Nome da Atividade
PSICOLOGIA: TENSÕES ENTRE ARTE, CIÊNCIA E FILOSOFIA
CÓDIGO
07960079
Carga Horária
30 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
2
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CRÉDITOS
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

A psicologia surge como ciência em um campo complexo: trabalha com elementos objetivos e subjetivos, orgânicos e culturais, além do que, paradoxalmente coloca ao homem como objeto desi mesmo. Desde seu surgimento como disciplina com Wundt marca-se as ambiguidades da psicologia entre as ciências naturais e humanas.
Por tratar não apenas de comportamentos objetivos, mas de sentidos, afetos, pensamentos, personalidade, estrutura psíquica, consciência e outros objetos que dependem de uma cuidadosa construção conceitual para que sejam estudados, a Psicologia é vista muitas vezes como próxima da filosofia e afastada das ciências. Por possuir uma prática que muitas vezes não é passível de uma organização protocolar generalizante, dependendo das singularidades específicas a cada caso para realizar-se, a psicologia é, por vezes, vista como mais próxima das artes e da ficção literária em seu trabalho de compor e esmiuçar realidades únicas e
complexas. No entanto, se durante a modernidade o pensamento ocidental lutou por distinguir entre estas diferentes disciplinas (ciência, artes, literatura e filosofia), vemos na contemporaneidade que apesar das diferenças evidentes existem inúmeros pontos de contato, atravessamentos, composições entre estes modos de produção de saber. A presente cadeira se propõe a investigar as composições híbridas entre as artes, a ciência e a filosofia no campo da Psicologia. Pretende-se assim, considerar a Psicologia em sua complexidade de tensões, ambiguidades e hibridismos, para pensar as diferentes potências de ação e pensamento que advém destes encontros epistemológicos.

Objetivos

Objetivo Geral:

- Compreender o processo que separou os campos de produção de saberes entre artes, filosofia e ciências.
- Compreender a crítica da epistemologia às separações estanques entre modos de produção do saber.
- Compreender as especificidades singulares de cada modo de produção do saber e as possibilidades advindas de suas misturas.
- Experimentar as possibilidades metodológicas das estratégias oriundas do campo das artes nas ciências humanas e sociais.

Conteúdo Programático

- Surgimento e desenvolvimento das ciências naturais e humanas: a separação entre os modos e produção do saber.
- Surgimento e desenvolvimento da psicologia: ambiguidades ente o orgânico e o cultural.
- A crítica epistemológica contemporânea à segmentação da produção do saber: paradigma da complexidade e filosofia da diferença.
- As perspectivas híbridas entre a arte e as ciências: ensaio, videoensaio, cartografia, biografemas, etc.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • STENGERS, Isabelle. A invenção das ciências modernas. São Paulo: Ed. 34, 2002.
  • DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia?. São Paulo: Ed. 34, 2000.
  • FIGUEIREDO, Luis Claudio. Psicologia: uma (nova) introdução. São Paulo: EDUC, 2008.

Bibliografia Complementar:

  • VALERY, Paul. Introdução ao método de Leonardo Da Vinci. São Paulo: Ed. 34.
  • FIGUEIREDO, Luis Claudio. A invenção do Psicológico: quatro séculos de subjetivação 1500-1900. São Paulo: Editora Escuta, 2007.
  • NIETSZCHE, Friedrich. A gaia ciência. São Paulo: Cia das letras, 2001.

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
PSICOLOGIA: TENSÕES ENTRE ARTE, CIÊNCIA E FILOSOFIA Psicologia (Bacharelado - Noturno)

Página gerada em 29/06/2022 22:44:56 (consulta levou 0.109816s)