Nome do Projeto
Conversando com a comunidade sobre doação de órgãos e tecidos
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/09/2017 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
O transplante de órgãos e tecidos salva e melhora a qualidade de vida de inúmeras pessoas. Embora, a taxa de doação esteja crescente nos últimos anos, ainda está abaixo das previstas pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. Para reverter este cenário, ações educativas na comunidade podem mobilizar, sensibilizar e conscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos e tecidos. A partir disto, o presente projeto tem como objetivo desenvolver ações educativas de sensibilização e conscientização sobre a doação de órgãos e tecidos na comunidade. As ações previstas ocorrerão no período de 2017 a 2019. Tais ações serão desenvolvidas, na rede de Saúde do Município de Pelotas (hospitais, ambulatórios, unidades básicas de saúde); em espaços públicos contemplando a população em geral; Instituições de Ensino de Nível Técnico e Superior, Escolas Municipais e Estaduais de Pelotas, mediante oficinas, rodas de conversas, palestras, abordagens individuais e coletivas, eventos informativos, e caminhadas em alusão ao tema.

Objetivo Geral

Desenvolver ações educativas de sensibilização e conscientização sobre a doação de órgãos e tecidos na comunidade.

Justificativa

No Brasil, o processo de captação de múltiplos órgãos mobiliza esforços políticos, sociais, governamentais e não governamentais com o objetivo de aumentar o número de doações efetivadas e de usuários receptores transplantados (MENDES et al., 2012; DELL AGNOLO et al., 2012). O Brasil, atualmente, possui um dos maiores programas públicos de transplantes de órgãos e tecidos do mundo, sendo que o Sistema Nacional de Transplantes está presente em todos os estados, por meio das Centrais Estaduais de Transplantes. No contexto internacional, o país destaca-se como o segundo em número absoluto de transplantes renais (5.635), com os Estados Unidos em primeiro (17.107) (ABTO, 2015; ABTO, 2016).
A doação de órgãos e de tecidos é entendida por muitos como um ato de solidariedade ao próximo, por proporcionar a qualidade de vida de pessoas doentes que aguardam o transplante. No entanto, ela somente é efetivada mediante ao consentimento familiar, que permite a retirada dos órgãos e dos tecidos do ente falecido para fins de transplantes, conforme determina a legislação brasileira vigente (SILVA et al., 2012).
A recusa da família quanto à doação vem sendo considerada um dos fatores responsáveis pela escassez de órgãos e tecidos para transplante. Segundo os dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), a não concretização da doação de potenciais doadores notificados, do total de 2616 nos estados brasileiros, entre janeiro e março de 2017, teve como causas: recusa de doação na entrevista familiar em 673 (43%) dos casos; contraindicação médica em 396 (15%); parada cardiorrespiratória em 336 (13%); morte Encefálica não confirmada em 132 (5%) e por outros motivos em 262 (10%) dos casos (ABTO, 2017).
A partir destes dados, evidencia-se a necessidade de transformar esse cenário mediante a educação e sensibilização da população, sendo apontada como o caminho mais apropriado para promover a cultura de doação de órgãos e tecidos na comunidade. Tal ação quando realizada de forma interdisciplinar tem em vista minimizar essas dificuldades e implementar estratégias para otimizar a viabilização da doação de órgãos e tecidos para transplantes.
Acredita-se que ações desenvolvidas pela universidade voltadas para a comunidade possam contribuir para a disseminação de informações e socialização do conhecimento sobre doação de órgãos e tecidos para transplante. Esse movimento de sensibilização e conscientização da comunidade poderá ter impacto positivo nos índices de doadores potenciais e efetivos, aumentando o número de transplantes o que, consequentemente, representa a sobrevida de milhares de pessoas que atualmente estão em lista de espera.
Trata-se, portanto, de tornar a temática da doação um assunto dialogado por todos e em família. Considera-se ser fundamental que a família converse a respeito do tema e conheça a intencionalidade de seus membros e manifestar sua vontade em ser doador. Diante destas questões se faz necessário desenvolver ações educativas de sensibilização e de informação, capazes de mobilizar a comunidade a refletir e conversar sobre o tema. A partir disto, promover a cultura da doação de órgãos e tecidos, em gerações futuras, de forma a influenciar e ou transformar o modo de pensar e agir em ato de solidariedade.

