Nome do Projeto
Seguimento Ambulatorial do Prematuro de Risco na Cidade de Pelotas-RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/10/2016 - 31/12/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Medicina - Pediatria
Resumo
O atendimento ambulatorial de prematuros é uma realidade frequente nos ambulatórios de pediatria atualmente. Seja devido ao aumento de nascimento de bebês prematuros ou pela crescente demanda tecnológica avançada no cuidado dos prematuro que garante uma maior sobrevida desses pacientes, em contrapartida, uma menor mortalidade tem aumentado a incidência de morbidade nesses pacientes. O avanço da tecnologia, aliado aos cuidados mais humanizados, resultou na aumento da sobrevida de recém- nascidos pré- termos extremos, há porém, uma preocupação em torno da qualidade de vida desses prematuros em longo prazo, pois muitas morbidades surgiram. Atualmente a Sociedade Brasileira de Pediatria fornece um Manual de Seguimento do Prematuro de Risco, mas muitas vezes, a realidade local não fornece condições para realização adequada do seguimento dessa população. Esse manual engloba um acompanhamento com equipe multidisciplinar, e avaliações periódicas quanto ao desenvolvimento neuropsicomotor, avaliação oftalmológica, avaliação com otorrinolaringologista, realização de ultra- sonografias transfontanelares, avaliação nutricional, laboratorial, e quando necessárias avaliações cardiológicas. Nosso estudo visa verificar se o acompanhamento dos prematuros está sendo feito de forma adequada e pontuar as dificuldades locais para realização desse protocolo.

Objetivo Geral

OBJETIVOS:
OBJETIVO GERAL:
Acompanhar o crescimento e desenvolvimento dos prematuros com segmento ambulatorial no primeiro ano de vida na FAMED- UFPel.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
Identificar as características dos prematuros que fazem acompanhamento no ambulatorial da FAMED- UFPel.
Constatar se a triagem neonatal está sendo realizada nesses pacientes;
Verificar se os prematuros estão conseguindo fazer o protocolo de acompanhamento sugerido pela SBP.
Determinar a incidência de anemia, osteopenia da prematuridade, retinopatia da prematuridade, déficit auditivo, hemorragia intracraniana, cardiopatia congênita nesses prematuros.
Verificar a função renal dos prematuros. Comparar as curvas de crescimento para prematuros usadas até o momento e as novas curvas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CECILIA FERNANDES LOREA101/10/201631/12/2017
CRISTIANE HALLAL DA SILVA101/10/201631/12/2017
DENISE MARQUES MOTA101/10/201631/12/2017
FELIPE DE VARGAS ZANDAVALLI101/10/201631/12/2017
FERNANDA COUTINHO KUBASKI101/10/201631/12/2017
JULIA PERES DANIELSKI101/10/201631/12/2017
KÉLEN KLEIN HEFFEL101/10/201631/12/2017
LAURA SACRAMENTO KUNZLER101/10/201631/12/2017
LUCIANA CORREA ARGONDIZZO101/10/201631/12/2017
PATRÍCIA DE OLIVEIRA PIMENTEL FONSECA101/10/201631/12/2017
RAFAELLA COPETTI GHISLENI101/10/201631/12/2017
RENAN PLOTZKI REIS101/10/201631/12/2017
RENATA SOARES DE ABREU101/10/201631/12/2017

Página gerada em 15/12/2019 03:52:39 (consulta levou 0.078766s)