Nome do Projeto
CASA BIOCLIMÁTICA NZEB E QUALIDADE DO LUGAR: Entrelaçando Experiências – Portugal e Rio Grande do Sul/BrasilCasa Bioclimática NZEB: Compartilhando Experiências para o caso Brasileiro
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2015 - 30/06/2016
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Resumo
O projeto pesquisa tem por objetivo a adaptação do projeto da Casa Bioclimática desenvolvida em dissertação de mestrado aos preceitos da Standard européia da Passive House. No âmbito da primeira vertente da pesquisa o projeto desenvolvido na dissertação de Mestrado da Arquiteta Juliana Pouey intitulada Simulação do desempenho de estratégias bioclimáticas em locais de grande variação climática – Projeto de Edificação Residencial para Zona Bioclimática 2 (defendida no ano de 2011), será reavaliada com base nas diretrizes da Standard Passivhaus Européia, como também observando novas simulações termoenergéticas para avaliação de desempenho. Existe a previsão da construção da Casa Bioclimática no Campus Anglo da Universidade Federal de Pelotas. O projeto da Casa Bioclimática é fruto da referida dissertação de mestrado. A pesquisa para a avaliação e readequação do projeto às novas diretrizes europeia será desenvolvida em 4 etapas, caracterizadas (Quadro 1). Quadro 1 – Etapas da Pesquisa de Avaliação e Readequação da Casa Bioclimátixa NZEB Etapa Descrição I – Revisão de Literatura Revisão do Regulamento Português de Eficiência Energética; Revisão da Standard Europeia Passivhaus. Observação das novas demandas tecnológicas da Standard Passivhaus. II- Revisão do Projeto da Casa Bioclimática e adaptação aos novos padrões europeus de desempenho energético; Revisão do projeto desenvolvido pela arquiteta Juliana Pouey a ser construído no campus Anglo da Universidade Federal de Pelotas; III- Simulação termoenergética do novo projeto; Observação do desempenho do novo projeto frente aos regulamentos brasileiros e europeu com base na realização de simulação computacional; IV- Desenvolvimento do Projeto Executivo da Casa Bioclimática Luso-Brasileira Confecção do projeto executivo de arquitetura, e de instalações; Confecção de caderno de encargos e orçamento.

Objetivo Geral

Objetivo Geral:
• Entrelaçar os fundamentos do conceito de Passivhaus e suas possíveis associações com o entendimento de qualidade do lugar a partir de uma abordagem alinhada com a Teoria Ator-Rede (TAR) e com os estudos Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS) , mais especificamente com na concepção e na produção de lugares e edifícios de uso habitacional com consumo de energia quase zero (Nearly-Zero Energy Buildings - NZEB) alinhados com os princípios da sustentabilidade ambiental em nível energético e econômico. Isto implica em salvaguardar o ambiente e diminuir as emissões de gases produzidos pelas construções tradicionais, consideradas as diferentes demandas relacionadas com o contexto sociotécnico do Estado do Rio Grande do Sul e do Município de Pelotas bem como com as oito zonas bioclimáticas do Brasil.
Objetivos Específicos:
• Estudar a aplicabilidade do conceito de Passivhaus no contexto sociotécnico do Rio Grande do Sul bem como nas oito zonas bioclimáticas do Brasil.
• Propor alternativas formais e construtivas para adaptar os requisitos e conceitos Passivhaus ao contexto sociotécnico do Rio Grande do Sul e das demais zonas bioclimáticas brasileiras.
• Comparar a eficiência energética das edificações passivas de baixo custo construtivo: (a) sua adequação ao conceito Passivhaus no Rio Grande do Sul e nas oito zonas bioclimáticas brasileiras; (b) seu custo construtivo em relação ao das edificações com tecnologia construtiva corrente; (c) sua responsividade aos valores e demandas dos futuros usuários; e (d) na simulação dinâmica no Rio Grande do Sul e nas oito zonas bioclimáticas brasileiras.
• Simular diferentes modelos de casa bioclimática popular – Passivhaus, baixo custo construtivo, popular 'tradicional', "casa brasileira" autoconstrução, tecnologia corrente, transversal aos diferentes contextos sociotécnicos, no Rio Grande do Sul.
• [Caso sejam obtidos junto aos órgãos de fomento os recursos necessários] Construir um protótipo de casa Passivhaus de baixo custo em Pelotas/RS.
• Propor um conjunto de adaptações necessárias para a utilização de protótipo(s) de habitação unifamiliar de baixo custo construtivo adequado(s) ao conceito de Passivhaus para o Rio Grande do Sul, para as diferentes zonas bioclimáticas do Brasil e responsivo(s) às demandas e valores dos seus futuros habitantes e ao entendimento de qualidade do lugar.




Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANTONIO CESAR SILVEIRA BAPTISTA DA SILVA101/07/201530/06/2016
CAROLINA MACHADO BELTRAME1228/04/201630/06/2016
CELINA MARIA BRITTO CORREA101/07/201530/06/2016
ISABEL TOURINHO SALAMONI101/07/201530/06/2016
JULYE MOURA RAMALHO DE FREITAS2001/07/201530/06/2016
LARISSA CRISTINA DE OLIVEIRA FRUTUÔSO1001/07/201530/06/2016
OBERDAN MENDONÇA DA SILVA1228/04/201630/06/2016
RENATA DALBEM2001/07/201530/06/2016

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 235.000,00

Página gerada em 20/11/2019 02:50:08 (consulta levou 0.198813s)