Metodologia

O presente projeto será realizado junto à comunidade do município de Pelotas, no período de 2017 a 2019. As ações educativas de sensibilização e conscientização sobre a doação de órgãos e tecidos serão desenvolvidas, na rede de Saúde do Município de Pelotas (hospitais, ambulatórios, unidades básicas de saúde); em espaços públicos contemplando a população em geral; Instituições de Ensino de Nível Técnico e Superior, Escolas Municipais e Estaduais de Pelotas.
As ações educativas serão planejadas e executadas considerando o cenário, o público alvo e o objetivo da ação. Para isto, utilizar-se-á distintas metodologias para desenvolve-las, sendo elas: oficinas, rodas de conversas, palestras, abordagens individuais e coletivas, eventos informativos, e caminhadas em alusão ao tema. Além disso, serão construídos vídeos, folders, manuais educativos, além da utilização das mídias sociais e meios de comunicação para auxiliar na divulgação e sensibilização da comunidade.
Poderão participar do presente projeto estudantes dos cursos da área da saúde, tanto de graduação, pós-graduação, quanto nível técnico, assim como de outras áreas que tenham interesse sobre o tema. Os estudantes voluntários terão de cumprir 4 horas semanais, sendo que para receber o atestado de participação no projeto deverão, no mínimo, totalizar 120 horas. Já o estudante bolsista terá de cumprir no mínimo 20 horas semanais, com plano de trabalho construído juntamente com os coordenadores do projeto. Também poderão participar, profissionais da área da saúde, pessoas da comunidade, e de organizações não governamentais.
Os participantes do projeto serão orientados e capacitados previamente para desenvolverem as ações educativas com a comunidade. Estas orientações ocorrerão mediante encontros quinzenais e ou quando se fizer necessário considerando a ação desenvolvida e sua amplitude. Para desenvolver as oficinas de orientação, serão utilizadas salas do Hospital Escola e ou da UFPel, previamente agendadas; além de uso de multimídia, assim como outros recursos que se fizerem necessário no decorrer da execução.

Indicadores, Metas e Resultados

AÇÃO 1: Oficinas de sensibilização e orientação de acadêmicos em saúde e demais áreas e organizações não governamentais, para atuar sobre o tema doação de órgãos e tecidos com a população em espaços públicos.
RELEVÂNCIA: Formação de multiplicadores para sensibilizar e orientar a população sobre o tema doação de órgãos e tecidos. Influenciar no crescente número de doação de órgãos e tecidos. Material educativo sobre a doação de órgãos e tecidos. Possibilidade de participação de acadêmicos em saúde e demais áreas, em nível de graduação e pós-graduação, organizações não governamentais.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Realizar oficinas de sensibilização e orientação de acadêmicos em saúde e demais áreas e organizações não-governamentais, mediante capacitação para atuar sobre o tema doação de órgãos e tecidos com a população em espaços públicos.
META: Participação de 150 integrantes; 90% dos participantes sensibilizados e orientados para atuar em espaços públicos.
INDICADOR: Proporção de integrantes que se inscreveram e participaram das oficinas. Numerador: total de integrantes que se inscreveram; Denominador: integrantes que participaram.
RESULTADO ESPERADO: Espera-se que os participantes se tornem multiplicadores, ou seja, estejam sensibilizados, com capacidade de orientar e estimular a discussão do tema doação de órgãos e tecidos com a população, e que esta leve a discussão no ambiente familiar.

AÇÃO 2: Oficinas de sensibilização e orientação de profissionais em saúde nas instituições hospitalares e rede de saúde municipal para atuar sobre o tema doação de órgãos e tecidos com a população em geral.
RELEVÂNCIA: Formação de multiplicadores para sensibilizar e orientar a população sobre o tema doação de órgãos e tecidos. Influenciar no crescente número de doação de órgãos e tecidos. Profissionais de saúde capacitados para doação de órgãos e tecidos. Material educativo sobre a doação de órgãos e tecidos.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Realizar oficinas de sensibilização e orientação de profissionais em saúde mediante capacitação para atuar sobre o tema doação de órgãos e tecidos com a população em geral.
META: Participação de 40 profissionais de saúde.
INDICADOR: A proporção de profissionais de saúde participantes nas capacitações, totalizando 90% dos participantes sensibilizados e orientados para atuar com a população em geral.
RESULTADO ESPERADO: Espera-se que os participantes se tornem multiplicadores, ou seja, estejam sensibilizados, com a competência e habilidade para orientar e estimular a discussão do tema doação de órgãos e tecidos com a população, e que esta leve a discussão no ambiente familiar.

