Nome do Projeto
Qualidade de vida em adultos da zona rural de Pelotas-RS: um estudo de base populacional
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/11/2015 - 28/02/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
A QV está ligada à capacidade de viver sem doenças, ou de superar as dificuldades dos estados ou condições de morbidade (MINAYO, HARTZ, BUSS, 2000). Ela pode, assim, ser considerada um indicador de saúde, já que a literatura mostra sua direta ligação com a presença de doenças crônicas não-transmissíveis, como hipertensão arterial sistêmica, DM, depressão e obesidade, assim como a características comportamentais, como hábitos alimentares, tabagismo, consumo de álcool e atividade física (CASTRO et al., 2007; SILVA et al., 2007; GUIMARÃES et al., 2012; GRILLO et al., 2014; XAVIER et al., 2001; MENA-MARTIN et al., 2003; SANTOS et al., 2013; AL-AKOUR et al., 2010). Como mencionado anteriormente, a expectativa de vida no Brasil, tanto no sexo feminino quanto masculino, é estimada em, aproximadamente, 75 anos, e o envelhecimento da população deu-se de forma rápida (IBGE, 2013a). Isto trouxe consigo o aumento das prevalências de doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) e provavelmente a diminuição de uma QV em nível populacional. Portanto, as DCNTs deveriam ser assistidas através de promoção e prevenção de saúde em momentos anteriores à essa faixa etária, nas quais o planejamento e/ou intervenção em saúde ainda são adequados e eficientes, a fim de melhorar a qualidade de vida dos indivíduos. Além disso, a promoção de uma boa qualidade de vida deve ser proporcionada aos indivíduos em todos os momentos da vida, não devendo restringir estes cuidados à vida idosa, mas abrangendo todo o curso de vida do indivíduo levando em conta que há mudanças constantes na vida em um contexto biológico, histórico e cultural influenciando em fatores ligados à história de vida individual. Diante de um cenário em que a população rural, em alguns parâmetros, apresenta maiores problemas de saúde quando comparadas à urbana (ROTH et al., 2002; KASSOUF, 2005; SHEPHERD et al., 2013) e, considerando que a avaliação de QV em estudos de base populacional abrangendo todas as faixas etárias da vida adulta nos últimos 10 anos é escassa no mundo e inexistente no Brasil, o presente estudo se torna relevante já que fornecerá conhecimentos sobre a caracterização da QV e fatores que possam estar associados à saúde de uma população adulta residente em uma zona rural do Sul do País, sobre a qual aspectos de saúde são poucos conhecidos e ainda não possui dados científicos sobre o assunto proposto a ser estudado.

Objetivo Geral

Objetivo geral

Caracterizar a QV e fatores associados em adultos da zona rural de
Pelotas/RS.

Objetivos específicos

Caracterizar a QV global e por domínios, em ambos os sexos, na faixa etária
de 18 anos ou mais na zona rural de Pelotas/RS de acordo com:
 Características demográficas (sexo, idade e situação conjugal);
 Características socioeconômicas (nível socioeconômico e escolaridade).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE CARDOZO BORTOLOTTO401/11/201528/02/2017
CHRISTIAN LORET DE MOLA ZANATTI101/11/201528/02/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 74.000,00

Página gerada em 22/09/2020 13:44:36 (consulta levou 0.093184s)