Nome do Projeto
Mensuração da interleucina-10 sérica de gatos com esporotricose
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
04/04/2016 - 04/04/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirúrgia Animal
Resumo
Amplamente distribuída pelo mundo, a esporotricose é considerada a micose subcutânea mais frequente na América Latina, e é encontrada acometendo humanos, cães e, principalmente, gatos. Atualmente a doença é considerada endêmica no estado do Rio Janeiro, com uma dimensão praticamente inestimável, e bastante relatada no estado do Rio Grande do Sul, sendo a maioria dos casos zoonótica e decorrente do contato com felinos que também desenvolveram a doença. São escassos os trabalhos na literatura que discutem se há alguma particularidade imunológica que faz com que a doença seja mais intensa nos felinos domésticos que em outras espécies, sendo que nunca foram avaliadas as citocinas envolvidas nesse processo, evidenciando a necessidade de mais estudos acerca do assunto para elucidar a resposta imunológica do felino ao fungo. Dessa forma, torna-se necessário estudar os aspectos imunológicos do gato para elucidar a agressividade da doença nessa espécie, o que interfere diretamente no seu potencial como transmissor inter espécie e com o desenvolvimento de casos zoonóticos dessa morbidade no Brasil. Neste projeto serão estudados gatos (Felis catus) com lesões de pele compatíveis com esporotricose, a qual deverá ser confirmada por análise micológica ou por diagnóstico terapêutico; e gatos saudáveis (sem doenças clínicas aparentes) como grupo controle. A interleucina-10 sérica de todos os gatos será mensurada, bem como todos serão submetidos ao diagnóstico das retroviroses felinas. Os resultados obtidos serão comparados conforme a presença de esporotricose, a gravidade da doença, a apresentação clínica das lesões e a coinfecção pelos vírus da FIV e/ou da FeLV.

Objetivo Geral

O objetivo geral desse trabalho é avaliar a concentração sérica da interleucina-10 em gatos com esporotricose e gatos hígidos, relacionando esses valores à gravidade das lesões e à infecção por FIV e/ou FeLV. Para isso será necessário:
- diagnosticar esporotricose em gatos com lesões de pele características da doença;
- classificar as lesões de pele dos gatos com esporotricose, determinando a gravidade;
- mensurar os níveis séricos de interleucina-10 de gatos com esporotricose, comparando com gatos hígidos;
- diagnosticar a infecção pelos vírus das FIV e/ou FeLV nos gatos estudados
- relacionar os valores séricos de interleucina-10 com a presença de Sporothrix spp., a classificação das lesões e a infecção por FIV e/ou FeLV

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANELIZE DE OLIVEIRA CAMPELLO FELIX104/04/201604/04/2018
CARLA DA SILVA CANIELLES204/04/201604/04/2018
CAROLINA DA FONSECA SAPIN204/04/201604/04/2018
EDUARDO GARCIA FONTOURA104/04/201604/04/2018
FELIPE ROSA CUNHA104/04/201604/04/2018
FERNANDA DAGMAR MARTINS KRUG104/04/201604/04/2018
GUSTAVO FORLANI SOARES204/04/201604/04/2018
ISABEL MARTINS MADRID104/04/201604/04/2018
ISABEL MARTINS MADRID104/04/201604/04/2018
JESSICA HELLEN BASTOS LAVADOURO104/04/201604/04/2018
LAURA MICHELON404/04/201604/04/2018
LIANNA FERNANDES DE CARVALHO104/04/201604/04/2018
LUIZA DA GAMA OSORIO204/04/201604/04/2018
MARIANE SIEVERS OSIELSKI204/04/201604/04/2018
MARIO CARLOS ARAUJO MEIRELES204/04/201604/04/2018
MARTA ZIELKE104/04/201604/04/2018
PATRICIA ALMEIDA FERREIRA204/04/201604/04/2018
PAULA DIELE PEREIRA FONSECA LAGES204/04/201604/04/2018
RENATA OSORIO DE FARIA204/04/201604/04/2018
SABRINA DE OLIVEIRA CAPELLA 204/04/201604/04/2018
THALANTY MAYARA GALLEGO204/04/201604/04/2018
THALANTY MAYARA GALLEGO1201/09/201631/08/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 36.000,00

Página gerada em 10/12/2019 14:28:10 (consulta levou 0.085961s)