Nome do Projeto
Caracterização morfológica e molecular de espécies de Biomphalaria (Mollusca: Planorbidae) provenientes de diferentes populações registradas para o Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/03/2012 - 02/03/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Resumo
O gênero Biomphalaria apresenta grande importância epidemiológica uma vez que algumas espécies – B. glabrata, B. tenagophila e B. straminae – são hospedeiras intermediárias do Schistosoma mansoni, agente etiológico da esquistossomose. É reconhecida a dificuldade de identificação até o nível mais específico dentro do gênero Biomphalaria, a partir de dados morfológicos apenas, em virtude do tamanho reduzido dos espécimes e por processos inadequados de fixação. Outros fatores que dificultam a identificação são as variações intra e interespecíficas encontradas nos caracteres utilizados. Dada essas dificuldades, a utilização de técnicas moleculares vem sendo considerada uma ferramenta promissora para auxiliar os casos sobre os quais a morfologia comparativa não seja conclusiva. Além disso, podem vir a contribuir não só com a identificação das espécies registradas em território brasileiro, mas para entender o relacionamento filogenético existente entre espécies similares, entre outras espécies do gênero encontradas em demais países da América, e até entre as provenientes de diferentes populações, abrindo um leque para entender a distribuição da esquistossomose em nosso território e mapear potenciais novos hospedeiros deste agente etiológico.

Objetivo Geral

Objetivos gerais
• Caracterizar as espécies e populações de Biomphalaria Preston 1910, registradas nas três principais bacias hidrográficas do Rio Grande do Sul.

Objetivos específicos
• Revisar as espécies dos gêneros Biomphalaria Preston 1910, com base em caracteres morfológicos e moleculares para uma melhor compreensão do status taxonômico dentro de cada táxon, o que permitirá identificar as espécies com maior exatidão.
• Construir árvores (cladogramas e filogramas), através de análises de Neighbor-Joining, Máxima Parcimônia, Máxima Verossimilhança e Inferência Bayesiana, para melhorar o entendimento do processo evolutivo nos grupos em questão e identificar possíveis inconsistências taxonômicas entre as espécies de Biomphalaria.
• Buscar entender se existe uma relação entre o perfil genético e filogenético dentre as espécies de Biomphalaria, incluindo as provenientes de diferentes populações, com a suscetibilidade ao S. mansoni.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
4
4
5

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 0,00

Página gerada em 11/12/2018 05:46:23 (consulta levou 0.083178s)