Nome do Projeto
Vacinação contra influenza em idosos de Pelotas, RS: um estudo de base populacional
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2014 - 28/02/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Resumo
No Brasil, as campanhas anuais vêm contribuindo, ao longo dos anos, para a prevenção da gripe, e para a redução das internações hospitalares, dos gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias e das mortes evitáveis34, 52. Estas campanhas são realizadas no final do outono, pois a avaliação de séries temporais mostra que há uma maior circulação do vírus principalmente nos meses mais frios e úmidos - outono e inverno - em regiões com as estações bem definidas, como o Sul do Brasil. Nessas regiões os surtos e epidemias ocorrem com mais frequência, elevando as taxas de mortalidade53. Dessa forma, a sazonalidade é um aspecto importante a ser considerado. Pelotas apresenta clima subtropical úmido ou temperado com estações bem definidas. Os verões são tépidos e com precipitações regulares, com as temperaturas máximas entre 34°C e 36°C, enquanto os invernos são frios, com frequentes geadas e ocorrência de nevoeiros, com temperaturas mínimas entre 8,5 e 9,5 ºC. A precipitação média anual é de 1.379 mm, com chuvas regularmente distribuídas durante todo o ano. A umidade relativa do ar é bastante elevada com média anual de cerca de 80%54. Essas condições climáticas fazem com que o município seja mais suscetível a proliferação do vírus da gripe, fazendo com que a vacinação seja indispensável na prevenção de epidemias. A partir de um estudo de base populacional será estimada a prevalência de idosos vacinados no serviço público e privado, na campanha ou fora e que residem em Pelotas. Isso não acontece com os dados das coberturas obtidos através do Sistema de Informação Nacional de Imunizações que contabiliza somente as vacinas realizadas em serviço público, na campanha e com possíveis moradores de outros municípios, mas que realizaram a vacinação em Pelotas. Tendo em vista que a adesão à vacinação é extremamente importante para a prevenção da doença e suas complicações e que há uma carência de pesquisas acerca do tema realizadas na região Sul do Brasil, estudos que identifiquem prevalência da adesão e os fatores associados à realização ou não da vacina, podem ser de grande utilidade nas três esferas de gestão da saúde pública, para que possam ser implantados projetos que eduquem e incentivem a vacinação na população idosa.

Objetivo Geral

Objetivo geral


Descrever a prevalência de vacinação contra influenza em 2013 e fatores associados entre idosos de Pelotas, RS.


Objetivos específicos


Investigar fatores associados à vacinação em 2013:


Demográficos: sexo, cor da pele, idade e situação conjugal;
Socioeconômicos: renda e escolaridade;
Comportamentais: atividade física, tabagismo, abuso de bebida alcoólica;
Utilização do serviço de saúde: número de contatos com serviços de saúde em 12 meses;
Morbidade: presença de doenças crônicas.

Para quem foi vacinado em 2013:


Conhecer o tipo de serviço: público ou privado;
Conhecer o período: durante a campanha ou fora;
Descrever a ocorrência de efeitos adversos nos primeiros dois dias após vacinação.

5.2.3 Para quem não foi vacinado:

Descrever os motivos/fatores para não vacinação.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ROSALIA GARCIA NEVES201/04/201428/02/2015
SUELE MANJOURANY SILVA101/04/201428/02/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 75.000,00
Recursos própriosR$ 7.000,00

Página gerada em 19/12/2018 11:50:21 (consulta levou 0.081321s)