Nome do Projeto
Uso de reação em cadeia da polimerase quantitativa (qPCR) para quantificação de DNA de Toxocara canis em camundongos experimentalmente infectados
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
15/10/2014 - 15/10/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Resumo
A toxocaríase é uma zoonose causada por ação de Toxocara canis e Toxocara cati. Para que ocorra a infecção, é necessário que haja a ingestão de ovo contendo a larva de terceiro estágio, que é a forma infectante. No hospedeiro acidental (homem) as larvas de T. canis não impetram o intestino delgado, desta forma podem atingir vários órgãos. Os quadros clínicos são muito variáveis, podendo ser assintomáticos ou mais graves. Esta se dá em nível visceral, portanto, pode haver o que se descreve como síndrome da larva migrans visceral (LMV), larva migrans ocular (LMO), toxocaríase neurológica e toxocaríase oculta, com quadros clínicos diversificados. Atualmente as técnicas imunodiagnósticas sorológicas são as mais eficazes para o diagnóstico laboratorial da toxocaríase, porém podem ocorrer diversas reações cruzadas com outros parasitos da superfamília Ascaroidea. Testes imunológicos que garantem maior especificidade quanto ao Toxocara utilizam antígenos de excreção e secreção de larvas (TES) e são realizados por ensaios imunoenzimáticos (ELISA) com a confirmação feita por Western blotting. Porém, há possibilidade de também ocorrer reação cruzada com outros antígenos. Técnicas moleculares têm sido desenvolvidas para identificação de espécies de Toxocara em vários tipos de amostras. Isto foi possível devido à identificação do genoma e sequenciamento realizado anteriormente. Técnicas baseadas em Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) têm sido adequadas para a identificação e diferenciação de Toxocara spp., bem como as larvas de outros parasitos da superfamília Ascaroidea que causam LMV e LMO. A técnica de PCR permite então detectar fragmentos de DNA de Toxocara nos tecidos humanos, sem a necessidade de localizar e isolar as larvas. A PCR convencional não apresenta como resultado valores quantitativos, no entanto, a PCR em tempo real, é descrita como quantitativa, pois consegue realizar a avaliação do número de moléculas produzidas a cada ciclo, desta forma as características relevantes da PCR em tempo real são rapidez, especificidade, sensibilidade e quantificação. Alguns autores realizaram estudos relacionados à extração e detecção de material genético (DNA) em órgãos de animais modelos experimentalmente infectados, demonstrando que tais técnicas são fundamentais para o diagnóstico da toxocaríase humana bem como para estudos de aspecto epidemiológico.

Objetivo Geral

Objetivo geral

• Padronizar a técnica de qPCR para ser utilizada no diagnóstico da toxocaríase murina servindo como modelo para a toxocaríase humana.

Objetivos específicos

• Comparar a técnica de qPCR com a técnica de digestão tecidual quanto à intensidade de infecção em camundongos experimentalmente infectados.
• Comparar a quantificação de DNA de Toxocara canis por qPCR com os níveis de anticorpos específicos produzidos em camundongos experimentalmente infectados.
• Detectar a presença de DNA de Toxocara canis no fígado, pulmões, sangue e encéfalo de camundongos experimentalmente infectados.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE LEITES STROTHMANN1201/04/201631/07/2016
FABIO PEREIRA LEIVAS LEITE115/10/201415/10/2016
FLOR WIENKE TAVARES1201/08/201531/03/2016
MICAELE QUINTANA DE MOURA615/10/201415/10/2016
WESLEY DOUGLAS DA SILVA TERTO3015/10/201415/10/2016

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 36.000,00

Página gerada em 17/12/2018 17:31:18 (consulta levou 0.079487s)