Nome do Projeto
INVESTIGAÇÕES ETIOLÓGICAS E EPIDEMIOLÓGICAS PARA ENFERMIDADES EM AVES SILVESTRES E ORNAMENTAIS NA REGIÃO SUL DO RIO GRANDE DO SUL – RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
21/03/2016 - 20/03/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Resumo
As aves devido as suas características biológicas podem servir de reservatórios e carreadores biológicos ou mecânicos para diversos patógenos que infectam humanos, animais de produção e companhia. O Brasil é o segundo país do mundo quanto à diversidade de aves, possuindo atualmente 1.796 espécies. As aves da fauna brasileira estão distribuídas na natureza (vida silvestre), no cativeiro em parques zoológicos, criadouros conservacionistas, científicos ou comerciais, institutos de pesquisa, centros de triagem e reabilitação, ou em residências de munícipes (criados ilegalmente como animais de estimação). No cenário atual a presença de aves silvestres pode significar o aparecimento de novas enfermidades, que devem ser pesquisadas para que, quando ocorram, não acarretem danos à população aviária e humana. No que diz respeito às aves de produção, o Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo, e as aves silvestres e exóticas constituem uma ameaça para o setor, principalmente aquelas oriundas de criações ilegais. A região Sul do Brasil concentra a maior parcela do plantel no país e mais de 90% das exportações, uma eventual ocorrência destas enfermidades poderá gerar graves conseqüências. Pelo que foi exposto, a implantação de uma vigilância etiológica e epidemiológica para enfermidades em aves silvestres e ornamentais na região sul do Rio Grande do Sul é de grande importância, para que se possa avaliar as enfermidades mais freqüentes nesta região podendo, assim, a partir deste conhecimento, determinar formas mais rápidas e eficientes de diagnóstico, garantindo menos perdas aos criadores e menores riscos à população.

Objetivo Geral

Determinar as doenças e seus agentes etiológicos mais freqüentes que acometem as aves em estudo na região sul do Rio Grande do Sul;
Estudar a patologia macroscópica e microscópica das doenças diagnosticadas;
Determinar a época do ano em que ocorre cada enfermidade;
Estabelecer formas de manejo para eliminar ou minimizar o problema e consequentemente diminuir o impacto das enfermidades nas criações.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE TEIXEIRA MEIRELLES LEITE121/03/201620/03/2019
ANA CAROLINA DE ASSIS SCARIOT1201/08/201831/07/2019
ELIZA SIMONE VIEGAS SALLIS121/03/201620/03/2019
FERNANDA PORCIÚNCULA DE SOUZA121/03/201620/03/2019
ISABEL SILVA WETZEL1201/08/201731/07/2018
KAMILLA NEUTZLING BOESCHE1201/08/201631/07/2017
LOURDES CARUCCIO HIRSCHMANN121/03/201620/03/2019
MARGARIDA BUSS RAFFI121/03/201620/03/2019
MATHEUS PIOVESAN1201/08/201331/07/2014
RAULENE RODRIGUES LOBO121/03/201620/03/2019
SILVIA REGINA LEAL LADEIRA121/03/201620/03/2019

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 0,00
Recursos própriosR$ 0,00

Página gerada em 22/01/2020 15:34:01 (consulta levou 0.085360s)