AÇÃO 3: Educação da população para a doação de órgãos e tecidos por meio de abordagens individuais e coletivas na comunidade. Tal ação será desenvolvida no Município de Pelotas, considerando alguns pontos da cidade com maior fluxo e aglomeração de pessoas. Serão selecionados pontos estratégicos, tais como, praças públicas, praças de pedágios, paradas de ônibus, eventos entre outros. Os grupos de multiplicadores abordarão pessoas que circulam pelos espaços promovendo um diálogo e fornecendo material informativo para melhor compreensão e que este seja um propulsor de conversas em família. Ainda, tal ação será desenvolvida com maior ênfase no mês de setembro, por este ser o mês alusivo a doação de órgãos e tecidos no Brasil.
RELEVÂNCIA: Estimular a população a refletir e a falar sobre o tema, conscientizando-se sobre a importância de manifestar o desejo de ser doador à família. Possibilidade de redução da lista de espera de órgãos e tecidos para transplantes. Possibilidade de aumento de doadores de órgãos e tecidos para transplantes. Possibilidade de redução da mortalidade de pessoas em lista de espera para transplantes. Possibilidade de equiparar a oferta e demanda de órgão e tecidos para transplantes. Desenvolver estudos científicos sobre o tema.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Realizar educação da população mediante abordagem individual e coletiva na comunidade a fim de sensibilizar e informar sobre a doação de órgãos e tecidos.
META: Abordar e distribuir material à 1700 pessoas, aproximadamente 50% da população municipal.
INDICADOR: Proporção de pessoas abordadas. Numerador: Total de pessoas abordadas. Denominador: A população total do município de Pelotas.
RESULTADO ESPERADO: Espera-se que as pessoas abordadas reflitam sobre a possibilidade da doação de órgãos e tecidos, discutam a temática entre seus familiares e amigos, conheçam a vontade de seus pares e manifestem sua vontade ou não de serem doadores, influenciando no aumento do número de doações.

AÇÃO 4: Sensibilização de crianças e adolescentes nas comunidades escolares do Município de Pelotas quanto a doação de órgão e tecidos. Realizar ações voltadas à sensibilização de crianças e adolescentes inseridas em comunidades escolares que aderiram o Programa de Saúde na Escola (PSE) de Pelotas, por meio de recursos didáticos e pedagógicos adequados à idade destas. Algumas estratégias de sensibilização são: rodas de conversas, teatro, palestras, apresentação de banners e distribuição de folders, entre outros.
RELEVÂNCIA: Sensibilizar crianças e adolescentes nas escolas do município de Pelotas sobre a importância da doação de órgãos e tecidos com o intuito de promover a cultura de doação. Possibilidade de levar o tema e dialogar na família. Possibilidade de integrantes da família expressarem a vontade de ser doador. Possibilidade de redução da lista de espera de órgãos e tecidos para transplantes. Possibilidade de aumento de doadores de órgãos e tecidos para transplantes. Possibilidade de redução da mortalidade de pessoas em lista de espera para transplantes. Possibilidade de equiparar a oferta e demanda de órgão e tecidos para transplantes. Desenvolver estudos científicos sobre o tema.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Sensibilizar crianças e adolescentes nas comunidades escolares para promover o diálogo em família e a cultura de doação de órgãos e tecidos.
META: Promover a cultura de doação na comunidade escolar, tornando-os conscientes e multiplicadores da importância de ser doador de órgãos e tecidos.
INDICADOR: Número de crianças e adolescentes (100). Proporção de escolas abordadas. Numerador: Total de escolas que aderiram o PSE (44 escolas). Denominador: Total de escolas do município de Pelotas (84 escolas).
RESULTADO ESPERADO: Sensibilizar e orientar as crianças e adolescentes das escolas que participam do Programa Saúde na Escola, a fim de formar opinião e multiplicar a discussão em família e na comunidade.


