Nome da Atividade
HISTÓRIA E TEORIA DA CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO
CÓDIGO
10790132
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Apresentar breve história da Conservação e Restauração. Conhecer resumidamente os principais
teóricos da área. Explorar o Código de Ética do Conservador-Restaurador. Analisar criticamente o
papel do Conservador-Restaurador na contemporaneidade a partir das teorias estudadas.

Objetivos

Objetivo Geral:

Propiciar ao aluno conhecimentos históricos sobre as teorias e o desenvolvimento da área da
conservação e da restauração. Discutir criticamente o papel do profissional conservador-restaurador
na contemporaneidade.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • APPELBAUM, Barbara. Conservation treatment methodology. Middletown: [s.n.], c2010. (069 A646c) BALDINI, Umberto. Teoría de la restauración y unidadmetodológica. v. 1. Madrid: NEREA, c1978, 2002. (702.88 B177t) BALDINI, Umberto. Teoría de la restauración y unidadmetodológica. v.2. Madrid: NEREA, c1998, 1998. (702.88 B177t) BOITO, Camillo. Os restauradores: conferência feita na Exposição de Turim em 7 de junho de 1884. 3. ed. Cotia: Ateliê, 2008. (704.7 B685r) BRANDI, Cesare. Teoria da restauração. 3. ed. São Paulo: Atelier Editorial, 2008. (720.28 B818t) CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. 4. ed. São Paulo: Estado Liberdade, Ed. UNESP, 2011. (720.288 C545a) CÓDIGO DE ÉTICA DO CONSERVADOR-RESTAURADOR. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2014. MACARRÓN MIGUEL, Ana Maria; GONZÁLEZ MOZO, Ana. La conservación y la restauración en elsiglo XX. 3. ed. Madrid: Tecnos, 2011. (702.88 M115c) MARTÍNEZ JUSTICIA, Maria José; SÁNCHEZ-MESA MARTÍNEZ, Domingo; SÁNCHEZ-MESA MARTÍNEZ, Leonardo. Historia y teoría de la conservación y restauraciónartística. 3. ed. Madrid: Tecnos, 2008. (702.88 M385h) MUNÕZ VIÑAS, Salvador. Teoríacontemporánea de la restauración. Madrid: Sintesis, 2003. (702.88 M967) RUSKIN, John. A lâmpada da memória. 2. ed. Cotia: Atelie Editorial, 2018. (709 R956l) VIOLLET-LE-DUC, Eugène Emmanuel. Restauração. Cotia: Ateliê, 2000. (720.28 V796r).

Bibliografia Complementar:

  • GONZÁLEZ-VARAS, Ignacio. Conservación de bienes culturales: teoría, historia, principios y normas. 6. ed. Madrid: Catedra, 2008. (702.8 G643c) HANNESCH, Ozanaet al. Gestão da Conservação-Restauração do Patrimônio Cultural: Algumas Reflexões Sobre Teoria e Prática. In: 1º Seminário da Rede Conservação, 2012, Olinda. Olinda: Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada, 2012. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2014. KÜHL, Beatriz Mugayar. História e Ética na Conservação e na Restauração de Monumentos Históricos. Revista CPC, São Paulo, v.1, n.1, p. 16-40, nov. 2005/ abr. 2006. Disponível em: Acesso em: 04 jul. 2014. MACHADO, Fernanda Tozzo. A relatividade dos valores culturais e o papel do Conservador- Restaurador. In: Seminário Arte Hoje na Contemporaneidade: Processos, Reflexões, Conservação, Produção, 2007, Ouro Preto. Ouro Preto: Fundação de Artes de Ouro Preto, 2007. Disponível em: Acesso em: 04 jul. 2014. RIEGL, Alois. El culto moderno a los monumentos: caracteres y origem. 3. ed. Madrid: A. Machado Livros, 2008. (725.94 R554c)

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T50 2020 / 1 40 15 Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Bacharelado - Noturno)
Horários
ManhãTardeNoite
TER19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
DANIELE BALTZ DA FONSECA
Professor Regente

KAREN VELLEDA CALDAS
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
HISTÓRIA E TEORIA DA CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Bacharelado - Noturno)

Página gerada em 27/01/2021 04:34:10 (consulta levou 0.327407s)