Nome do Projeto
DNA barcode e caracterização molecular de espécies de Biomphalaria (Mollusca: Planorbidae) do Estado do Rio Grande do Sul e identificação de susceptibilidade na transmissão de Schistosoma mansoni
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/04/2017 - 31/07/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas - Biologia Geral
Resumo
O gênero Biomphalaria, (Gastropoda: Mollusca), compreende espécies de moluscos dulcícolas de importância médica e veterinária. Muitas espécies desse gênero são importantes hospedeiros intermediários de helmintos que acometem o homem e outros vertebrados, tais como o parasita causador da esquistossomose e demais trematódeos pertencentes às famílias Clinostomatidae, Derogenidae, Echinostomatidae e Strigeidae. Esse gênero abrange cerca de 37 espécies, sendo amplamente distribuído pela América do Sul, América Central, sul dos Estados Unidos, África e sudoeste da Ásia (Arábia Saudita e Iêmen). Em território brasileiro são encontradas pelo menos onze espécies, sendo uma delas subdividida em duas subespécies, B. tenagophila tenagophila e B. tenagophila guaibensis. Das espécies que ocorrem no RS, B. glabrata, B. straminea e B. tenagophila tenagophila são reconhecidamente hospedeiras intermediárias do Schistosoma mansoni, enquanto que B. peregrina é considerada potencial hospedeira do helminto. A identificação morfológica é baseada em sutis peculiaridades presentes nos órgãos do sistema genital destes moluscos, dificultando a identificação para taxonomistas não especialistas. Além disso, para o correto diagnóstico das espécies de Biomphalaria existem dificuldades reconhecidas entre os profissionais da área da saúde e até mesmo pelos taxonomistas. Desde 2013, nosso grupo de trabalho tem estudado os padrões genéticos de diversidade de genes mitocondriais em Biomphalaria com distribuição no RS. Até o momento, verificamos que o gene mitocondrial citocromo oxidase subunidade I (COI) tem auxiliado na identificação específica de diferentes populações. A hipótese em que este projeto se baseia é que as espécies de Biomphalaria estejam amplamente distribuídas no RS, principalmente B. glabrata e B. tenagophila, e que os espécimes de S. mansoni dos 95 casos de esquistossomose encontrado por nós em nove cidades do RS visualizados por meio das notificações no Sistema de Informação de Agravo de Notificação (SINAN - http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/) estejam sendo mantidos na natureza pelos seus hospedeiros naturais.

Objetivo Geral

Objetivo geral
Com base nos dados obtidos por nós nos estudos no RS, e nos dados da literatura para o Brasil, o presente projeto avaliará e atualizará a as informações acerca do número de espécies válidas de Biomphalaria (Mollusca: Planorbidae) de importância médica e veterinária presentes nas principais bacias hidrográficas do Estado do Rio Grande do Sul, assim como caracterizará as diferentes populações e avaliará o status de comprometimento destes hospedeiros na transmissão/dispersão de helmintoses.

Objetivos específicos
1. Realizar o levantamento das espécies do gênero Biomphalaria no Rio Grande do Sul;
2. Avaliar a diversidade genética dentro e entre as populações de Biomphalaria; e,
3. Verificar se há correlação entre variabilidade genética das diferentes espécies/populações de Biomphalaria do Rio Grande do Sul e suscetibilidade ao S. mansoni.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 24.880,00

Página gerada em 20/01/2021 17:39:56 (consulta levou 0.081684s)