Nome do Projeto
TERRÁRIO SUSTENTÁVEL, MICROCLIMA E ARTE EM VIDRO: UMA PERSPECTIVA DE ENSINO E ALTERNATIVA PARA GERAÇÃO DE RENDA
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
02/04/2018 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Meio ambiente
Linha de Extensão
Grupos sociais vulneráveis
Resumo
O projeto de Extensão universitária presente tem como tema a sustentabilidade ambiental com enfoque socioeconômico. Visa nortear tais perspectivas de sustentabilidade e relações socioeconômicas a partir da proposta do Terrário Sustentável Microclima e Arte em Vidro: Uma Perspectiva de Ensino e Alternativa para Geração de Renda, que tem como responsável o Professor Dr. Fabio Sangiogo doutor em Licenciatura em química e o seu orientando de mestrado formado em biologia e graduando em licenciatura em química Alex Garrido, vinculado ao Programa de Pós Graduação de Ensino em Ciências e Matemática e Graduação em Licenciatura na área de química no Campus Capão do Leão da Universidade Federal de Pelotas. O projeto Terrário Sustentável Microclima e Arte em Vidro: Uma Perspectiva de Ensino e Alternativa para Geração de Renda, foi desenvolvido como propósito de projeto piloto apresentado e executado na Casa de Cultura Las Vulvas, localizada na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. Com algumas alterações em sua dinâmica metodológica e adequações, o projeto visa contemplar a extensão universitária e construir com as bases no modelo do projeto piloto, uma prática socioeconômica de reconhecimento dos conhecimentos em biologia e química a partir da educação popular de Paulo Freire na Colônia de Pescadores São Pedro Z-3. A Colônia de Pescadores São Pedro Z-3, distrito da Cidade de Pelotas localizada, no Rio Grande do Sul. Tem como principal atividade socioeconômica a pescaria. No entanto, apresenta uma série de atividades artesanais com o grupo das rendeiras. Outros recursos econômicos dos moradores desta Colônia, se divide em bolsa família e o auxílio do defeso, concedido ao pescador no período de reprodução dos peixes, ainda que outras comunidades possam ser abrangidas pelo Projeto. Com base nessas perspectivas, julga-se importante e conveniente a oportunizar uma atividade socioeconômica e com sustentabilidade ambiental para desenvolvimento do projeto de extensão da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), para que possa contribuir com o viés acadêmico e social a comunidade local, fazendo a integração universidade-comunidade / comunidade-universidade. O Projeto visa a elaboração de oficinas que têm como objetivo desenvolver nos participantes um conjunto de compreensões que compõe a construção de um Terrário, a partir de materiais reutilizados. De acordo com os dados de oficinas já desenvolvidas e de um projeto piloto de pesquisa que contempla a Comunidade Z3, a maioria dos participantes afirmaram que buscavam uma atividade para renda extra, sendo que alguns participantes relataram que estavam interessados em aprender a construir o Terrário, contribuindo com as questões de renda e saberes nas perspectivas da ecologia, meio ambiente e suas relações físico-químico dos gases com interpelação com vegetais.

Objetivo Geral

Objetivo Geral
A oficina tem como objetivo desenvolver nos participantes um conjunto de compreensões, acerca alguns dos temas instituídos pela Comissão nas Nações Unidas (ONU), o pensamento para o Desenvolvimento Sustentável. Focar alguns dos seus indicadores tais como: Ambiente, desenvolvimento econômico, educação, padrões de consumo, produto e biodiversidade nas concepções que abarcam as ideias de sistema ecológico em um microclima ou microambiente, com vistas a formação de multiplicadores com enfoque socioeconômico.

Objetivos específicos
Aproximar o contexto da universidade e suas pesquisas no âmbito da comunidade e ênfase na educação formal e informal (educação popular);
Considerar os conhecimentos básicos ecológicos, interdisciplinares essenciais, para futuras atividades profissionais resultem em benefícios para o meio ambiente;
Desenvolver no individuo a percepção e sensibilidade dos ambientes, visando a sustentabilidade ambiental;
Elucidar sobre a extração de resíduos naturais e sua capacidade de renovação em um processo continuo;
Consolidar parcerias com empresas, associações, ONG´s, industrias e seus potenciais resíduos, revertendo em potenciais econômicos;
Formação cidadã mediante os processos de elaboração do produto final e a importância da reutilização de materiais dados como inservíveis;
Preparar o indivíduo para compreensão dos processos biológicos, químicos e físicos de um ecossistema sistema em um microclima;
Elucidar as possibilidades do empreendedorismo no sujeito, mediante pareceria especializada;
Desenvolver o empoderamento e autonomia do sujeito sobre as perspectivas de ser mantenedor dos processos socioeconômicos e socioambientais com vistas a sustentabilidade.

