Nome do Projeto
SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CIANOBACTERIAS MEDIANTE SENSORAMIENTO REMOTO EM RESERVATORIOS ALTOANDINOS (PAÑE e AGUADA BLANCA, AREQUIPA, PERU)
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/12/2023 - 30/06/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra
Resumo
Em alguns reservatórios peruanos que abastecem milhões de pessoas são relatadas, desde alguns anos, florações de cianobactérias que degradam a qualidade da água. O possível aumento na frequência ou na magnitude desses eventos representa um grande perigo para a saúde de pessoas e animais, visto que as plantas de tratamento de água potável não foram projetadas para serem eliminadas. Além disso, a mudança climática e as atividades produtivas podem aumentar a frequência e a magnitude das florações, aumentando o risco de abastecimento de água potável na zona. A gestão adequada da qualidade da água em reservatórios com florações de cianobactérias requer novos esforços para o monitoramento diário de suas águas, pois a informação gerada pode servir de insumo para a tomada de melhores decisões de aproveitamento hídrico. As florações de cianobactérias se apresentam de forma intensa em uma curta duração, impedindo que o monitoramento atual as identifique com muita frequência. Diante desse problema, o projeto estabelecerá um sistema de monitoramento de florações de cianobactérias e cianotoxinas por meio da combinação de sensoriamento remoto e monitoramento in situ de alta frequência de variáveis relacionadas à qualidade da água por meio do despliegue de boias equipadas com sensores ambientais em dos embalses altoandinos da região de Arequipa (El Pañe e Aguada Blanca). Em um futuro esperado, com a tecnologia desenvolvida e a informação reconhecida, melhorará a prevenção e a tomada de decisões antes dos eventos de florações de cianobactérias nocivas. Uma vez validadas, as metodologias de teledetecção e monitoramento in situ desenvolvidas poderão ser aplicadas a outros centros de água tratados por florações de cianobactérias tóxicas. Mediante cursos e cursos, todo o conhecimento e a tecnologia desenvolvida serão distribuídos ao pessoal encarregado de prestar o serviço de abastecimento de água potável.

Objetivo Geral

Desenvolver e implementar um sistema de monitoramento de cianobactérias combinando sensoriamento remoto, coleta em alta frequência de dados ambientais em campo e validação de sua presença que permita caracterizar e entender as florações com potencial de produção de cianotoxinas nos embalsamos altosandinos peruanos para gerenciar os possíveis riscos associados.
O projeto proposto permitirá garantir ou aumentar as possibilidades de garantir um acesso a água potável de qualidade, livre de possíveis toxinas produzidas pelas cianobactérias presentes nos corpos de água que fornecem água potável às pessoas, incluindo aquelas com incapacidade.

Justificativa

As cianobactérias produzem uma grande variedade de metabólitos secundários que reduzem a qualidade da água, causando desde sabores e odores desagradáveis até graves efeitos de saúde e quienes la ingieren. Na América do Sul, são conhecidos alguns incidentes de saúde pública causados por cianobactérias e/ou cianotoxinas. Por exemplo, no Brasil, um incidente de intoxicação foi causado por microcistinas (tipo de cianotoxina) em décadas de pacientes de uma clínica de hemodiálise em Caruaru, no estado de Pernambuco, em 2004. Isso gerou o monitoramento de cianobactérias e cianotoxinas em águas usadas para O suprimento humano é obrigatório no Brasil desde então. No Peru, foi relatada a presença de cianobactérias no serviço de água potável no sistema regulado Chili de Arequipa desde 2014, mas ainda não havia um programa sólido e de monitoramento constante. Tendo em conta que as embalsas El Pañe e Aguada Blanca são parte importante do sistema de abastecimento de água na cidade de Arequipa, resulta altamente relevante desenvolver um sistema de monitoramento que permita detectar oportunamente a presença de cianobactérias e assim tomar as medidas preventivas para evitá-las. a exposição a cianotoxinas. Devido à falta de eficácia na eliminação das cianotoxinas nas plantas de potabilização, são necessários métodos de detecção confiáveis e precisos que permitam tomar melhores decisões com a menor incerteza possível. A gestão real da qualidade da água em embalsas e reservatórios para consumo humano no Peru enfrenta o retorno da aparição de florações de algas nocivas que não podem ser identificadas e quantificadas com o monitoramento do déficit real, com base muitas vezes no critério subjetivo de reconhecimento visual e de olor por parte do pessoal de vigilância das embalsas. Alguns esforços deficientes também incluem vigilância da qualidade da água por meio de monitoramentos mensais ou anuais sujeitos a contingências logísticas e climáticas. Estas campanhas de monitoramento além de serem caras em tempo e recursos, são muito pouco efetivas para implementar medidas preventivas em frente às florações. Devido à rapidez dinâmica das florações de cianobactérias, é necessário um acompanhamento contínuo e de alta frequência que permita identificar oportunamente esses eventos. Também há uma compreensão completa sobre quais espécies produtoras de cianotoxinas estão presentes e onde os reservatórios de Arequipa são encontrados. Nesse sentido, nossa proposta sobre o estudo das cianobactérias nessas embalagens do sistema Chili é fundamental para apoiar a tomada de decisões das empresas potabilizadoras, orientando planos de gestão ambiental e de recursos hídricos, bem como novos projetos de sistemas de abastecimento de água potável. Se você requer urgentemente: a) desenvolver soluções que permitam caracterizar e entender melhor os eventos de florações de algas e a presença de cianobactérias com as cianotoxinas associadas, b) criar um sistema de controle de qualidade da água e implantação de condutas para controlar possíveis florações de cianobactérias , c) conceder elementos para a tomada de decisões e a elaboração de propostas para um programa integrado de controle de cianobactérias nas embalagens em estúdio. Finalmente, a falta de um marco regulatório da atividade aquícola em embalagens que incluem o consumo humano, além da promoção da atividade aquática como meio econômico e de luta contra a desnutrição, conclui que os fenômenos de florações de algas são mais comuns, como você se vê evidenciando nas diferentes embalsas do Peru como a embalse Pasto Grande. Esta tendência de desenvolvimento econômico e social sem considerar o aspecto ambiental representa um problema que requer atenção para garantir um desenvolvimento real sustentável onde o bem-estar futuro é vulnerável como se vê evidenciado.

