Nome do Projeto
Preservação do patrimônio cultural edificado na fronteira Brasil-Uruguai
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
02/01/2017 - 22/12/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Meio ambiente
Linha de Extensão
Patrimônio cultural, histórico e natural
Resumo
O projeto de extensão "Preservação do patrimônio cultural edificado na fronteira Brasil-Uruguai" organiza-se em duas abordagens principais: a) identificação de lugares estruturantes para a estrutura urbana, através da medida de acessibilidade espacial; b) identificação, descrição, análise tipológica de edifícios e lugares de maior interesse, para valoração com relação à preservação patrimonial. Essas ações são realizadas em cidades na fronteira do Brasil com Uruguai, as quais apresentam continuidade ambiental (Jaguarão no Brasil e Rio Branco no Uruguai) e física (Chuí, no Brasil e Chuy no Uruguai). Para isso estão propostas etapas de trabalho que incluem articulação com a comunidade, uma etapa de cartografia na escala urbana (com as cidades inteiras), uma etapa dedicada ao reconhecimento de lugares de maior importância para a preservação do patrimônio cultural edificado e outras etapas de treinamento e repasse de métodos e tecnologias com a comunidade. São esperados resultados de mapeamento urbano e diferenciação espacial por gradiente de acessibilidade espacial, um elenco de lugares e prédios fundamentais para a memória da cidade e avanços qualitativos no modo de percepção das cidades pelos seus moradores, com avanços no empoderamento das comunidades, na sua autonomia e na sua capacidade de ação. Esses resultados se potencializam e se diferenciam pelo fato de o trabalho ser realizado simultaneamente em cidades do Brasil e Uruguai, aproximando políticas públicas da vida cotidiana dessas cidades e de seus moradores, que diariamente interagem e produzem patrimônio e cultura. O projeto entende e assume a fronteira como uma linha imaginária e a cultura como fator integrador.

Objetivo Geral

Objetivo geral: Realizar ações para identificar e preservar o patrimônio cultural edificado em cidades de fronteira Brasil-Uruguai, através da identificação de lugares de acessibilidade e centralidade espacial relevantes e de prédios com características relevantes para a memória da cidade, contribuindo para a qualidade urbana. Objetivos específicos: 1. estimular a preservação do patrimônio cultural edificado nas cidades de Chuí e Chuy - UY, Jaguarão e Rio Branco - UY, em lugares de acessibilidade e centralidade espacial relevantes; 2. descrever as quatro cidades de fronteira envolvidas através de seus espaços abertos e da medida de acessibilidade e centralidade espacial, mediante o uso de teoria de grafos e uso do "software" Urban Metrics, de autoria da equipe deste projeto; 3. identificar prédios e lugares relevantes nas quatro cidades de fronteira envolvidas com potencial para a preservação da memória da cidade, através de análise de tipologias e estilos de arquitetura; 4. qualificar as equipes técnicas das quatro cidades de fronteira envolvidas, realizando treinamento para a replicação de métodos e utilização de instrumentos utilizados no projeto de extensão; 5. promover a autonomia das comunidades urbanas das quatro cidades de fronteira envolvidas, realizando todos os trabalhos de modo participativo; 6. qualificar a formação em arquitetura, urbanismo, planejamento urbano e preservação patrimonial, através da realização de trabalho da universidade em conjunto com a população das quatro cidades de fronteira envolvidas, aproximando a Universidade de seu papel social e incluindo o conhecimento popular na formação de estudantes, professores e técnicos administrativos.

Justificativa

As ações do programa de extensão, "Preservação do patrimônio cultural edificado na fronteira Brasil-Uruguai" justificam-se em dois caminhos convergentes: 1) na demanda da região de fronteira do Brasil com o Uruguai; 2) na experiência e nas ações do Laboratório de Urbanismo - LabUrb e do Núcleo de Estudos de Arquitetura Brasileira - NEAB, considerando a possibilidade de trabalhar com cidades brasileiras da região e também as que fazem fronteira com o território uruguaio.

