Nome do Projeto
Estrangeiros, hospitalidades e a ética da amizade
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
15/06/2017 - 15/06/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Letras
Resumo
A hospitalidade, segundo Derrida, é vista como uma reciprocidade de responsabilidade entre o eu e o outro, enfocando o crescimento das relações provenientes desse encontro e do contato estabelecido entre aquele que a princípio nos parece diferente, estranho por características físicas, culturais, linguísticas ou até mesmo por ser desconhecido. Circular nesta inscrição do idioma da hospitalidade total, aquela a revelar-se na entrega, é doar-se ao outro em sua estranheza – Fremdartigkeit –, ou seja, livre de qualquer apreensão pré-concebida. Mas, por outro lado, a hospitalidade exige de nós uma doação de nossa singularidade como um gesto de troca, um pacto que existe entre hóspede e hospedeiro. Derrida conclui que a palavra hostis em latim significa não somente hóspede, mas também hostil, inimigo; ele passa a operar, desta forma, com o termo hospitalidade. Em seu seminário com Anne Dufourmantelle, Derrida discute a interferência do Estado em relação à intervenção de controle e apagamento de arquivo virtual, acerca de um determinado material pornográfico existente na internet na Alemanha, mostrando a tênue linha entre o público e o privado, bem como a interferência estatal na esfera do chez-soi: “Essa máquina interdita a hospitalidade, o direito à hospitalidade, que ela própria deveria tornar possível.” O Estado, diz ele, cada vez mais diminuído diante do potente arquivo virtual, procura com todos seus esforços controlar e invadir um espaço, que legalmente não lhe diz respeito. Neste sentido, é foco deste projeto analisar a crítica contemporânea que se ocupa conceitualmente nas artes e literatura, sobretudo, mas não exclusivamente da arte e literatura alemã, com as questões pertinentes ao estrangeiro e à amizade como um gesto politicamente ético e eticamente politico.

Objetivo Geral

Geral: refletir criticamente sobre a relação da arte e literatura, com foco especial para arte e literatura alemãs, acerca das questões envolvendo a temática dos estrangeiros e exilados, através de formas textuais e não-textuais, como literatura, cinema e artes.
Específicos: Reunir a crítica contemporânea que impõe a pergunta: até que ponto estamos preparados para oferecer hospitalidade incondicional? Como as artes e literaturas nos mostram respostas para essa pergunta? Verificar que as questões que envolvem o estrangeiro são, sobretudo, da ordem do político e do ético.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JENNIFER DE AVILA BESKOW815/06/201715/06/2018
THALYTA BRUNA COSTA DO LAGO815/06/201715/06/2018

Página gerada em 20/01/2021 16:49:54 (consulta levou 0.099396s)