Nome do Projeto
ARQUITETURA EM CENTROS DE CONSERVAÇÃO: ESTUDO DA QUALIDADE DOS ESPAÇOS ABERTOS DE JARDINS ZOOLÓGICOS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
26/06/2017 - 22/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Resumo
A pesquisa em questão se propõe investigar a qualidade dos espaços abertos de jardins zoológicos no Brasil, baseando em avaliações realizadas por indivíduos. O estudo tem como objetivo geral avaliar o desempenho físico, funcional e emocional desses espaços através de uma abordagem perceptiva e cognitiva ampliando o conhecimento e contribuindo para o desenvolvimento de futuros projetos. A pesquisa utiliza uma abordagem metodológica qualitativa e quantitativa desenvolvida através de métodos e técnicas da área da Psicologia Ambiental, e emprega como estratégia fundamental, o estudo de caso. Como objeto de estudo foi selecionado o Parque Zoológico da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, localizado em Sapucaia do Sul – RS. A metodologia da pesquisa conta com dois tipos de levantamento: (1) o levantamento bibliográfico e documental, e (2) o levantamento de campo, este ultimo dividido em quatro etapas: levantamento físico (fotográfico) e levantamentos amostrais em forma de questionário, entrevistas e poema-dos-desejos. São utilizadas para a avaliação da qualidade dos aspectos físicos e funcionais dos espaços abertos de jardins zoológicos as três categorias definidoras da qualidade de espaços abertos: estética, uso e estrutura. Como resultado, a pesquisa busca a geração de subsídios teóricos, que obtidos através da utilização dos métodos e técnicas da área Psicologia Ambiental, possam fundamentar diretrizes de novos projetos e projetos de requalificação dos espaços abertos de jardins zoológicos, de modo a garantir atratividade e qualidade aos ambientes.

Objetivo Geral

Avaliar o desempenho físico, funcional e emocional dos espaços abertos de jardins zoológicos, através da percepção dos seus usuários, sobre os elementos morfológicos desses ambientes, com base em uma abordagem perceptiva e cognitiva, para assim gerar subsídios teóricos que possam fundamentar diretrizes de novos projetos e projetos de requalificação dos espaços abertos de jardins zoológicos, de modo a garantir atratividade e qualidade aos ambientes.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA PAULA NETO DE FARIA226/06/201722/12/2018
SAMANTHA MEDEIROS BALLESTE826/06/201722/12/2018

Página gerada em 21/11/2019 17:18:04 (consulta levou 0.074559s)