Nome do Projeto
Parasitóides de dípteros coprófagos e necrófagos do Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/12/2015 - 10/12/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Resumo
Em ambientes de criação de bovinos, o esterco acumulado constitui excelente meio para a criação e desenvolvimento de várias espécies de moscas (FRAZER, 1991). Nas granjas leiteiras, a presença de dípteros, interfere de forma intensa na produção do leite, pois levam os animais ao stress e, com a irritação, tornam-se menos eficientes na conversão do alimento em leite (FREITAS; COSTA, 1982; FRAZER, 1991). O objetivo é inventariar a fauna de parasitoides de dípteros coprófagos e necrófagos no Rio Grande do Sul. O estudo será conduzido no Centro Agropecuário da Palma/Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Município de Capão do Leão, localizado na Planície Costeira do Rio Grande do Sul (31°52'00'' 52°21'24'') com altitude de 30 metros. Para a coleta de parasitoides de dípteros coprófagos, mensalmente, 20 placas de fezes frescas de bovinos serão marcadas imediatamente após sua emissão, com auxílio de estacas de madeira branca (30cm de altura e 5cm de espessura), para determinação precisa do tempo entre a emissão e a coleta, permanecerão no campo por 14 dias. Logo após esse período os bolos fecais, bem como 5cm de solo existente abaixo deles, serão coletadas, individualizados, identificados e levados ao laboratório. Para a coleta de pupas de dípteros necrófagos serão expostos 5Kg de fígado bovino por mês, divididos em cinco alíquotas de 1Kg. Cada alíquota será colocada em gaiola de tela de metal com 60 × 40 × 30 cm, que permitia a entrada de insetos, mas impedia o acesso de necrófagos de grande porte. Sobre esta será colocada uma lona para evitar a ação das chuvas . A isca de fígado será acondicionada em um pote de 20 x 20 x 10cm e ficara sobre uma bandeja, furada no fundo, contendo serragem moderadamente úmida para permitir a pupariação dos dípteros. Todas as amostras coletadas serão levadas ao laboratório onde as pupas serão extraídas por flutuação, no caso dos dípteros coprófagos, ou por catação, no caso dos dípteros necrófagos. O conhecimento de micro himenópteros parasitóides oriundos de imaturos de moscas coprófagas e necrófagas, orientará futuras criações massais em laboratório de espécies promissoras para o controle desses dipteros em granjas leiteiras.

Objetivo Geral

O objetivo deste projeto é inventariar a fauna de parasitoides de dípteros coprófagos e necrófagos no Rio Grande do Sul.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLAUDINA JANTSCH ANDRIOTTI1610/12/201510/12/2016
DIEGO MOSCARELLI PINTO210/12/201510/12/2016

Página gerada em 11/12/2018 03:10:55 (consulta levou 0.059461s)