Nome do Projeto
Epidemiologia da hemoglobina glicada (Hb1Ac) em duas coortes de nascimentos - Pelotas/RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/10/2014 - 28/02/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Resumo
Níveis elevados de glicose no sangue estão associados com aumento de risco para doença cardiovascular, mesmo em pessoas não diabéticas. A hemoglobina glicada (HbA1c), produto de uma reação não enzimática entre a hemoglobina e a glicose, é um marcador de hiperglicemia. Ela indica a média de glicemia no período de oito a doze semanas anteriores e está relacionada positivamente à concentração de glicose no sangue. Ela também reflete o estresse oxidativo e a glicação de tecidos, incluindo o vascular, sendo um marcador de risco para o desenvolvimento de complicações micro e macrovasculares no diabetes mellitus (DM). Além disso, estudos clínicos e epidemiologicos apontam que a HbA1c é um fator de risco independente para doenças cardiovasculares em indivíduos não diabéticos. Concentrações dentro dos limites considerados normais (<6,5%) estão positivamente associadas com risco de doença cardiovascular, aterosclerose e morte. Porém, pouco se sabe sobre a distribuição dos níveis séricos de HbA1c em adolescentes e adultos, assim como os fatores precoces e contemporâneos que afetam os níveis de HbA1c. Com este estudo, pretende-se descrever a epidemiologia da HbA1c e fatores independentes, precoces e contemporâneos, associados aos 18 e 30 anos em indivíduos pertencentes às Coorte de Nascimentos de 1982 e 1993 de Pelotas – RS, Brasil. Além disso pretende-se avaliar se os crescimentos intra e extrauterino (na infância e adolescência) têm influência no metabolismo da glicemia e, portanto, repercutindo nos níveis de HbA1c em adolescentes e adultos.

Objetivo Geral

Objetivo geral
Este projeto de pesquisa tem como objetivo principal avaliar as associações entre os
níveis de HbA1c de adolescentes e adultos com:
 Fatores genéticos, demográficos, socioeconômicos, comportamentais, estado
nutricional e de composição corporal contemporâneos;
 Crescimento intra e extrauterino durante a infância e adolescência.
Objetivos específicos
 Realizar revisão sistemática dos estudos que investigaram a relação entre BPN e
ganho de peso acelerado com desfechos relacionados à alteração no metabolismo da
glicose em qualquer etapa da vida.
 Descrever os níveis de HbA1c obtida de adolescentes com 18 anos (Coorte de
Nascimentos de 1993) e de adultos com 30 anos (Coorte de Nascimentos de 1982)
conforme variáveis contemporâneas, incluindo:
 Ancestralidade genômica (possível apenas na Coorte de 1982);
 Fatores demográficos e de posição socioeconômica (sexo, cor da pele, renda,
índice de bens e escolaridade);
 Fatores comportamentais (nível de atividade física, tabagismo, consumo de
álcool);
 Estado nutricional (IMC);
 Composição corporal (índices de massa gorda e massa magra);
 Indicadores de adiposidade abdominal (CC, RCQ).
 Avaliar a associação entre o nível de HbA1c de adolescentes com 18 anos (Coorte de
Nascimentos de 1993) e as seguintes exposições:
 Tamanho ao nascer (peso e comprimento);
 Peso para idade gestacional;
Padrões de crescimento (ganho comprimento/estatura condicional, ganho de peso
relativo condicional e ganho de IMC) durante infância e adolescência.
 Avaliar a associação entre fatores precoces e contemporâneos com a trajetória dos
níveis séricos de HbA1c dos 18 aos 30 anos em uma subamostra de indivíduos do
sexo masculino pertencentes à Coorte de Nascimentos de 1982.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CAROLINA VAZ BENET1201/08/201531/07/2016
PAULA FRANCIELE MOREIRA HORNKE1201/08/201531/07/2016
ROMINA BUFFARINI431/10/201428/02/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 23.626,00
CNPqR$ 44.951,00
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 106.890,50
Ministério da SaudeR$ 66.750,00

Página gerada em 18/07/2019 15:01:32 (consulta levou 0.065825s)