Nome do Projeto
O sistema de unidades demonstrativas e as partituras de biodiversidade de feijão (Phaseolus vulgaris L.) como ferramenta tecnológica promotora da sustentabilidade à agricultura familiar
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2012 - 02/05/2015
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Resumo
O despertar da cidadania é um dos momentos mais importantes da vida de uma pessoa, seja qual for sua idade. É quando a noção de direitos e deveres transcende meros interesses individuais para traduzir uma nova visão de mundo, que reflete a responsabilidade de cada pessoa na construção de valores coletivos, que assegurem o bem-estar humano e o respeito a todas as formas de vida em suas mais variadas manifestações. O feijão (Phaseolus vulgaris L.) é uma cultura com alta expressão econômica e social no Brasil, pois é um dos principais alimentos do brasileiro, sendo seu cultivo realizado preferencialmente por agricultores de base familiar. Dentre as técnicas disponíveis à extensão rural para disseminar novos conhecimentos e transferir tecnologia a pequenos agricultores, o sistema de Unidade Demonstrativa (UD) e a Partitura de Biodiversidade (PBIO), tem sido utilizadas pela Embrapa Clima Temperado, Pelotas/RS, conjuntamente com a Emater/RS, como ferramenta para busca de produção satisfatória, conciliada com segurança alimentar e uma agricultura que se aproxime ao máximo do sustentável. Cadernos de campo, enviados e coletados pela Embrapa Clima Temperado via Emater, desde o ano agícola1990/1991, disponibilizarão os dados necessários para que saibamos nome do produtor, nome do técnico da Emater encarregado de supervisionar o trabalho, adubação empregada, tratamentos fitossanitários realizados, avaliação da ocorrência de doenças, dentre outras informações importantes nas UDs e PBIOS instaladas nas propriedades de base familiar. A análise agronômica será realizada através do rendimento de grãos, da reação a doenças e da nota geral atribuída a cada um dos genótipos. Ambientalmente, será determinado o impacto causado pela adoção de novos genótipos a partir das UDs e PBIOS, sob a ótica da diminuição do uso de agrotóxicos, em função da resistência destes novos genótipos a pragas e doenças comuns à cultura, além da existência ou não de erosão genética nestas propriedades. Neste contexto, o projeto que irá nortear esta proposta de tese visa promover a identificação da relação temporal do produtor com unidades demonstrativas (UD), e Partitura de Biodiversidade (PBIO), a importância destas UDs e PBIOs como fonte de variação para novas cultivares de feijão em suas respectivas regiões e seus reflexos sobre as condições econômicas, sociais e ambientais das propriedades incluídas nos respectivos projetos.

Objetivo Geral

1. Avaliar o papel das UDs e PBios como fonte de novas cultivares de feijão;

2. Avaliar se os agricultores contemplados com as UDs e Pbios que passaram a fazer uso de cultivares presentes na coleção continuam cultivando as suas cultivares originais ou não, ou seja, se o processo de adoção das novas cultivares tem sido causa ou não da ocorrência de erosão genética na cultura;

3. Identificar o destino que os agricultores teriam dado as suas antigas sementes, questionando sobre a possibilidade de resgatar aquelas que foram abandonadas;

4. Identificar os cuidados tomados pelos agricultores familiares na condução da lavoura (tratamento fitossanitário, uso de pesticidas, herbicidas, inseticidas, fungicidas, adubação) e armazenamento do produto, propagando e incentivando a agricultura que se aproxime ao máximo da sustentabilidade;

5. Identificar com estes dados, ações governamentais (políticas públicas) que levassem à preservação destas sementes a partir do reconhecimento de que sua manutenção é instrumento de soberania e segurança alimentar do povo brasileiro;

6. Avaliar junto com os agricultores estratégias de comercialização do feijão produzido na propriedade, em busca de uma comercialização que proporcione melhores rendimentos na venda do produto.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
1
30
ALEXANDRE TERRACCIANO VILLELA3001/05/201202/05/2015
GABRIELA BERGUENMAIER DE OLANDA3001/05/201227/02/2015
IRAJÁ FERREIRA ANTUNES101/05/201202/05/2015
IRAJÁ FERREIRA ANTUNES101/05/201202/05/2015
ROSEMERI BERGUENMAIER DE OLANDA401/05/201201/05/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 68.000,00

Página gerada em 27/10/2020 04:37:03 (consulta levou 0.179317s)