Nome do Projeto
INSERÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE DOCENTES UNIVERSITÁRIOS INICIANTES: iniciativas, possibilidades e desafios.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
08/03/2012 - 09/03/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Educação
Resumo
Vivemos num contexto de mudanças socais e econômicas que colocam desafios para a universidade no cumprimento de sua missão. A lógica da meritocracia vem sendo substituída pelo valor da inclusão. O ensino de graduação, antes destinado a camadas da população com maior capital econômico e cultural, sofre significativa transformação quando amplia a inclusão das camadas sociais mais desfavorecidas historicamente. No Brasil a ampliação de vagas através de instituições públicas e privadas interiorizou consideravelmente a educação superior e ampliou o acesso de uma faixa da população até então distante dos bancos acadêmicos. Entretanto essa expansão nem sempre foi realizada a partir de iniciativas de rigor, produzindo um processo de massificação sem o necessário investimento pedagógico que essa condição exigia. Essa foi uma das situações que implicou em diferentes tensões, exigindo mudanças nas representações de docência e discência na universidade que extrapolava a perspectiva naturalizada de que a docência universitária se qualifica pela pós-graduação strictu-senso, alicerçada na concepção de universidade voltada para a produção de conhecimento, através da pesquisa. A concepção de que a formação do docente universitário se estrutura sobre atividades de pesquisa tem feito parte da perspectiva construtora do perfil existente nas últimas décadas no ensino universitário. A formação exigida para os professores tem sido restrita ao conhecimento aprofundado da disciplina a ser ensinada e pouco ou nada tem sido exigido dos docentes em termos pedagógicos. Se, por um lado, esses se tornaram mais competentes no domínio da pesquisa e do aprofundamento temático de sua área, bem como no desenvolvimento de significativas habilidades intelectuais, não raras vezes essa condição os afasta da necessária visão generalista e da capacidade articuladora de seu campo de conhecimento. Pode-se questionar se o bom ensino decorre da pesquisa, mas é pouco sustentável afirmar que o adjetivo “superior” com o que se qualifica a educação de terceiro grau, não esteja intrinsecamente ligada à condição intelectual de produção do conhecimento, portanto às atividades investigativas. A seleção dos docentes passou a pautar-se pela produção acadêmica e pela titulação do professor, com pouca valorização para as suas habilidades pedagógicas. Essas mudanças têm afetado o contexto e as representações que se fazem da qualidade da educação superior, colocando desafios para quem a ela se dedica, seja no âmbito da gestão, da pesquisa ou da prática pedagógica. Compreender quais as estratégias que as IES se utilizam para proporcionar o desenvolvimento profissional e a inserção, em especial dos professores iniciantes, em programas de apoio pedagógico visando melhorias no ensino de graduação, pode ajudar a entender que os processos educativos estão sujeitos a mediações humanas e que são elas que podem trazer ao plano do real os discursos que balizam conceitos consagrados. Esta condição está exigindo uma análise das estratégias institucionais que são oferecidas aos docentes para o seu desenvolvimento profissional docente para dar conta da relação entre ensino e pesquisa, qualificando o ensino de graduação. Pretende-se dar especial atenção aos docentes iniciantes, pois os resultados oriundos da pesquisa em fase de finalização, que focou os docentes iniciantes, mostraram que se trata de “jovens” recém-doutores que assumem a docência e precisam processar a passagem entre uma formação que privilegia a pesquisa e uma prática significativamente exigente de docência. Para tanto, expressaram a necessidade de iniciativas institucionais que os ajudassem neste processo. Além disso, o período de inserção na docência é uma fase de intensas aprendizagens na qual os professores precisam se apropriar de saberes que os ajudem a enfrentar os desafios da sala de aula. Assim cabe perguntar: Que lugares abrigam a discussão desses temas no cenário acadêmico? Será, porém, que os processos de mediação que envolvem as condições de ensinar e aprender são compreendidos como fundantes para o desenvolvimento profissional docente, para a inserção do professor e para a melhoria da qualidade pedagógica da universidade? Esse é o foco principal do projeto de pesquisa aqui proposto, pois entendemos que algumas respostas a essa questão poderão dar mais visibilidade ao problema e trazer elementos para uma discussão mais ampla tanto na esfera acadêmica como na política de valorização dos processos educativos. Alguns dos aportes teóricos que sustentam a pesquisa são os estudos de Sousa Santos (1999, 2000), Barnett (2008), Cunha (1998, 2000, 2009, 2010), Marcelo Garcia (1999, 2009), Pimenta (1999), Pimenta e Anastasiou (2002), Zabalza (2004), Mayor Ruiz (2007).

Objetivo Geral

a) Localizar as práticas e as experiências de melhoramento da qualidade pedagógica em universidades do extremo sul do País, identificando quais as iniciativas/estratégias de intervenção e acompanhamento dos processos pedagógicos propostos por estas;
b) Analisar as concepções de desenvolvimento profissional que sustentam essas iniciativas;
c) Destacar as perspectivas e perfis dos professores iniciantes e suas trajetórias de inserção na universidade;
d) Relacionar as experiências localizadas com o desenvolvimento profissional dos docentes iniciantes, incluindo a análise dos lugares e programas de formação;
e) Analisar as formas institucionais de apoio pedagógico, com especial atenção aquelas direcionadas aos docentes iniciantes, suas configurações e resultados alcançados;
f) Discutir os saberes envolvidos nos programas de apoio/formação/desenvolvimento profissional nas dimensões processuais e investigativas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BARBARA GENIFER PIRES DA ROSA1201/08/201231/07/2013
CLÁUDIA HERTER CENTENO NEVES1011/03/201309/03/2014
CÁTIA SIMONE BECKER VIGHI511/03/201309/03/2014
GABRIELA MACHADO RIBEIRO2011/03/201309/03/2014
HELENA BEATRIZ MASCARENHAS DE SOUZA2011/03/201309/03/2014
HELENARA PLASZEWSKI511/03/201309/03/2014
HELENARA PLASZEWSKI511/03/201309/03/2014
LIGIA CARDOSO CARLOS511/03/201309/03/2014
NADIANE FELDKERCHER2011/03/201309/03/2014
NERIDIANA FABIA STIVANIN1011/03/201309/03/2014
RITA DO CARMO BORTOLOTTI LEMOS1201/08/201231/07/2013

Página gerada em 15/12/2018 09:53:29 (consulta levou 0.072109s)