Nome do Projeto
Arqueologia da costa atlântica: geoarqueologia, haliêutica e vida material na longa duração
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
12/06/2019 - 31/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Arqueologia - Teoria e Método em Arqueologia
Resumo
O presente projeto de pequisa se insere no plano de estágio docente que prevê as atividades universitárias a serem desenvolvidas nos primeiros 36 (trinta e seis) meses de docência no ICH/UFPel. As atividades de ensino estão atreladas ao Departamento de Antropologia e Arqueologia tanto na graduação, quanto no pós-graduação . Destaco que as atividades de pesquisa e extensão serão desenvolvidas no âmbito do projeto “Arqueologia da costa atlântica: geoarqueologia, haliêutica e vida material na longa duração” a serem empreendidos nas dependências do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Arqueologia e Antropologia (LEPAARQ). De forma específica, esta proposta de trabalho diz respeito a compreensão das diferentes estratégias pesqueiras desenvolvidas na costa leste do Brasil, bem como suas relações com os territórios vizinhos, compreendidas enquanto processos de longa-duração. As haliêuticas tradicionais são resultado das interações das diferentes populações com os ambientes costeiros, sejam eles lagunas, lagos, estuários, baías ou “mar raso”, dando origem a múltiplas técnicas, equipamentos e estratégias adaptativas. A influência da colonização europeia e africana iniciada no século XVI impactou sobremaneira as atividades pesqueiras tradicionais, proporcionando a introdução de equipamentos, técnicas e conhecimentos novos à milenar haliêutica indígena brasileira. É necessário destacar contudo, que conquista do “mar de fora” foi possível apenas através da introdução de técnicas europeias de navegação, inicialmente com o atrelamento da vela latina às jangadas e pirogas Tupinambá ainda no século XVII e, posteriormente com a motorização a combustão já no século XX. A compreensão da haliêutica como elemento estruturante da coesão social historicisado enquanto fenômeno social delonga duração é, precisamente, o desafio final desta proposta de trabalho, da pré-história aos dias atuais.

Objetivo Geral

Compreender a haliêutica enquanto elemento de coesão social das populações costeiras da porção atlântica brasileira na longa duração do tempo histórico, desde os primórdios da ocupação indígena pré-histórica e a continuidade destas práticas sociais nas populações tradicionais atuais. Os objetivos específicos podem ser descritos como seguem:
1) Identificar os sítios arqueológicos das populações pescadoras no sul do Brasil.
2) Identificar as evidências materiais da haliêutica indígena pré-histórica nas coleções arqueológicas dos sítios afim de establecer a origem e cronologia destas práticas.
3) Avaliar as transformações e permanências das práticas de pesca e navegação nas diferentes populações indígenas que ocuparam a costa sul brasileira.
4) Analisar os impactos nas práticas diárias e cultura material haliêutica decorrentes das interações culturais entre as diferentes populações indígenas e as diferentes populações advindas do Velho Mundo.
5) Identificar e historicisar as reminiscências da haliêutica indígena na tralha de pesca, conhecimentos, práticas e cultura material das comunidades pesqueiras atuais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE DE CASTRO SANCHEZ212/06/201931/12/2021
DIONE CLEI NUNES DUARTE212/06/201931/12/2021
JEFFERSON FOSTER DA SILVA212/06/201931/12/2021

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPES/PROAPR$ 900,00

Página gerada em 25/06/2024 16:17:33 (consulta levou 0.042046s)