Nome da Atividade
HISTÓRIA INDÍGENA
CÓDIGO
10770089
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
A DISTÂNCIA
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

A disciplina busca oferecer aos alunos, a partir de análise bibliográfica correspondente: Noções gerais de história indígena (tempo, fontes, métodos, etnicidade, indigenismo etc.); História indígena entre os campos da antropologia social, arqueologia e história; Debates e perspectivas pós-coloniais para a história dos povos indígenas; Institucionalização da história indígena e desafios na formação docente; Estudos de caso sobre a história dos povos indígenas no Brasil.

Objetivos

Objetivo Geral:

Propiciar aos alunos um maior conhecimento a respeito das produções acadêmicas clássicas e as mais recentes a respeito da História Indígena.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • OLIVEIRA, João Pacheco de; FREIRE, Carlos Augusto da Rocha. A Presença Indígena na Formação do Brasil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me004372.pdf. - CAVALCANTE, Thiago Leandro V. Etno-história e história indígena: questões sobre conceito, método e relevância da pesquisa. História, São Paulo, 30 (1),2001. Disponível em: 349-371. https://www.scielo.br/j/his/a/j9CyCym5St8xmR4pn9HtcvD/?format=pdf&lang=pt. - MOTA, Lúcio Tadeu. Etno-história: uma metodologia para abordagem transdisciplinar da história de povos indígenas. Patrimônio e Memória, São Paulo, 10 (2): 5-16, 2014.Disponível em: https://pem.assis.unesp.br/index.php/pem/article/view/463.

Bibliografia Complementar:

  • CAVALCANTE, Thiago Leandro V. 2013. Colonialismo, território e territorialidade: a luta pela terra dos Guarani e Kaiowá em Mato Grosso do Sul. Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Assis. Disponível em: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/106620. - OLIVEIRA, Jorge Eremites de. 2012. A História Indígena no Brasil e em Mato Grosso do Sul. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, 6 (2): 178-218. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/31745. - MIGNOLO, Walter. D. 2008. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Tradução de Ângela Lopes Norte. Cadernos de Letras da UFF, Niterói, 34: 287-324. Disponível em: http://www.uff.br/cadernosdeletrasuff/34/artigo18.pdf.
  • JIMENES, A.; SILVEIRA, M. C. B. da. (2015). Domesticando a cidade: ser ticuna na Manaus contemporânea (1980-2014). História Oral, 18(1), 147–167. Disponível em: https://revista.historiaoral.org.br/index.php/rho/article/view/527. - RAMOS, André R. F. 2014. A escravidão do indígena, entre o mito e novas perspectivas de debates. Revista de Estudos e Pesquisas, Brasília, 1 (1): 241- 265. Disponível em: https://www.mpba.mp.br/sites/default/files/biblioteca/direitos-humanos/populacao-indigena/artigos_teses_dissertacoes/artigo-7-andre-ramos.pdf. - SANTOS, Carlos José F. dos (Casé Angatu). 2015. “Histórias e culturas indígenas” – alguns desafios no ensino e na aplicação da Lei 11.646/2008: de qual história e cultura estamos mesmo falando: Revista História & Perspectivas, Uberlândia, 53: 170-209.

Página gerada em 20/04/2024 04:25:50 (consulta levou 0.052120s)