Nome do Projeto
Mídias na escola
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/09/2023 - 31/08/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Comunicação / Educação
Linha de Extensão
Mídias
Resumo
O Projeto Mídias na Escola oferece formação e apoio às redes estadual e municipal de ensino da região de Pelotas para o desenvolvimento de ações que visem a reflexão sobre o papel da mídia na sociedade e o direito de comunicar, bem como ações de apoio para realização de produções para mídias (jornal, rádio, web).

Objetivo Geral

Fomentar a discussão sobre o papel das mídias na atualidade e subsidiar escolas pública na implementação de produções midiáticas voltadas à comunidade escolar.

Justificativa

O termo “comunicação” tem origem na palavra latina “communicatio”, que agrega também o significado “participação”. Para Souza, 2006, comunicar é relacionar seres humanos e, nesse sentido, comunicação é um tipo de relação que se exerce de forma intencional sobre outrem; uma ação comum da qual participam duas ou mais consciências para realizarem um ato ou atividade em torno de objetos comuns. Ou, nas palavras de Martino: “em sua acepção mais fundamental, o termo 'comunicação' refere-se ao processo de compartilhar um mesmo objeto de consciência, ele exprime a relação entre consciências” (Martino, 2002, p. 14).
Nos dias de hoje, é impossível falar de comunicação sem considerar o fenômeno dos dispositivos midiáticos que passam a se constituir como referenciais na mediação de quase todas as relações sociais, pessoais e institucionais. Esse processo social de referência é o que pesquisadores como Veron, Braga, Fausto Neto, Ferreira, entre outros, denominam de midiatização. A midiatização é o processo em que os meios de comunicação assumem o papel de organizadores e dinamizadores dos circuitos de comunicação da sociedade, modificando os modos de ver, de sentir e de pensar. Todavia, também é importante trazer à discussão o que vem caracterizando a produção na internet e tenciona o campo da comunicação: o compartilhamento do lugar de dizer – a mídia não detém mais a exclusividade da pauta.
Considerando que a mídia corporativa no Brasil tem assumido um protagonismo político determinante, impondo suas agendas políticas e econômicas à revelia dos processos democráticos, escamoteando as suas intenções a pretexto de trazer informação, torna-se fundamental investir na formação dos estudantes nos diferentes níveis de ensino para que compreendam os processos de produção e circulação por meio da mídia de informações e de discursos na sociedade.
Assim, esse projeto se justifica 1º) pela discussão que busca fomentar junto aos professores da rede pública – ensino fundamental e médio sobre o papel das mídias na atualidade; 2º) pelo apoio que pretende dar a iniciativas de produção midiática (impressa e online) nas escolas da região.

Metodologia

A metodologia se sustenta na realização de reuniões com as escolas, prevendo a construção coletiva das ações, partindo das vivências, das experiências e dos conhecimentos que a comunidade escolar já têm sobre os fenômenos de comunicação e o uso dos dispositivos midiáticos. O projeto prevê duas ações, atendendo a demanda da escola parceira e de outras que venham a ser contadas:

Ação 1 – Jornal escolar comunitário
Esta ação será desenvolvida com a comunidade escolar, que será responsável, juntamente com a equipe do
projeto, pela elaboração do jornal impresso e do formato a ser disponibilizado nas redes sociais da escola. Serão feitas reuniões gerais para discutir o formato da publicação e para definir as pautas e organização da publicação. Os textos e imagens serão elaborados pela escola e o trabalho de tratamento de imagens, redação e revisão de textos e diagramação será realizado pela equipe da UFPel. A distribuição do jornal à comunidade, cuja tiragem será de 500 exemplares, será feita pela escola.

Ação 2 – Formação em mídia e sociedade
Esta ação será realizada com grupos de professores em cinco escolas, com foco na relação das mídias/tecnologias com a sociedade e com a escola. Serão apresentados fundamentos teóricos e metodológicos para trabalhar a questão midiática em sala de aula e, a partir do que propõe a Base Curricular Nacional, os participantes serão chamados a propor formas de melhorar/resolver os problemas levantados no grupo.

Indicadores, Metas e Resultados

Meta 1: Assessorar a comunidade escolar na produção e veiculação de seus próprios conteúdos nas formas impressa e eletrônica.
Indicador 1: capacitação da comunidade escolar na produção de conteúdos para veiculação nas mídias.
Resultado Esperado: comunidade escolar produz seus próprios conteúdos e os veicula no jornal escolar, em mídia eletrônica e nas redes sociais.

Meta 2: Refletir sobre a lógica midiática no contexto da sociedade midiatizada; construir coletivamente propostas de trabalho em sala de aula visando à formação dos estudantes.
Indicador: reconhecimento dos modos como a mídia se constitui como referencial para os processos sociais.
Resultado Esperado: professores de diferentes áreas participam dos encontros; docentes refletem sobre como a midiatização redefine os modos de ser, de viver; professores discutem propostas de intervenção em sala de aula.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA MEOTTI SOUZA
LUIS COLLAT BENTO JUNIOR
MARCIA DRESCH6
RICARDO ZIMMERMANN FIEGENBAUM3
TOBIAS BERNARDO FRANCO

Página gerada em 28/02/2024 23:31:14 (consulta levou 0.163715s)