Nome do Projeto
Avaliação do teste Platelia Aspergillus EIA® para diagnóstico da aspergilose em pinguins e interferência da contaminação ambiental
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/08/2016 - 31/12/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Resumo
Embora o teste de detecção de galactomanana sérica pela técnica de ELISA sanduíche seja considerado uma importante ferramenta diagnóstica para Aspergilose Invasiva (AI) e atualmente possa contribuir como fator decisivo para início da terapia antifúngica preemptiva em pacientes de risco para a doença (Nucci, Colombo, 2012), no Brasil, a realização do mesmo está ainda restrita a centros de referência e à humanos, não sendo um teste disponível na rotina de diagnóstico laboratorial de todos os hospitais e principalmente em centros de reabilitação de animais onde se monitoram pacientes de risco para AI. Neste sentido, as amostras clínicas necessitam ser encaminhadas para outros hospitais para realização do exame, o que torna essencial o conhecimento de fatores, associados ao processo de armazenamento e transporte, que possam interferir no teste e culminar com resultados falso-positivos, a fim de evitá-los, provendo maior fidedignidade à interpretação dos resultados. Dentre estes fatores ressalta-se que a contaminação ambiental é citada como causa de falso-positivo no Platelia® Aspergillus EIA por diversos autores, no entanto não há estudos na literatura que permitam inferir o grau de contaminação necessário para interferir no teste, não sendo possível afirmar que esta interferência está relacionada a uma contaminação massiva ou até mesmo ocorra com uma mínima quantidade de propágulos fúngicos contaminantes. Este dado é de extrema relevância considerando que o tempo entre coleta e processamento laboratorial da amostra clínica pode superar 24 horas e que Aspergillus seção fumigati são fungos ubíquos, frequentemente contaminantes, com rápida velocidade de crescimento atingindo uma taxa de germinação de 36,5% em apenas 5,5 horas de incubação (Araújo, Rodrigues, 2004), o que leva a formação rápida de hifas as quais liberam maior quantidade de GM do que os conídios podendo levar a uma maior interferência no teste de detecção de GM em amostras contaminadas.

Objetivo Geral

Avaliar a eficácia do teste Platelia Aspergillus EIA® (BioRad-EUA) como método diagnóstico da aspergilose em pinguins e estudar a oinfluência da contaminação ambiental como fator de interferência determinante de resultados falso-positivos no teste.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA JACOMELLI TELES1201/06/201401/06/2016
ANELISE OLIVEIRA DA SILVA FONSECA601/06/201401/06/2016
ANGELITA DOS REIS GOMES1201/06/201401/06/2016
ANNA LUIZA SILVA601/06/201401/06/2016
ARYSE MOREIRA MARTINS601/06/201401/06/2016
CAROLINE LUNKES DOS SANTOS601/06/201401/06/2016
CRISTIANO SILVA DA ROSA401/06/201401/06/2016
EMANOELE FIGUEIREDO SERRA601/06/201401/06/2016
FABIANA SICA DA COSTA POETSCH601/06/201401/06/2016
FERNANDA GALLAS BENEDETTI601/06/201401/06/2016
GISELE BARCELOS SEBERINO601/06/201401/06/2016
JENNIFFER HAUSCHILDT DIAS601/06/201401/06/2016
JOSIARA FURTADO MENDES REDÜ1201/06/201401/06/2016
MARLETE BRUM CLEFF401/06/201401/06/2016
MÁRCIA KUTSCHER RIPOLL601/06/201401/06/2016
OTAVIA DE ALMEIDA MARTINS1201/06/201401/06/2016
STEFANIE BRESSAN WALLER601/06/201401/06/2016
VITTÓRIA BASSI DAS NEVES1201/01/201731/07/2017
VITTÓRIA BASSI DAS NEVES1201/08/201631/12/2016
VITTÓRIA BASSI DAS NEVES1201/08/201531/07/2016
ÂNGELA LEITZKE CABANA2001/06/201401/06/2016

Página gerada em 22/10/2019 21:49:01 (consulta levou 0.076330s)