Nome do Projeto
Arquitetura e estética: imagem, sentido e materialidade.
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
02/05/2016 - 16/12/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Resumo
Conforme a RES. No 2, de 17/06/2010) criaram-se duas disciplinas no currículo da FAURB: Estética e História das Artes. Desde 2001, na sua forma antiga, a disciplina já era ministrada integrando estética e história das artes. Estética, à diferença da História das Artes, é mais nova, não somente no currículo da FAURB, mas também nos currículos brasileiros. Conceitos de estética (da filosofia, originalmente) aplicados à arquitetura ficavam distribuídos nas teorias da arquitetura e nas diferentes modalidades de "estudos de arte", sob várias denominações e modalidades de organizações de conteúdos. No Brasil isso começou a mudar em 1994, da Portaria 1770 do MEC até a Resolução de 2010. Estética tornou-se conteúdo discriminado e obrigatório nos currículos. Na formação do arquiteto urbanista, a área de Teoria da Arquitetura tem uma história mais antiga e formou uma tradição consolidada na prática do ensino, nos currículos, na bibliografia específica, bem como em temáticas. Comparativamente, a Estética pode ser considerada uma disciplina "nova". Isso explica a carência de bibliografia e materiais tão bem sistematizados nessa área, dedicados à arquitetura, ao urbanismo e ao paisagismo, comparativamente a outras matérias. Além disso, a complexidade da cultura visual contemporânea, bem como as abordagens contemporâneas das arquiteturas do passado, estão em processo de transformação acelerada e mesmo disciplinas "novas" como a Estética precisam atualizar-se permanentemente. Assim, um projeto de ensino na área da Estética inevitavelmente ficará condicionado às referidas carências de informação acumulada na área, bem como aos problemas de atualização do ensino. Conteúdos, meios e mídias dessa área precisam sempre de atualização.

Objetivo Geral

Atualizar e potencializar os meios de ensino da disciplina Estética.

Justificativa

Um projeto de ensino de organização, sistematização e atualização dos materiais de Estética, que inclua pelo menos uma atividade de monitoria justifica-se por:
Necessidade de:
— seleção de imagens, sua classificação prévia e sua montagem em apresentações (tarefas que requerem auxílio) para atualizar os meios da disciplina;
— aplicar exercícios práticos para a aprendizagem de temas específicos, tais como diferenciação de estilos artísticos e estudo de qualidades chamadas de “regionais” dos objetos arquitetônicos e urbanísticos, enquanto “objetos estéticos” — um tema-chave é o das proporções em arquitetura e outro é a análise comparativa dos efeitos estéticos de obras e projetos, por meio de imagens.
— renovar apostilas e materiais de leitura, bem como tutoriais de novos exercícios.
Assim, há três justificativas essenciais de um ensino de Estética auxiliado por monitoria: 1) trabalho com imagens visuais; 2) aplicação e orientação de exercícios; 3) produção de materiais de leitura com ilustrações, incluindo elaboração de artigos e trabalhos a serem apresentados em eventos de iniciação científica e outros.

Metodologia

1) Sessões de trabalho e orientação da monitoria na preparação de aulas e mídias utilizadas na prática de ensino, conforme os objetivos específicos.
2) Orientações dedicadas à monitoria para a produção de artigos e outros materiais didáticos, incluindo apresentações de resumos em eventos de iniciação científica e outros.
3) Inclusão dos demais alunos de cada turma nas mesmas atividades, atribuindo-lhes tarefas de produção de artigos e preparação de trabalhos de iniciação científica, sob orientação e supervisão do professor e auxiliados pela monitoria.

Resultados Esperados

Obs. 1) Já se obteve bons resultados em turmas precedentes de Estética e de outras disciplinas de Teoria e História da Arquitetura na área da produção e divulgação de conhecimento (incluindo artigos para publicação elaborados pelos discentes), quando essas disciplinas “teóricas” foram auxiliadas por monitoria ou estágio docente realizado por mestrandos do PROGRAU-FAURB.
Obs. 2) A monitoria intensifica e estreita a comunicação dos discentes entre si e com o professor e por isso a realização de tarefas menos comuns, como produção de artigos e apresentações de trabalhos em eventos, abrangendo toda uma turma, torna-se facilitada, incentivadora e prazerosa.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
RENATA AZEVEDO REQUIAO102/05/201616/12/2016
SYLVIO ARNOLDO DICK JANTZEN402/05/201616/12/2016

Página gerada em 10/12/2019 14:38:59 (consulta levou 0.053011s)