Nome do Projeto
Diversidade de morcegos (Mammalia, Chiroptera) no Pampa do extremo sul do Brasil
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/05/2016 - 31/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Resumo
A ordem Chiroptera é a segunda maior ordem de mamíferos atuais e suas espécies estão distribuídas em praticamente todo o planeta em todos os tipos de habitats. As espécies do grupo são componentes fundamentais na estruturação de comunidades, existindo espécies insetívoras, que controlam populações de insetos, e espécies frugívoras e nectarívoras, que são polinizadoras e dispersoras de sementes. No estado do Rio Grande do Sul, ocorrem 40 espécies de quatro diferentes famílias de morcegos. O estado, principalmente sua porção oeste, é considerado uma lacuna no conhecimento da diversidade de morcegos e o Pampa é o menos amostrado de todos os Biomas brasileiros. Este projeto está estruturado em torno de dois objetivos gerais: avaliar e monitorar a diversidade de morcegos (Mammalia, Chiroptera), do extremo sul do Estado do Rio Grande do Sul; e caracterizar morfologicamente as populações de morcegos insetívoros, famílias Molossidae e Vespertilionidae, com distribuição geográfica no extremo sul do Brasil. O projeto de pesquisa terá duração de 32 meses e será executado de maio de 2016 até dezembro de 2018. O estudo será realizado nos municípios vizinhos de Pelotas e Capão do Leão, situados no sul da Planície Costeira do Estado do Rio Grande do Sul, extremo sul do Brasil, no Bioma Pampa. O projeto engloba uma série de métodos distintos, incluindo a revisão de exemplares em coleções científicas, a busca por abrigos, a avaliação e monitoramento de colônias de morcegos, a coleta com redes de neblina em habitats que concentrem atividade intensa e análises morfológicas. O resultado esperado com a execução do projeto é a construção de um banco de dados sobre a diversidade e biologia desse grupo no Bioma Pampa, já que estas informações não estão disponíveis atualmente. Nesse sentido, o projeto contribuíra para a seleção de espécies para estudos populacionais de longa duração e para o estabelecimento de um programa de captura-marcação-recaptura de quirópteros. O conjunto do conhecimento que será disponibilizado através do projeto terá duas aplicações práticas: 1. elaboração de estratégias de conservação de populações de quirópteros insetívoros e elaboração de listas oficiais de espécies ameaçadas de extinção; e 2. auxiliar na elaboração de planos de manejo de quirópteros insetívoros em cidades e zonas rurais, com a finalidade de impedir ou minimizar o conflito com humanos, seus animais domésticos e o risco de de transmissão de doenças.

Objetivo Geral

O projeto está estruturado em torno de dois objetivos gerais amplos, com vários subitens interligados. Os objetivos gerais e específicos são os seguintes:
1. Avaliar e monitorar a diversidade de morcegos (Mammalia, Chiroptera), das famílias Phyllostomidae, Molossidae e Vespertilionidae do Bioma Pampa do extremo sul do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil;
1.1. Elaborar uma lista de espécies de morcegos para o Bioma Pampa do Estado do Rio Grande do Sul;
1.2. Obter dados sobre a riqueza e abundância de morcegos e suas variações sazonais na área de estudo;
1.3. Localizar e mapear abrigos utilizados por morcegos insetívoros em áreas urbanas, periurbanas e rurais no município de Pelotas e Capão do Leão (RS), realizando uma análise da distribuição de colônias e da estrutura espacial de populações de diferentes espécies;
1.4. Caracterizar os abrigos quanto à estrutura e às características abióticas, como temperatura, umidade e luminosidade;
1.5. Avaliar a fidelidade de diferentes espécies aos abrigos em ambiente urbano e rural;
1.6. Monitorar o número de indivíduos e possíveis flutuações sazonais no tamanho das colônias das diferentes espécies de morcegos insetívoros;
1.7. Avaliar a composição das colônias quanto à razão sexual e estrutura etária de espécies de morcegos insetívoros;
1.8. Obter dados sobre biologia reprodutiva das espécies de morcegos;
1.9. Coletar e analisar a fauna de ectoparasitos de morcegos em ambiente urbano e rural.

2. Caracterizar morfologicamente as populações de morcegos insetívoros, famílias Molossidae e Vespertilionidae, com distribuição geográfica no extremo sul do Brasil;
2.1. Obter dados morfológicos e morfométricos externos e cranianos das populações das espécies mais abundantes de morcegos insetívoros;
2.2. Avaliar os padrões de dimorfismo sexual nas espécies mais abundantes de morcegos insetívoros;
2.3. Estudar variações na fórmula dentária, anomalias e patologias dentárias para análises de cunho evolutivo.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADELINE DIAS FRANCO2501/07/201631/07/2017
ARIANE FREY MACHADO1201/08/201731/07/2018
CESAR JAEGER DREHMER202/05/201631/12/2018
DIEGO DA SILVA SOUZA501/07/201628/02/2018
ISADORA BRAUNER LOBATO2001/07/201631/12/2016
JONAS BELTRÃO DE VARGAS ANTOLINI2001/07/201631/12/2017
JONAS BELTRÃO DE VARGAS ANTOLINI1201/08/201631/07/2017
THAISA PAPARAZZO1201/08/201731/07/2018

Página gerada em 28/11/2020 23:16:59 (consulta levou 0.079694s)