Nome do Projeto
Estabelecimento de uma via ntaural para teste desafio e hamsters em pesquisas de leptospirose
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
04/08/2016 - 28/02/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas - Microbiologia
Resumo
A utilização de animais neste projeto se justifica pela ausência de métodos in vitro que avaliem a eficácia de uma vacina contra leptospirose. A vacinação é a medida profilática recomendada contra esta doença, porém, as bacterinas atualmente disponíveis induzem imunidade de curta duração e sorovar-específica, justificando os esforços para o desenvolvimento de uma vacina de amplo espectro contra os mais de 250 sorovares de Leptospira. Desde os trabalhos de vanguarda na investigação do estabelecimento da leptospirose, seja para o desenvolvimento de vacinas ou entendimento da doença, o desafio de hamsters (o modelo animal para leptospirose) é feito por injeção intraperitoneal de leptospiras virulentas, que a partir daí estabelecem a infecção. Esta via clássica, a única estabelecida para este tipo de estudos não reproduz a entrada natural das bactérias no hospedeiro. Desta forma, proteínas leptospiras importantes para a entrada das bactérias no hospedeiro, bem como o início da interação com estruturas extracelulares do hospedeiro podem estar subaproveitadas em testes vacinais. Uma via natural, transcutânea, de desafio poderia tornar protetores subunidades vacinais já testadas e não protetoras, envolvidas na entrada do processo infeccioso, início do estabelecimento da infecção, ou ainda, abrir caminho para uma revolução na avaliação da eficiência de preparações vacinais contra leptospirose.

Objetivo Geral

Objetivo Geral • Desenvolver um modelo de desafio transcutâneo (DTC) para leptospirose letal em hamsters que simule fielmente a infecção natural e validar esse modelo para estudos de vacinologia e dinâmica da patogenia da doença. Objetivos Específicos • Padronizar o DTC e compará-lo com o desafio intraperitoneal; • Estabelecer as concentrações DL50 em hamsters machos e fêmeas para L. interrogans cepa Cop pelas vias intraperitoneal e transcutânea; • Avaliar a evolução da leptospirose após desafio pela via transcutânea; • Estabelecer um protocolo padrão para avaliação de eficácia de vacinas utilizando o desafio pela via transcutânea;

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JÉSSICA DIAS SOUZA1504/08/201403/08/2016
ODIR ANTONIO DELLAGOSTIN104/08/201403/08/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 5.000,00

Página gerada em 25/02/2020 18:47:31 (consulta levou 0.072170s)