Nome do Projeto
CULTIVOS DE MICROALGAS DESTINADAS À PRODUÇÃO DE BIODIESEL
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/02/2009 - 03/02/2014
Unidade de Origem
Resumo
RESUMO DO PROJETO: Estudos recentes mostram a presença de ácidos graxos em microalgas direcionando a produção destas espécies para uma nova aplicação até então muito pouco explorada mundialmente: como fonte de energia renovável. O foco do projeto é a seleção de microalgas para posterior produção de biodiesel.

Objetivo Geral

OBJETIVO E PLANEJAMENTO: O presente projeto visa o cultivo de microalgas marinhas e de água doce, selecionando espécies que demonstrem as melhores propriedades de interesse, como concentrações de lipídeos, para posterior produção de biodiesel. Microalgas têm sido consideradas fontes potencialmente úteis para a produção de biodiesel, pelo fato de apresentarem elevado rendimento por hectare e grande tolerância a adversidades ambientais como temperatura e variações salinas. Além disso, diversas espécies apresentam elevadas concentrações de lipídeos, variando entre elas e conforme as condições de crescimento e nutrientes. No entanto, foi comprovado que possuem a capacidade de armazenar em até 65% de lipídeos. Inicialmente, pretende-se começar o cultivo com microalgas de água doce, as quais serão coletadas durante as florações na Lagoa dos Patos – RS, nos reservatórios Billings e Guarapiranga (São Paulo - SP), Salto Grande – Americana – SP, Itupararanga – Votorantim – SP, Barra Bonita – SP e Santa Branca – SP. Encontrando-se disponível para a pesquisa no laboratório as espécies Cilindorspermopsis raciborskii, Anabaena sp, Microcystis sp, Aphanocapsa sp, Pseudoanabaena sp e Geitlerinema sp. Enquanto as microalgas marinhas cultivadas serão as pertencentes ao grupo das diatomáceas – que apresentam altas concentrações de lipídeos – gêneros Achnanthes, Amphora, Capartogramma, Catenula, Eunotia, Fragilaria, Gomphonema, Lemnicola, Navicula, Opephora, Plagiogramma e Sellaphora. Além destas, serão cultivados os dinoflagelados pertencentes às classes Dinophyceae, Noctiluciphyceae e Syndiniophyceae. O cultivo das microalgas necessita de uma infra-estrutura laboratorial particular, ocorrendo em uma sala climatizada, que apresente câmaras de fluxo laminar onde é realizada a transferência de alíquotas do cultivo; incubadoras nas quais são armazenadas as culturas, visto que é um ambiente com temperatura controlada e regulação do fotoperíodo, observando-se criteriosamente a distribuição dos frascos de cultivo a fim de que todos absorvam a mesma intensidade de luz.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
2
2
2
2
4
4
6
6
6
6
10
JÉSSICA POSSIGNOLLO1201/08/201231/07/2013

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 0,00
CNPqR$ 0,00
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 0,00

Página gerada em 13/12/2018 11:23:19 (consulta levou 0.087030s)