Nome do Projeto
Racismo institucionalizado e práticas docentes de matemática
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2019 - 30/06/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar - Ensino - Ensino de Ciências e Matemática
Resumo
O acesso a matemática não é equitativo para todos (Moses & Cobb, 2001), em particular, estudantes de classes sociais mais baixas e de origem negra ou parda enfrentam barreiras sociais sistêmicas que dificultam e, inclusive, impedem o acesso a matemática, principalmente matemática conceitual e avançada. Em meus estudos de doutorado, eu investiguei, em um contexto de uma classe de laboratório de matemática de séries iniciais dos Estados Unidos, como práticas docentes de matemática podem contribuir para romper tais barreiras sistêmicas, pelo menos no contexto local da sala de aula, e assim propiciar o acesso a matemática a todos os estudantes (Salazar, 2019). Neste projeto, pretendo investigar qual é a realidade racial brasileira com relação ao acesso a matemática, se há práticas docentes que promovam o rompimento, mesmo que localmente, do racismo institucionalizado, e como seriam estas práticas neste contexto brasileiro. Ainda, apesar dos meus estudos de doutorado terem sido realizados em nível básico, este projeto pretende estudar o acesso a matemática dentro do ensino superior em instituições públicas brasileiras. A partir da expansão universitária decorrente ao programa REUNI, as universidades públicas brasileiras passaram a receber um número muito maior de estudantes e com um perfil acadêmico e socioeconômico muito diferente do que anteriormente. Nesse sentido, pretendo investigar como as práticas docentes podem promover o acesso a matemática a todos os estudantes e, consequentemente, contribuir com a democratização do ensino superior.

Objetivo Geral

O principal objetivo deste projeto é estender os resultados obtidos em Salazar (2019) para o contexto do ensino superior brasileiro. Os objetivos específicos são:
• Avaliar o referencial teórico para a realidade brasileira, em particular, refinar a Teoria Crítica de Raça para refletir a estrutura racial brasileira;
• Aplicar o referencial teórico reavaliado para a realidade brasileira para investigar práticas docentes de matemática no ensino superior.
A pergunta que se pretende responder nessa pesquisa é: Como é possível entender melhor os mecanismos pelos quais o racismo institucional é reproduzido através de práticas docentes de matemática superior em Universidades públicas brasileiras? Ou ainda, como práticas docentes de matemática superior podem romper com o racismo institucional em Universidades públicas brasileiras?

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final

Página gerada em 16/10/2021 13:00:29 (consulta levou 0.045630s)