Nome do Projeto
Estudo clínico retrospectivo da longevidade de implantes dentários conectados a próteses múltiplas posteriores: 5 anos após o carregamento protético
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/03/2012 - 04/03/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Resumo
DIAS KOLLER, Clarissa. Estudo clínico retrospectivo da longevidade de implantes dentários conectados a próteses múltiplas posteriores: 5 anos após o carregamento protético 2012. 26f. Projeto de Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. As complicações mais comuns na implantodontia são consequencia dos aspectos biomecânicos observados, após o implante dentário ser submetido às cargas mastigatórias. A tensão sobre as estruturas da prótese e do tecido ósseo podem estar relacionadas não somente às forças oclusais, mas também à defeitos de fabricação, que induzem a tensões pelo desajuste de próteses implanto-suportadas. A sondagem periiimplantar e a avaliação através de radiografias periapicais, são metodologias estabelecidas para avaliar a taxa de sucesso do implante. O nível da crista óssea marginal é um importante indicador para avaliar a resposta dos tecidos periimplantares às cargas. Para a manutenção da osseointegração uma condição biomecânica adequada no sistema prótese sobre implante, osso e fatores relacionados a oclusão, são muito importantes. Pois uma concentração elevada de tensões poderá causar problemas como: o afrouxamento ou fratura do parafuso de retenção da prótese; e perda óssea periimplantar, podendo finalizar em fratura do implante ou fracasso da osseointegração. Dessa forma o objetivo deste estudo será avaliar a satisfação do paciente com a reabilitação implantossuportada e avaliar clínica e retrospectivamente a influência da oclusão, tipo de retenção (cimentação ou aparafusamento) e desenho da prótese múltipla (esplintada ou não esplintada) na remodelação da margem óssea e tecidos perimplantares, de implantes múltiplos posteriores, através de radiografias periapicais e sondagem, após cinco anos de carregamento protético. Palavras-chave: Taxa de sobrevivência; Implantes dentários; Desempenho clínico; Estudos retrospectivos; Satisfação do paciente; Remodelação óssea; Tecidos perimplantares.

Objetivo Geral

1.2 Objetivos
1.2.1 Objetivos gerais
Avaliação clínica retrospectiva da remodelação da margem óssea e tecido periimplantar de implantes dentários múltiplos posteriores. Estudo transversal, 5 anos após o carregamento protético.
1.2.2 Objetivos específicos

1. Avaliar a influência da oclusão, tipo de retenção (cimentação versus aparafusamento), e desenho da prótese (esplintada versus não esplintada) na remodelação da margem óssea, de implantes múltiplos posteriores, através de radiografias periapicais;

2. Avaliar a influência da oclusão, tipo de retenção (cimentação versus aparafusamento), e desenho da prótese (esplintada versus não esplintada) na saúde dos tecidos periimplantares, através de sondagem periimplantar;

3. Avaliar a influência da oclusão, tipo de retenção (cimentação versus aparafusamento), e desenho da prótese (esplintada versus não esplintada) nas falhas mecânicas dos implantes, observando como desfechos fratura da estrutura do implante;

4. Avaliar a influência da oclusão, tipo de retenção (cimentação versus aparafusamento), e desenho da prótese (esplintada versus não esplintada) nas falhas mecânicas das próteses sobre implante, observando como desfechos fratura da porcelana, perda ou destorque do parafuso, fratura da infraestrutura da restauração e desalojamento da restauração;

5. Avaliar a influência do tipo de conexão, tratamento de superfície, comprimento e largura do implante na osseointegração e remodelação da margem óssea e na saúde dos tecidos periimplantares.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
4

Página gerada em 14/12/2018 12:58:28 (consulta levou 0.076697s)