Nome do Projeto
Monitoramento e modelagem matemática dos processos hidrossedimentológicos numa bacia hidrográfica do Escudo Sul-Rio-Grandense
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2016 - 01/04/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias - Engenharia Civil
Resumo
Solo e água representam os principais recursos naturais utilizados à sobrevivência humana e, por estarem intimamente relacionados, podem ser avaliados pela interpretação dos processos físicos da água no solo e da erosão. Um dos maiores problemas ambientais a ser enfrentado pela humanidade se relaciona com a degradação dos solos e a poluição dos recursos hídricos. A erosão é uma das principais formas de degradação do solo e, além de causar prejuízos como a compactação da camada arável, redução da fertilidade e, em áreas com potencial agrícola, causa sérios impactos ambientais, econômicos e sociais. Aliando falta de cobertura vegetal no solo com o manejo inadequado, especialmente em áreas declivosas, acentua-se esse processo, onde o impacto da gota da chuva causa desprendimento das partículas, e estas, através do escoamento superficial, são carregadas e depositadas nas áreas mais baixas do terreno e nos cursos d?água. Deste modo, a variação da produção de sedimento, que também está associada ao clima, bem como com a geomorfologia do local, deve ser monitorado continuamente, durante e após eventos de precipitação, estratégia eficiente para compreensão dos fluxos de água e sedimentos em uma bacia hidrográfica. Devido à complexa interação entre esses fatores, torna-se indispensável o uso de técnicas de modelagem, especialmente quando apoiadas em dados coletados em campo, permitindo com isso representar adequadamente as diferentes fases do processo erosivo na escala de bacia hidrográfica. Destacam-se aqueles modelos classificados como distribuídos e de base física, ou seja, capazes de incorporar a variabilidade espacial e temporal dos processos hidrológicos, sendo a modelagem baseada na física dos processos, deste modo, as modificações que ocorrem numa bacia hidrográfica como o uso e manejo do solo pode ser analisado com um melhor embasamento (DALBIANCO, 2013). Dentre esses modelos, o LISEM (Limburg Soil Erosion Model), é adequado para pequenas bacias hidrográficas rurais e, no Brasil observa-se um crescente número de trabalhos que o empregam, dentre eles os destacados por GOMES et al., 2008; MORO, 201; BARROS, 2012; DALBIANCO, 2013 e RODRIGUES, 2013. No monitoramento dos processos sedimentológicos, as principais variáveis medidas são a precipitação, a vazão e o fluxo de sedimentos. A metodologia tradicional de monitoramento é baseada na obtenção de uma série temporal de dados de precipitação, vazão e concentração de sedimentos, que possibilitam o cálculo do flu

Objetivo Geral

O presente estudo tem como foco avaliar, a partir de um levantamento detalhado das características morfológicas do terreno, das propriedades físico-hídricas do solo e do monitoramento da descarga líquida e sólida, durante os eventos de chuva-vazão, as influências do escoamento no processo de erosão e na produção de sedimentos na escala de bacia hidrográfica e a efetiva eficiência de calibração e validação de um modelo matemático distribuído de base física.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDERSON ANDREI NOSCHANG1201/08/201731/07/2018
FELIPE RODRIGUES PRESTES201/04/201601/04/2019
GEORGE MARINO SOARES GONÇALVES1201/08/201631/07/2017
GRACIANE VIVAN POMATTI201/04/201601/04/2019
GUILHERME KRUGER BARTELS201/04/201601/04/2019
HENRIQUE LEIVAS TEIXEIRA201/04/201601/04/2019
LUCIANA SHIGIHARA LIMA201/04/201601/04/2019
MATHEUS CASSALHO201/04/201601/04/2019
RAFAELE GENRO BILHALBA201/04/201601/04/2019
REGINALDO GALSKI BONCZYNSKI201/04/201601/04/2019
ROBERTA MACHADO KARSBURG201/04/201601/04/2019
RUTE DANIELA CHAVES201/04/201601/04/2019
VIVIANE SANTOS SILVA TERRA201/04/201601/04/2019

Página gerada em 20/01/2021 17:27:59 (consulta levou 0.091863s)