Nome do Projeto
Eficiência da ozonização na degradação de produtos fitossanitários oriundos de excedentes de caldas de pulverização
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/10/2017 - 30/11/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Matologia
Resumo
O arroz (Oryza sativa L.) ocupa aproximadamente 10% do solo agricultável do planeta e é consumido diariamente por mais de 3 bilhões de pessoas ao redor do mundo, alimentando mais pessoas que qualquer outra cultura. Entretanto, a redução das áreas disponíveis para sua produção aliada a demanda crescente por alimentos tem levado ao aumento da utilização de agrotóxicos para mantimento e elevação da produtividade. É sabido que o uso de agrotóxicos gera resíduos como excedentes de calda de pulverização, que tem sido um fator preocupante na área ambiental. O objetivo desse estudo será avaliar a eficiência da ozonização na remediação dos resíduos (efluentes) provenientes das aplicações de agrotóxicos. Para este fim, dois experimentos serão realizados, o primeiro consistindo de diferentes períodos de injeção de ozônio (O3) (até completar seis horas) visando degradação dos herbicidas clomazone e imazetapir, presentes em soluções isoladas (i.e., contendo somente um herbicida) nas concentrações de 293 e 302 mg L-1, respectivamente. O segundo experimento será realizado seguindo as condições descritas anteriormente no primeiro experimento, porém com alteração nos períodos de injeção de O3 (até completar 24 horas) e diferentes agrotóxicos utilizados em mistura (2,4-D, bentazona, bispiribac-sódio, cihalofope-butilo, clomazona, difenoconazol, imazethapir, penoxsulame, profoxidime e tiametoxame). A concentração inicial será de 287, 1340, 129, 235, 339, 75, 223, 639, 149 e 60 mg L-1, respectivamente. A quantificação dos níveis dos agrotóxicos nas amostras será realizada em sistema de cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas em série (UHPLC-MS/MS). Os resultados deste estudo possibilitarão determinar se a ozonização constitui técnica eficiente para degradação e desativação dos compostos analisados, que são comumente encontrados em resíduos de caldas de pulverização no Brasil. Caso seja constatada ineficiência deste processo em degradar algum dos compostos acima, etapas futuras analisarão outras técnicas usadas para tal finalidade, como filtragem por filtros de carvão ativado, por exemplo

Objetivo Geral

Avaliar a eficiência da ozonização na remediação dos efluentes provenientes dos resíduos das aplicações de produtos fitossanitários. Também se objetiva analisar de período mais longos de injeção de ozônio (i.e., acima de 6h, indo até 24h) podem elevar a eficiência deste em degradar agrotóxicos, além de objetivar-se determinar se está havendo perdas dos efluentes por volatilização através da coleta de amostras de ar no entorno dos tanques de decantação.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LUIS ANTONIO DE AVILA102/05/201630/09/2017
SILVANA NEVES PEREIRA202/05/201630/09/2017

Página gerada em 08/12/2019 19:22:36 (consulta levou 0.068822s)