Nome do Projeto
BIOCRONOESTRATIGRAFIA E PALEOECOLOGIA COM BASE NO POTENCIAL FOSSILÍFERO DO CRETÁCEO - NEÓGENO DA BACIA DO ACRE, VALE DO JURUÁ, AMAZONIA SUL OCIDENTAL
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
06/11/2014 - 11/11/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Paleontologia Estratigráfica
Resumo
Na Bacia do Acre foi registrada, em subsuperfície, uma seqüência sedimentar representativa de intervalos significativos, os quais são: Carbonífero Tardio/Permiano (Formações Apuí, Cruzeiro do Sul e Rio do Moura), Triássico/Jurássico (Formação Juruá Mirim) e Cretáceo/Neógeno (Grupo Jaquirana e Formação Solimões), delimitados por expressivas descontinuidades (Feijó e Souza, 1994). Esses depósitos são estratégicos do ponto de vista de armazenamento de óleo e gás, tendo em vista o contexto geológico/geotectônico associado a eles. As áreas aflorantes conhecidas são essencialmente de idade terciária e se mostram potenciais para estudos de micro e macrofósseis. Novos trabalhos de campo poderão revelar afloramentos de outras idades, bem como fósseis de natureza diversa, incluindo aqueles de alta resolução para os estudos paleoambientais e bioestratigráficos, além daqueles de importância não só nestes temas como em outros referentes à paleobiologia. Os dados gerados virão configurar, de um modo geral, a ampliação significativa do conhecimento paleontológico e científico à região, expressivamente e historicamente carente de pessoal especializado e recursos financeiros destinados a esse tema. A fim de evitar a exploração clandestina e indiscriminada do patrimônio fóssil para o comércio ilegal ou sua degradação natural pela inundação nos períodos de vazante dos rios ou ainda pela abertura da BR 364, se faz imperiosa campanhas intensivas e anuais de resgate do material fóssil no estado do Acre. A análise preliminar do contexto geológico e dos elementos faunísticos e florísticos parecem apoiar a proposta de que as áreas do setor Sul Ocidental da Amazônia, no Acre, e numa condição única para o território brasileiro, estiveram envolvidas e testemunharam os importantes eventos tectônicos que caracterizaram os Andes, relacionados aos episódios extensionais da Orogenia. Os novos ambientes criados, com o soerguimento da Cordilheira dos Andes em áreas da Amazônia Sul Ocidental, parecem ter favorecido o surgimento de muitas novas formas da flora e fauna, e ainda antes de encerrar o período, que alcançassem o maior pico de diversidade conhecido.

Objetivo Geral

- O estudo taxonômico dos fitofósseis identificados em depósitos continentais do Cretáceo/ Neógeno, da região norte do Acre, bem como dos processos tafonômicos que garantiram sua preservação.

- A caracterização desta flora, avaliação de sua diversidade e seu valor cronológico, será buscada através da comparação com outras tafofloras descritas para o norte do Brasil, Peru, Bolívia, Chile, Venezuela e Argentina, buscando estabelecer entre os fatores paleoclimáticos, paleoecológicos e/ou tectônicos, quais os que influenciaram seu desenvolvimento nesta área.

- A identificação e reconhecimento das associações fossilíferas através do registro nas diferentes seções aflorantes, contribuirá no estabelecimento de padrões adaptativos e biogeográficos durante o Cretáceo Superior / Mioceno e Pleistoceno, e sobre o modo como foram influenciadas pelos eventos tectônicos que marcaram este período.

- A identificação do material de Paleovertebrados através: (i) descrição dos espécimes de relevância científica; (ii) comparação do material com espécimes fósseis da Argentina, Colômbia e Venezuela; (iii) integração e compreensão dos dados gerados com os advindos de outros fósseis do Cenozóico (e.g. da Argentina, Colômbia, Peru e Venezuela) da América do Sul.

- Contribuir para a fixação de doutor na região: dada a extensão e riqueza fossilífera dos depósitos registrados na América do Sul, em especial no estado do Acre, como estratégia para o desenvolvimento de pesquisas científicas e tecnológicas nos campos das Ciências da Natureza e da Terra, em nível regional, orientado na conservação dos Recursos Naturais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA KARINA SCOMAZZON506/11/201411/11/2015
BEATRIZ YANAGI MENDES DE MORAES506/11/201411/11/2015
BRENO OTON SANTOS E CAMPOS1006/11/201411/11/2015
BRUNA CAMILA SCHNEIDER1006/11/201411/11/2015
CAMILE URBAN506/11/201406/11/2014
CECILE CHRISTINE VAN DER KALLEN1006/11/201411/11/2015
JOSE EDUARDO FIGUEIREDO DORNELLES506/11/201411/11/2015
KESSLER LOPES DE SOUSA1006/11/201411/11/2015
MARIANA DA SILVA PINTO1006/11/201411/11/2015
OTÁVIO PEREIRA DE LIMA506/11/201411/11/2015
Robson Crepes Corrêa506/11/201411/11/2015
THAMIRIS BARBOSA DOS SANTOS1006/11/201411/11/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Min. Ciência & TecnologiaR$ 395.877,00

Página gerada em 17/06/2019 06:05:03 (consulta levou 0.073659s)