e supervisionados por um professor orientador com experiência clínica em Análise do Comportamento. O cliente poderá encontrar-se com o plantonista no máximo por duas vezes, ao final das quais poderá ser indicado ou não que procurem por um processo de psicoterapia no próprio SEP ou em outros serviços possíveis da cidade. A ideia é que as questões trazidas para o atendimento do plantão sejam conversadas em uma única sessão, podendo ser estendida para mais uma. Os plantões de atendimentos serão disponibilizados em dias e horários específicos para demandas espontâneas ou previamente agendadas na secretaria do SEP; eles serão divulgados em pontos estratégicos da cidade como serviços educacionais e de saúde. Nestes horários terão estudantes a postos, disponíveis para encontros com os interessados. Semanalmente estes estudantes participarão de reuniões de supervisão com o professor orientador nas quais serão discutidos os casos com o intuito de formação e melhoramento da atuação clínica desses estudantes. O principal indicador deste projeto será o número de pessoas atendidas ao longo dos plantões. A meta inicial é que sejam atendidas pelo menos aproximadamente cinco pessoas por semana. Desse modo, esperam-se como resultados relato das pessoas atendidas em termos da experiência psicológica de participação no plantão, a ser feita de forma oral ou em formulários específicos, bem como o desenvolvimento clínico dos estudantes do curso de psicologia.

Objetivo Geral

Este projeto tem por objetivo geral oferecer serviço gratuito de atendimento psicoterapêutico a comunidade pelotense no formato de plantão psicológico sob a perspectiva da Análise do Comportamento, nas abordagens clínicas da Psicoterapia Analítica Funcional (FAP) e da Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT).

Justificativa

De forma mais geral, a Análise do Comportamento é uma ciência que compreende e atua sobre os processos comportamentais, entendendo estes como resultado de uma aprendizagem bio-histórico-cultural que se reflete nas interações entre o organismo e o meio. A Psicoterapia Analítica Funcional (FAP) e a Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), como abordagens clínicas da Análise do Comportamento, podem atuar com intervenções contextuais focadas na compreensão empática e no acolhimento dos indivíduos. Neste sentido, elas podem ser úteis em serviços de plantão psicológico. O plantão psicológico trata-se de um serviço de atendimento psicoterapêutico breve que pretende em uma ou poucas outras sessões lidar com as questões clínicas e não clínicas psicológicas humanas oferecendo de modo pontual suporte e acolhimento por meio de uma escuta qualificada. Esse formato mais dinâmico de interação com pacientes/clientes possibilita uma maior abrangência no número de pessoas atendidas, o que pode facilitar na amplitude da oferta de serviços psicológicos para a população, atenuando as taxas de demandas psicoterapêuticas. Considerando a grande demanda das pessoas nos últimos tempos por atendimentos psicológicos, pelas variadas razões socioculturais contemporâneas, este projeto pode ser bastante importante na busca por auxiliar de alguma forma na melhora da qualidade de vida da comunidade pelotense.

Metodologia

Pretende-se que o plantão psicológico analítico comportamental ocorra no Serviço Escola de Psicologia (SEP) da UFPel. Tratam-se de atendimentos individuais pontuais que serão desenvolvidos por estudantes do curso de Psicologia, treinados e supervisionados por um professor orientador com experiência clínica em Análise do Comportamento. O cliente poderá encontrar-se com o plantonista no máximo por duas vezes, ao final das quais poderá ser indicado ou não que procurem por um processo de psicoterapia no próprio SEP ou em outros serviços possíveis da cidade. A ideia é que as questões trazidas para o atendimento do plantão sejam conversadas em uma única sessão, podendo ser estendida para mais uma. Os plantões de atendimentos serão disponibilizados em dias e horários específicos para demandas espontâneas ou previamente agendadas na secretaria do SEP; eles serão divulgados em pontos estratégicos da cidade como serviços educacionais (Ex. escolas e universidades) e de saúde (Ex. UBS). Nestes horários terão estudantes a postos, disponíveis para encontros com os interessados. Semanalmente estes estudantes participarão de reuniões de supervisão com o professor orientador nas quais serão discutidos os casos com o intuito de formação e melhoramento da atuação clínica desses estudantes.

Indicadores, Metas e Resultados

O principal indicador deste projeto será o número de pessoas atendidas ao longo dos plantões. A meta inicial é que sejam atendidas pelo menos aproximadamente cinco pessoas por semana. Desse modo, esperam-se como resultados relato das pessoas atendidas em termos da experiência psicológica de participação no plantão, a ser feita de forma oral ou em formulários específicos, bem como o desenvolvimento clínico dos estudantes do curso de psicologia, principalmente como forma de treino gradual em psicologia clínica anterior aos estágios específicos em psicoterapia, obrigatórios ao final do curso, ou para aumento da qualificação da atuação dos próprios estudantes que encontram-se em período de estágio.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXANDRE ROVEDA FIALHO
AMANDA MIRANDA DO CARMO
ANTONIA DE CARVALHO COLL LEITE
BRUNA MARQUES DE OLIVEIRA
DANIEL RODRIGUES ECHEVARRIA10
DIOGO ALVES BUBOLZ
GABRIEL COELHO MARQUES
GABRIEL LIMA DE ALMEIDA
GUSTAVO SANTANA MENEGONI
HELENA ZIEBELL CARPENA
HENRY BARBOSA ANTUNES
ISADORA LANGLOIS MASSARO OSORIO
JANDILSON AVELINO DA SILVA15
KELI TURATTI
LUCIANA MECKING ARANTES10
MARIANA CHAVES PAIM
MILENA CUNHA DE OLIVEIRA
PALOMA PIREZ VALERIO
THAIS GARCIA SAMPAIO
THOMÁS DE OLIVEIRA NUNES

Página gerada em 23/04/2024 21:05:30 (consulta levou 0.221043s)