Nome do Projeto
ARTE SUL COEXISTIR: MOSTRA UNIVERSITÁRIA DE ARTES DA FRONTEIRA
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
15/09/2017 - 30/06/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Cultura
Linha de Extensão
Artes integradas
Resumo
O Projeto ARTE SUL COEXISTIR: MOSTRA UNIVERSITÁRIA DE ARTES DA FRONTEIRA é uma iniciativa da PREC, inicialmente protocolado como Bienal Internacional de Arte e Cidadania, 2015, para a promoção e divulgação de trabalhos artísticos contemporâneos e respectiva reflexão crítica, destina-se a sociedade como estratégia de formação de público à arte e à cultura. O tema para esta edição de 2017 será COEXISTÊNCIAS: espaços em expansão.

Objetivo Geral

Fomentar a formação e difusão em arte e cultura, por meio de atividades artísticas e culturais desenvolvidas no âmbito acadêmico; Implantar um programa de ações extensionistas, com vistas a viabilizar intercâmbios com artistas de diferentes linguagens artísticas, sobretudo na faixa de fronteira, nacional e internacional, estimulando as experiências interdisciplinares com processos artísticos e educativos desenvolvidos pelas comunidades universitárias; Expandir o acesso aos bens culturais, através da rede universitária, visando assegurar condições favoráveis ao fazer artístico como exercício para a cidadania; Estimular a aproximação e o diálogo entre os saberes acadêmico e popular; Promover a circulação e fruição de expressões artísticas que privilegiem a diversidade de linguagens artísticas e culturais; Realizar eventos acadêmicos que articulam o ensino, a pesquisa e a extensão visando a qualificação e a formação acadêmica de profissionais da área cultural; Promover a gestão integrada dos projetos de educação em artes mediante realização de ações institucionais conjuntas e interdisciplinares; Promover a dignificação pessoal, a interação social e a inserção comunitária através da formação inclusiva e das ações extensionistas em artes, oportunizando os acessos aos conhecimentos e saberes; Possibilitar a circulação de produtos artísticos na região.

Justificativa

Com a proposta de apresentar a diversidade da produção artística e cultural produzida pelas Universidades Federais do Rio Grande do Sul, em seus âmbitos acadêmicos de ensino, pesquisa, extensão e inovação, visando a promoção, circulação e a formação de público para as manifestações artísticas culturais, a presente proposta justifica-se pela integração entre artistas e sociedade. A realização de um Salão Universitário de Artes surgiu da experiência com o projeto da Bienal Internacional de Arte e Cidadania da UFPEL 2015, e do projeto Porto das Artes, 2014. Ambas atividades, expressão das potencialidades dos recursos humanos da UFPEL, reuniram variadas ações culturais, tais como: espetáculos, mostras, seminários, apresentações e residências artísticas, shows, exposições, palestras, mesas de discussão e oficinas de música, artes visuais, dança, educação e cinema, dos quais participaram mais de vinte mil pessoas, entre a comunidade acadêmica e a comunidade externa. Nesta edição, o Salão Universitário de Artes, 2017, configurará um conjunto de ações artísticas e culturais envolvendo a Universidade Federal de Rio Grande, UNIPAMPA e a Universidade Federal de Santa Maria, conectando instituições públicas com a Fundação Pablo Atchugarry (Uruguai), fomentando os hibridismos e as fusões entre a fronteira Brasil-Uruguai, explorando a mistura de identidades para o fortalecimento cultural. Caracterizada pela diversidade de ações e pela democratização do acesso aos bens culturais, adota-se, inicialmente, para a realização do Salão Universitário de Artes, o conceito de circuitos culturais, caracterizados pela sua mobilidade, descentralização e multiplicidade em suas articulações e interdependências.

Metodologia

Propõe-se como estratégia metodológica a aplicação e o desenvolvimento do conceito de trama cultural. Um conceito que se define pela oposição, direcionando e redirecionando os significados e significantes culturais na sua relação de proximidade com a vida e com a estética da existência na qual a diferença se afirma como um modo de ser aliado ao sensível. A estratégia metodológica segue pela metáfora da trama sendo coerente com os trabalhos que se vem desenvolvendo na Universidade Federal de Pelotas em parceria com agentes culturais da região da fronteira Brasil-Uruguai identificando os traços desta singularidade.

A proposta de uma Bienal Universitária de Artes da Fronteira do Sul desenvolver-se-á a partir da seleção curatorial de cada universidade parceira, praticada com autonomia e, assim, respeitados os critérios específicos de cada instituição, pela designação das necessidades de infra-estrutura e espaços. A partir da definição dos artistas participantes e, das obras selecionadas, a exposição será organizada por coleções, classificadas através de sua origem, ou seja, intitulada pelo nome de cada universidade. Como proponente da proposta, a UFPEL receberá as obras e as locará em seus espaços, ainda a serem definidos conforme as especificidades de cada trabalho.

As atividades previstas parao Salão Universitário de Artes, são: Atividades expositivas: Modalidades: pintura, gravura, escultura, fotografia, vídeo, instalações e performances; Cada instituição deverá encaminhar suas propostas devidamente apresentadas com: registro visual dos trabalhos, dados técnicos completos (título, autor, técnica, dimensões e ano). Atividades de Ação Educativa: Mediação: a cargo da UFPEL; Ensino: agenda para visitações de grupos específicos (escolas); Simpósio (conferencias): serão apresentadas quatro conferências, ainda a confirmar seus conferencistas, seguidas de mesa debatedora composta por representantes de cada instituição envolvida; Publicações: folder, convites e catálogo (impresso e eletrônico). Cada instituição poderá realizar sua curadoria, e/ou processo de seleção, conforme seus critérios. A UFPEL tornará público seu edital interno de seleção no mês de agosto do corrente ano.

Indicadores, Metas e Resultados

Público direto atingido estimado em 30.000 pessoas no período da exposição, composto de visitantes estrangeiros, nacionais e locais, entre turistas, estudantes, professores, pesquisadores e artistas, através do atendimento nos circuitos de visitação, atividades e projetos desenvolvidos, subdivididos em: 1. Professores e estudantes do ensino fundamental, médio e superior, da rede pública e particular, preferencialmente originados das Universidades envolvidas, do Estado do Rio Grande do Sul e região próxima a fronteira Brasil-Uruguai, através do atendimento nas diversas atividades e projetos educacionais; 2. Instituições culturais do Estado, Nacionais e Internacionais, através de intercâmbio permanente pela remessa e recebimento de convites, material de divulgação e da articulação de ações culturais conjuntas; 3. Artistas e curadores nacionais e estrangeiros, através da promoção, realização e difusão das exposições, das atividades de oficinas e das apresentações artísticas culturais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JOAO FERNANDO IGANSI NUNES2
MATHEUS BLAAS BASTOS3
URSULA ROSA DA SILVA1
VITOR GOVEIA RECHIA

Página gerada em 29/07/2021 21:38:26 (consulta levou 0.076237s)