Metodologia

Etapa 1: Monitoramento de possíveis florações com imagens de satélite. Será realizado um acompanhamento e uma caracterização espacial da possível presença de florações de cianobactérias por meio de sensoriamento remoto com a aquisição de imagens de satélite provenientes do sistema Sentinel-2 (http://sentinel.esa.int/web/sentinel/technicalguides/ sentinela2-msi/msiinstrumento). O critério de seleção é baseado em uma inspeção visual por parte da equipe de pesquisadores especialistas (autores do presente projeto), dados informados na página oficial da AUTODEMA (www.autodema.gob.pe/estudio-y-monitoreo-de-fitoplancton -algas-de-los-embalses delsistema-chili-regulado-y-colca-siguas-2017-2018/) e imagens fornecidas pelo Grupo Colaborador do presente projeto, GEOTECHídrica da Universidade Federal de Pelotas-Brasil (https:// wp.ufpel.edu.br/geotechidrica/algaemap-4/), sob a Direção do Prof. Dr. Felipe de Lucia Lobo.

Indicadores, Metas e Resultados

A implementação de um sistema de monitoramento automatizado para a previsão de cianobactérias e cianotoxinas em embalsamos altosandinos peruanos interessaria em primeira instância às entidades locais, regionais e nacionais responsáveis pela distribuição de água potável, como a Autoridade Nacional da Água (ANA), AUTODEMA e SEDAPAR. Esta ferramenta tecnológica permitiu antecipar adequadamente as florações que podem reduzir a qualidade da água e tomar decisões oportunas, como um corte no fornecimento de água contaminada ou a recomendação de não extraí-la. De acordo com essas instruções por parte dessas autoridades, a sociedade em geral poderá favorecer a não exposição aos efeitos contratados para a saúde causados pelas cianobactérias e cianotoxinas. Por exemplo, quem usa a água dos embalsamados para seus animais de criação pode optar por não dar essa água. Algo semelhante aconteceria com os produtores agrícolas que usavam as águas dos embalses para a irrigação de seus cultivos. Possíveis atividades recreativas também deveriam ser proibidas na época da flora. Igualmente, essas embalsas são desenvolvidas cada vez mais atividades produtivas, como a acuicultura de peixes com alto valor comercial. Quem maneja estas atividades poderá sem dúvida se beneficiar de alertas de presença de cianobactérias ou cianotoxinas e tomar medidas como a não comercialização de produtos pesqueiros no período de floração. Este projeto e a tecnologia desenvolvida geraram uma enorme faixa de atores sociais e produtivos que podem se beneficiar deste sistema de monitoramento de florações de cianobactérias e sua detecção de temperatura pode permitir que você tenha o tempo de tomar medidas preventivas de exposição.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FELIPE DE LUCIA LOBO9

Página gerada em 13/04/2024 10:33:33 (consulta levou 0.134453s)