Metodologia

A metodologia está apresentada através de três itens, conforme se segue: a) conceitos e ideias; b) participação comunitária; c) etapas de realização do projeto de extensão. Conceitos e ideias: o projeto de extensão apresenta três conceitos e ideias estruturantes do método e procedimentos assumidos, a saber: 1. participação proativa da Universidade, implementando os processos de realização dos trabalhos, assumindo responsabilidades e tornando efetivos os esforços de extensão; 2. autonomia das equipes municipais, mediante oferecimento de treinamento que permita a realização dos trabalhos, com repasse de tecnologias que permita a reaplicação de processos em outras situações; 3. alcance dos produtos finais com participação da comunidade das cidades envolvidas, mediante realização de oficinas internacionais BR-UY que permitam trânsito entre saberes acadêmicos e populares. Participação comunitária: a participação das comunidades envolvidas nas quatro cidades de fronteira envolvidas (Chuí e Chuy-UY, Jaguarão e Rio Branco-UY), será realizada permanentemente e mediante dois mecanismos principais: 1. treinamento das equipes municipais para realizar o trabalho e para reproduzi-lo em casos semelhantes (através do que a Universidade troca saberes com agentes externos e compartilha métodos e conhecimentos); 2. oficinas para realização dos trabalhos diretamente com as comunidades, mediante as quais são alcançados coletivamente os produtos do projeto de extensão. Etapas de realização do projeto de extensão: o projeto de extensão será realizado em oito etapas, a saber: 1. preparação dos trabalhos e aperfeiçoamento de procedimentos; 2. descrição do espaço urbano das cidades de fronteira de Chuí-BR e Chuy-UY, Jaguarão-BR e Rio Branco-UY, através dos espaços abertos, representados por eixos (isovistas), em ambiente de SIG; 3. treinamento das equipes municipais para realizar diferenciação do espaço urbano pelas medidas de acessibilidade e centralidade espacial urbana, utilizando teoria de grafos, através de modelo implementado no software Urban Metrics, de autoria da equipe de trabalho deste projeto de extensão; obtenção de resultados; 4. realização de oficinas internacionais de identificação e priorização de lugares de acessibilidade e centralidade espacial relevante para priorizar a preservação patrimonial, com base nos estudos anteriores e na percepção das comunidades envolvidas; 5. descrição dos lugares e prédios nas quatro cidades envolvidas e nos lugares relevantes identificados anteriormente, representados por técnicas de fotografia e colagem; 6. treinamento das equipes municipais para leitura e classificação de lugares e prédios de especial interesse para a memória da cidade, mediante técnicas de análise tipológica e de mensuração qualitativa; 7. realização de oficinas internacionais de identificação e priorização dos prédios de interesse para a preservação patrimonial e promoção da qualidade socioespacial, com base nos estudos anteriores e no entendimento das comunidades envolvidas; 8. conclusão dos trabalhos, elaboração e divulgação de relatórios. Avaliação do processo vivenciado e dos produtos alcançados: a avaliação das atividades de extensão será realizada em dois momentos principais: 1. avaliação do processo vivenciado, de modo permanente pela equipe de trabalho, mediante aferição do alcance de objetivos, a cada etapa realizada; os indicadores serão de duas ordens: a) comparação dos resultados esperados com os resultados alcançados; b) verificação de qualidade no processo vivenciado, por depoimentos em seminários de integração; 2. avaliação dos produtos alcançados, por declaração da comunidade envolvida, ao final das oficinas de identificação obtém-se a priorização de resultados; os indicadores serão as manifestações da comunidade participante e da equipe da UFPel.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores: a) determinar os elementos estruturantes da paisagem; b) identificar lugares e prédios de valor patrimonial. Metas: qualificar o corpo técnico das prefeituras das cidades envolvidas; discutir propostas de intervenção em bens e lugares de valor patrimonial. Resultados: contribuir para a preservação do patrimônio cultural das cidades de fronteira

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA TEIXEIRA CAMISA
ALINE MONTAGNA DA SILVEIRA11
ANA LUCIA COSTA DE OLIVEIRA11
ANA PAULA DE CASTRO VIEIRA
ANDRÉIA TEIXEIRA CAMISA
FELIPE DOTTO DE MORAES
JUNCRIS NAMAYA JUNIOR
LARISSA MÖRSCHBÄCHER
LUCAS BOEIRA BITTENCOURT
LUCAS DA SILVA GONÇALVES
MAURICIO COUTO POLIDORI10
SYLVIO ARNOLDO DICK JANTZEN10
VINÍCIUS FOSSATI DA SILVA

Página gerada em 16/10/2021 11:16:55 (consulta levou 0.112531s)