AÇÃO 5: Construção de materiais informativos e visuais para utilização e distribuição nas ações educativas de sensibilização e orientação da população na comunidade.
RELEVÂNCIA: Tradução e transferência do conhecimento produzido sobre doação de órgãos e tecidos para o melhor entendimento da população.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Construir materiais informativos e visuais para utilização e distribuição nas ações educativas de sensibilização e orientação da população, promovendo a cultura de doação de órgãos e tecidos.
META: Construir impressos (folders), manuais, banners, entre outros.
INDICADOR: Número absoluto de materiais construídos (1000).
RESULTADO ESPERADO: Espera-se proporcionar informações de fácil entendimento a respeito da importância da doação de órgãos e tecidos, capazes de sensibilizar e orientar a população sobre a temática para que possam discutir entre seus familiares e amigos, conheçam a vontade de seus pares e manifestem sua vontade em ser doador.

AÇÃO 6: Produção de vídeos sobre a doação de órgãos e tecidos com formadores de opinião do Município de Pelotas para sensibilização da população em geral.
RELEVÂNCIA: Utilizar a influência de formadores de opinião do município para conscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos e tecidos. Estimular a população a refletir e a falar sobre o tema, conscientizando-se sobre a importância de manifestar o desejo de ser doador à família. Possibilidade de redução da lista de espera de órgão e tecidos para transplantes. Possibilidade de aumento de doadores de órgão e tecidos para transplantes. Possibilidade de redução da mortalidade de pessoas em lista de espera para transplantes. Possibilidade de equiparar a oferta e demanda de órgão e tecidos para transplantes. Desenvolver estudos científicos sobre o tema.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Sensibilizar a população em geral a respeito da importância da doação de órgãos e tecidos para salvar e/ou melhorar a qualidade de vida de outras pessoas, por meio de vídeos com formadores de opinião do município e lançá-las nos meios de comunicação.
META: Número absoluto de vídeos produzidos. Sensibilizar 90% da população do Município de Pelotas.
INDICADOR: Proporção de pessoas sensibilizadas. Numerador: Total de pessoas sensibilizadas. Denominador: População total do município de Pelotas.
RESULTADO ESPERADO: Sensibilização em massa da população em geral por meio de mídia.

AÇÃO 7: Aplicação de questionários de avaliação de conhecimento sobre a doação de órgãos e tecidos para transplantes aos estudantes, pessoas da comunidade, voluntários e profissionais de saúde, realizados antes e após as oficinas e abordagens.
RELEVÂNCIA: Verificação do conhecimento dos participantes sobre o tema que serão multiplicadores, possibilitando futuras comparações e avaliações de impacto das ações de sensibilização, orientação e capacitação.
OBJETIVO ESPECÍFICO: Aplicar questionários de avaliação de conhecimento sobre a doação de órgãos e tecidos para transplantes aos voluntários e profissionais de saúde, antes e após as oficinas e capacitações.
META: 250 questionários aplicados.
INDICADOR: Número absoluto de questionários aplicados.
RESULTADO ESPERADO: Almeja-se que o conhecimento a respeito da temática apresente evolução após aplicação das oficinas e capacitações.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE CALVETTI DE MEDEIROS
ALANA DUARTE FLORES
ANGELA JAQUELINE SINNOTT DIAS
BARBARA RESENDE RAMOS
BÁRBARA ARAÚJO GHENO
CAMILA CHAGAS DE LEON
CAROLINE ROCHA BATISTA BARCELLOS
CAROLINE ROCHA BATISTA BARCELLOS
CRISTIANE BERWALDT GOWERT
EDUARDA ROSADO SOARES
FRANCIELE ROBERTA CORDEIRO8
GABRIELA BOTELHO PEREIRA
GLAUCIA JAINE SANTOS DA SILVA
JULIANA GRACIELA VESTENA ZILLMER10
JULIANA ZEPPINI GIUDICE
LILIANA DA LUZ PINHEIRO COSTA
RENATA SOUZA ARANDA
VITOR HUGO SILVA DOS SANTOS
ÂNGELA RAQUEL WOTTER DIAS

Página gerada em 20/11/2019 02:39:07 (consulta levou 0.203587s)