Justificativa

A Colônia de Pescadores São Pedro Z-3 localizada a 20km da cidade de Pelotas, sendo um de seus distritos apresenta em sua estrutura geográfica, grande diversidade biológica com ambientes terrestre e aquático. Em sua Flora e Fauna terrestre formada por uma vestiga de Mata Atlântica com Área de Preservação Permanente (APP) e uma Laguna. A Colônia Z 3 se insere no contexto de um amplo ecossistema formado pela Lagoa dos Patos, reunindo em seu entorno aproximadamente 1.200 famílias cuja esmagadora maioria é formada por pescadores artesanais. No entanto, para SACCO DOS ANJOS et.al (2001) a pluriatividade na colônia z-3, "apresentam uma natureza multifacetada deste fenômeno e a diversidade de aspectos envolvidos, revelando também as profundas alterações que sofrem os grupos domésticos para assegurar condições sociais mínimas de existência, sejam elas direta, indiretamente, ou totalmente desvinculadas da atividade pesqueira" (SACCO DOS ANJOS et.al p. 4, 2001). Tais ecossistemas apresentam variações integrais de equilíbrio sistemático, onde qualquer interferência nestes sistemas, podem sofrer alterações, seja esse um fenômeno natural ou antrópicas. Em função desses fenômenos a pesca artesanal, nos últimos 5 anos, vem sendo prejudicada causando inquietações nos residentes da colônia de pescadores Z-3.
É dessa forma que identificar novos subsídios com vistas a preservação e aproveitamento dos resíduos, diminuindo os impactos que o Projeto de extensão da universidade Federal de Pelotas. É nesse plano de fundo que vislumbramos propiciar a integração entre a sustentabilidade e as práticas socioeconômicas.

Metodologia

A metodologia baseada em uma perspectiva freireana e sua educação informal, se constitui de etapas: 1) Obtenção dos Materiais; 2) Preparação dos materiais; 3) Abordagem teórica, execução e montagem dos terrário;
1) Obtenção dos matérias e identificar potenciais parceiros que possam contribuir com resíduos aos quais considerem parte do seu processo de produção e dispensável para serem utilizados em seus processos de mecanização sistemáticas. Alguns dos parceiros principais já constituídos neste processo é vinculado a Universidade Federal de Pelotas- UFPel. Com a parceria da Fundação de Apoio Universitário, (FAU) da UFpel, responsável pelos Restaurantes Universitários (R.U). A FAU contribuirá com a doação dos vidros de conservas de alimentos, que são geralmente dispensados ou devolvidos a empresas de produtos alimentícios, consideramos essa parceria fundamental no processo de obtenção de materiais, tal contribuição irá garantir que a oficina apresente uma padronização.
Outro parceiro importante é a Escola Estadual de Ensino Médio Colônia de Pescadores da Z-3 que contribuirá com o espaço para a realização das atividades e etapas da oficina, produção de terra adubada e mudas. Das extrações e coletas de materiais da natureza, serão coletadas conchas advindas da laguna. Tal coleta de resíduos da natureza não devem ter caráter predatório ou ser material fundamental para um ciclo reprodutor de espécies da fauna e flora, cadeia ou teia alimentar ou/e que fazem parte de um fluxo energia ou níveis tróficos.
2) A Preparação dos Materiais ocorrerá de forma simples e processos mecanizados. Um dos principais processos se divide em dois momentos, peneiração da areia e adequar a coloração das areias com os tons e cores advindos de corantes alimentícios. Organizar as plantas, e a higienização dos vidros, são passos importantes e indispensáveis para não haver a intoxicação das plantas do Terrário.
3) Abordagem teórica, execução e montagem dos terrário a priori serão organizados todos os materiais em bancadas. Os participantes ficaram próximos aos vidros, enquanto recebiam instruções teóricas acerca dos conteúdos. Trabalharemos os conteúdos de: Ecologia, capacidade do suporte, conceitos de sustentabilidade, equilíbrio. Dos conteúdos específicos trabalhados ciclo da água, ciclo do nitrogênio, vida e nutrientes, conceitos de pressão e gases ideais, suporte limitante, mudança de estado físico, fisiologia vegetal, desenvolvimento vegetal e microclimas.

Indicadores, Metas e Resultados

Por meio de questionários de satisfação com as práticas e desenvolvimento dos produtos desenvolvidos, pretende se identificar os indicadores positivos e negativos das atividades e construir relatórios periódicos, para a melhoria do desenvolvimento das atividades propostas. As metas desejadas será capacitar os participantes para que possam atuar como oficineiros e artesãos. Bem como preparar e formar na comunidade pesqueira multiplicadores, que possam dar continuidade no projeto de forma autônoma ao termino do projeto.
Visamos dessa forma que os resultados possam, contribuir com a formação de uma educação popular. Calcada nos valores ambientais de sustentabilidade, soluções socioeconômicas e a apropriação das estruturas constituídas com parceiros e apoiadores do projeto.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEX SANDRO DE CASTRO GARRIDO
ALEX SANDRO DE CASTRO GARRIDO
FABIO ANDRE SANGIOGO1
FERNANDO HENRIQUE UEHARA

Página gerada em 17/04/2024 21:22:11 (consulta levou 0.136320s)