Nome do Projeto
A influência do soleamento no ambiente construído
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
21/12/2016 - 30/06/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Resumo
A relevância do “Direito ao sol” pode ser identificada através do uso de critérios de acesso solar que foram empregados para organização e planejamento das cidades desde a antiguidade; as ruas e edifícios eram orientados respeitando as coordenadas geográficas, as alturas e inclinação do sol. A preocupação com o “Direito ao sol” foi assegurada em Roma, através de uma lei denominada Heliocaminus, no século II D.C. A criação de leis que contemplassem os critérios de acesso solar voltou a ser discutida nos Estados Unidos em 1976 com a criação do conceito “Envelope Solar” definido por KNOWLES E BERRY (1980) como o maior volume que uma edificação pode ocupar sem lançar sombras indesejáveis fora dos limites do terreno. Neste contexto este trabalho tem como objetivo avaliar as relações existentes entre a legislação urbanística da cidade de Pelotas – RS e os aspectos relativos ao “Direito ao sol”, levando em consideração os índices urbanísticos propostos no I, II e III Plano Diretor de Pelotas – RS. A metodologia a ser utilizada baseia-se no conceito do Envelope Solar e na simulação computacional de volumes e densidades propostas por cada um dos planos diretores estudados. Espera-se contribuir com propostas de mecanismos para adequação ou modificação da legislação urbanística nos aspectos de controle e acesso ao sol e seus possíveis reflexos na qualidade ambiental da área em estudo.

Objetivo Geral

O objetivo geral deste trabalho de pesquisa é avaliar as relações existentes entre a legislação urbanística no que diz respeito aos aspectos relativos ao “Direito ao sol” com as condições edificadas em sintonia com o I, II e III Plano Diretor Municipal de Pelotas, e, os seus objetivos específicos são:

- Estudar o I, II e o III Plano Diretor Municipal de Pelotas;
- Definir uma área consolidada na cidade de Pelotas para as análises piloto;
- Utilizar ferramentas informáticas de simulação do comportamento dos efeitos de luz e sombra para simular a área de estudo em suas características físicas possíveis a partir das diretrizes legais nos três momentos de legislação urbanística (I, II e II PDP);
- Avaliar as condições de iluminação natural nos modelos simulados;
- Avaliar a evolução da legislação urbanística sob o ponto de vista dos aspectos do “Direito ao sol” e seus possíveis reflexos na qualidade ambiental da área em estudo.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
MARIANA ESTIMA SILVA1020/04/201520/12/2016
SAIONARA DIAS VIANNA2020/04/201520/12/2016
VIVIANE CAROLINA DE OLIVEIRA PACHECO1201/08/201531/07/2016

Página dinâmica gerada em 0.076962s.