Nome do Projeto
AUTORREGULAÇÃO DA ESCRITA: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DE PROFESSORES DO 5º ANO AO 9º ANO DAS ESCOLAS DO BRASIL E PORTUGAL
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/12/2014 - 31/12/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Educação - Psicologia Educacional
Resumo
Acredita-se na necessidade de promover abordagens e estratégias que ajudem os pesquisadores a compreender com maior profundidade a complexidade da escrita como processo, de forma a potencializar a melhoria da qualidade do ensino da escrita em contexto escolar. Um primeiro passo nesse processo será identificar as práticas que os professores do Brasil e de Portugal desenvolvem para o ensino da escrita, investigando também as concepções que poderão fundamentá-las. Neste sentido a presente proposta busca perceber quais são as concepções implícitas existentes entre profissionais brasileiros e portugueses que investem na pesquisa sobre a construção da escrita e alicerçada pelo construto da autorregulação da aprendizagem. Esta pesquisa se justifica pela integração e parceria dos grupos que investigam o mesmo assunto tanto no Brasil, quanto em Portugal. Os grupos envolvidos são: PEAAR - Programa de Estudos da Aprendizagem Autorregulada, da Universidade de Lisboa e GEPAAR e o Grupo de Estudos e Pesquisa da Aprendizagem Autorregulada, da Universidade Federal de Pelotas, ambos já consolidados. Optou-se em investigar o ensino da autorregulação da escrita: concepções e práticas de professores do 5º ano ao 9º ano das escolas do Brasil e Portugal, por acreditar que os professores podem implementar práticas que possibilitem aos estudantes autorregularem sua aprendizagem, investimento em estratégias que envolvam os alunos, investindo sobre a natureza, origens e desenvolvimento de como os alunos regulam seus próprios processos de aprendizagem, uma vez que poucos são os professores que conseguem efetivamente criar práticas que favoreçam o envolvimento do aluno em sua aprendizagem. A função reguladora do ensino sobre a aprendizagem e a autorregulação da aprendizagem ativada pelo próprio sujeito, tendo presentes a atuação do professor em sala de aula e o envolvimento do aluno com a situação de ensino, permite acreditar que possamos promover estratégias que ajudem o professor a compreender a complexidade da escrita como processo. Ao longo desta proposta serão trabalhados a formação, o método de investigação, as linhas de investigação da aprendizagem autorregulada, a construção dos instrumentos para coleta no Brasil e em Portugal, processos de recolha e tratamento de dados, preparação dos investigadores para a coleta, trabalho sobre a escrita, cuidados éticos da pesquisa, solicitação das autorizações para a utilização os instrumentos e publicação dos resultados.

Objetivo Geral

Pretende-se que este projeto de intercâmbio, autorregulação da escrita: concepções e práticas de professores do 5º ano ao 9º ano das escolas do Brasil e Portugal, promova novas propostas pedagógicas. Para isso, buscamos:
- Identificar as crenças, concepções e práticas sobre o ensino da escrita que os professores de diferentes áreas disciplinares que atuam com alunos do 5º ao 9º ano acreditam ou entendem serem fundamentais para que os alunos autorregulem a aprendizagem da escrita;
- Compreender se os métodos de ensino dos professores do 5º ano ao 9º ano promovem a autorregulação da aprendizagem da escrita;
- Mapear o contexto no qual as intervenções estratégicas e as práticas para o ensino da escrita acontecem.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LARISSA PIRES BILHALBA401/04/201430/12/2014
LUCIANA TOALDO GENTILINI AVILA401/04/201430/12/2014
REJANE FLOR MACHADO401/04/201430/12/2014

Página gerada em 24/09/2019 06:41:05 (consulta levou 0.065198s)