Nome do Projeto
Avaliação epidemiológica e percepção sobre zoonoses e doenças transmitidas por vetores em municípios do Brasil
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
06/11/2023 - 05/11/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Serão feitas análises espaço-temporais para avaliar a distribuição e percepção da população sobre zoonoses e doenças transmitidas por vetores em diferentes municípios do Brasil. A unidade de análise serão os municipios. As análises serão feitas no SPSS 20.0 e ArcGis for Desktop 10.2.1. Para a avaliação da percepção da população, serão comparados os municípios em relação a perceção da população sobre as doenças e seu controle. Serão aplicadas entrevistas abertas e semiestruturadas, para que validem alguns aspectos e sejam complementares em outros. Para as semiestruturadas, serão feitas análise de perfil. Espera-se nesse estudo, como resultados, artigos científicos a serem publicados em revistas com elevado fator de impacto, além de boletins de extensão e folders de divulgação. Espera-se como benefícios a contribuição para esclarecimento da população sobre as doenças; geração de novos conhecimentos para a programação das ações de prevenção e controle nos municípios; formação de profissionais nas áreas de epidemiologia e saúde pública, controle de doenças e manuseio de bancos de dados. Considera-se ainda que as metodologias de análise utilizadas neste estudo poderão ser exemplos de processos de vigilância epidemiológica aplicadas a zoonoses em outras diferentes municípios no futuro.

Objetivo Geral

Avaliar a efetividade dos programas de controle de doenças transmitidas por vetores e zoonoses, no sentido integral de “uma só saúde” em diferentes municípios brasileiros, no período de 2023 a 2027, por meio da análise da incidência e percepção da população.

Justificativa

Das doenças emergentes e reemergentes no Brasil, grande parte tem envolvimento de animais vertebrados ou invertebrados. Podem ser zoonoses, como leishmaniose, tuberculose, hantavirose e/ou outras transmitidas por vetor, como a dengue, a febre maculosa e a hantavirose. São desafios para a saúde pública pela complexidade do controle e vigilância.
Nesse sentido, considerando a globalização dos problemas de saúde, a Organização Mundial de Saúde (OMS), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e o Centro de Controle de Doenças (CDC), dentre outras, vêm buscando trabalhar com o conceito da promoção da saúde integral, que busca harmonizar os seres humanos, animais e ambiente.. O termo técnico, que busca abraçar esse conceito é conhecido como “One Wold – One Health”, ou simplesmente, “One Health”, que traduzido é conhecido por “uma só saúde”.
Várias das condições que aumentam o risco da ocorrência de doenças no homem com animais envolvidos se devem a falta de conhecimento, hábitos ou cultura da população de uma região. Dessa forma, as populações mais vulneráveis economicamente, estão sujeitas a maiores riscos, tanto de infecção, como de maior gravidade das doenças. Isso ocorre por essa população comumente ter menor conhecimento de higiene e aspectos sanitários; além de estarem em condições de moradia com piores condições de saneamento, que favorecem a ação dosvetores e as condições precárias de higiene. Alem disso, muitas vezes ainda sofrem com a dificuldade de acesso aos serviços de saúde, inclusive, por possuir menor conhecimento sanitário, necessário a prevenção à transmissão e aos primeiros cuidados nos casos da maioria das doenças.
Porém, no caso das doenças que envolvem animais, que mesmo populações com alta escolaridade e renda, muitas vezes não tem o conhecimento ou hábitos condizentes com a sua prevenção e controle, e não percebem como garantir sua saúde. Alguns tabus, crenças e aspectos culturais dificultam as ações de controle, o que evidência a necessidade de monitoramento ao longo dos anos.

Metodologia

Será realizado um estudo observacional, ecológico e multi-nível por meio da análise de dados secundários relacionados ao controle de doenças em municípios do Brasil. Serão utilizados bancos de dados secundários, gerados pelo SINAN. Serão feitas análises descritivas de todas as variáveis levantadas. Como variáveis dependentes (VD) serão consideradas a taxa de incidência de casos humanos.

A escolha dos entrevistados será feita por distribuição aleatória nos municípios. Portanto, essa amostragem será feita após o cálculo das incidências.
A amostra aleatória simples de proporção foi calculada no EpiTools epidemiological calculators (Sergeant, 2009), considerando os seguintes parâmetros Z=1.96, P=0,5 e erro=1%. (Fórmula: n=(Z2 × P(1 - P))/e2)). O número amostral calculado foi de 384 pessoas.
Serão aplicadas 100 entrevistas semi-estruturadas em cada um dos DS escolhidos. A entrevista ocorrerá com pessoas sorteadas aleatoriamente.
Para a pesquisa, roteiros serão construídos e testados previamente e entrevistas abertas com o objetivo de levantar o conhecimento e percepção da populaçãosobre as doenças, ações de controle, atuação da vigilância no controle. Também questões que caracterizem o perfil dos entrevistados em relação ao nível socioeconômico e cultural, sexo, idade, dentre outros.
Para a análise dos dados será elaborado um banco de dados pelo software EPIDATA® (gratuito), a partir dos dados das entrevistas e realizadas análises estatísticas por meio do software SPSS 20.0®. Serão processadas a análise descritiva de cada variável levantada e análises de associações posteriores. Para proceder à análise do banco de dados será necessário:

1. organizar variáveis e códigos

2. produção do banco de dados (Fazer as análises qualitativas de conteúdo, construção de indicadores e transformações/agregações /recodificações das variáveis);

3. verificar a consistência do banco de dados (Série de análises de tabelas de contingência e outros instrumentos da análise estatística);

4. análise descritiva preliminar (Serão feitas as análises das distribuições de todas as variáveis levantadas e a sua análise descritiva);

5. seleção das variáveis utilizadas nos estudos analíticos

Serão realizados estudos da associação das variáveis dependentes. Os dados qualitativos serão analisados pelo Teste do Qui-quadrado de Pearson para medida das associações estatísticas, com nível de significância estatística de 5% (p < 0,05). Para as variáveis quantitativas será feita a análise de variância para testar a diferença de médias de grupo de interesse ou testada a correlação de Pearson. Serão realizadas análises não paramétricas (teste de Kruskal-Wallis e correlação de Spearman) para as variáveis que não apresentarem normalidade na distribuição dos dados pelo teste de Kolmogorov smirnov e/ou homocedasticidade pelo teste Levene.

Indicadores, Metas e Resultados

Os resultados obtidos possibilitarão o melhor entendimento da dinâmica das doenças frente às ações de controle preconizadas e, por conseguinte, o impacto obtido com a execução dos programas, subsidiando seu planejamento e acompanhamento.
Portanto, os benefícios advindos do estudo seriam: a contribuição para esclarecimento da efetividade do programas de controle; geração de novos conhecimentos para a programação das ações de prevenção e controle nos municípios e no país; formação de profissionais nas áreas de epidemiologia e saúde pública, controle de doenças e manuseio de bancos de dados.
É importante destacar que a metodologia utilizada para as avaliações de efetividade, análise espaço-temporal e percepção contribuirão para o desenvolvimento de procedimentos que poderão ser utilizados para outras doenças e em outros municípios não avaliados.
Estes resultados subsidiarão melhoria da vigilância epidemiológica, avaliação e controle das zoonoses e doenças transmitidas por vetores, que poderão fomentar planejamento de ações de controle integrado numa visão de uma só saúde.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BIANCA CONRAD BÖHM
FABIO RAPHAEL PASCOTI BRUHN1
NADIA CAMPOS PEREIRA BRUHN1

Página gerada em 22/04/2024 02:57:40 (consulta levou 0.233464s)