Nome do Projeto
Representações de gênero de pessoas idosas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/08/2017 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Educação
Resumo
O envelhecimento, cada vez mais, tenciona e traz à tona aspectos específicos da contemporaneidade. Se, de um lado, nos remete a aspectos biológicos, principalmente no binômio saúde-doença, no qual temos o avanço da ciência e da tecnologia como possibilidade concreta do aumento de vida da população, algo que a sociedade comemora, pois se busca uma vida cada vez mais longa, já que não se deseja a morte. Por outro lado, nos provoca a fazermos reflexões mais profundas sobre a cultura que vivemos na atualidade, que tanto valoriza aspectos que nos distanciam da velhice, como a juventude, os padrões estéticos e comerciais de beleza, o acesso e o domínio de equipamentos de informática e microeletrônica, etc. Dessa forma, não existe uma única compreensão sobre o tema, o que justifica nossa investigação, pois esta busca uma aproximação concreta com as pessoas idosas, especialmente com mulheres que, de alguma forma, construíram experiências de vida significativas e que, para isso, escaparam das representações sociais do feminino em sua época de juventude que, sabemos, em muito aprisionava as mulheres ao espaço doméstico, impedindo-as ao exercício de uma gama enorme de atividades. Essa pesquisa busca problematizar as concepções de masculino e feminino da população idosa da cidade de Pelotas / RS. Para dar conta da proposta, o estudo almeja aproximar e dialogar com campos distintos, como a Educação, a Sociologia e os Estudos de Gênero. Aposta-se na construção de um campo de pesquisa que permita, a partir do trabalho de coleta, sistematização e análise dos depoimentos, identificar as compreensões sobre gênero que os/as participantes trazem em seu âmago, no que se referem à vários aspectos, como família, papéis sociais e de gênero, relações sociais, trabalho, formação, etc.Com esta proposta, a pesquisa se coloca na tentativa de trazer uma contribuição a esse debate, buscando resgatar as construções de gênero da população idosa, a partir da aproximação da produção acadêmica advinda da teoria feminista e dos estudos sobre auto(biografias) como representações da concretude das experiências de vida dos/as envolvidas.

Objetivo Geral

Essa investigação se propõem a contribuir com a produção teórica do feminismo e da educação, incorporando vivências de mulheres idosas. Para os estudos de gênero fazemos uso da teoria feminista e de estudos sobre o envelhecimento, e metodologicamente usamos a perspectiva teórico metodológica das histórias de vida. O objetivo central é investigar o processo de construção das representações de gênero de mulheres idosas da cidade de Pelotas / RS, Brasil, tendo como aspectos fundamentais, conforme Josso (2004):
- Apresentar o conhecimento da formação de si por meio de recordações relativas a atividades, contextos e situações, encontros, pessoas significativas, acontecimentos pessoais, sociais, culturais ou políticos;
- Revisitar o conhecimento deste ‘si’ por meio do que diz dele a narrativa considerada no seu movimento geral e nas suas dinâmicas, nas suas periodizações, nos seus momentos-charneira, a fim de extrair, a partir daí, as características identitárias e as projeções de si, as valorizações que orientaram as opções,os elementos de auto-retrato que dão os contornos de uma personalidade; - Reinterrogar o conhecimento de si mesmo no jogo das semelhanças/diferenças provocadas pela comparação com as outras narrativas (p. 68-69).
Dessa forma, temos as seguintes metas dessa investigação:
- Resgatar as trajetórias de vida das mulheres idosas participantes, buscando uma aproximação com as biografias e identificando as representações de gênero presentes, a partir de algumas categorias básicas, que são: infâncias, família, formação, trabalho;
- Possibilitar identificar os saberes das mulheres pesquisadas, o que significa buscar a compreensão dos seus próprios processos de formação;
- Promover a percepção das mulheres envolvidas de suas próprias trajetórias de formação, visando uma maior compreensão de suas vidas e do quanto suas experiências são constituidoras de suas trajetórias, na perspectiva da pesquisa-formação;
- Implementar e organizar um banco de dados de narrativas de idosos/as;
- Realizar e organizar um banco de imagens com fotografias antigas que contribuam para caracterizar um fato, um período ou algo que demonstre um significado para o/a pesquisado/a;
- Fotografar e arquivar imagens que possam ser significativas no trabalho de resgate das memórias coletadas.
- Participação em eventos acadêmicos e publicações em periódicos da área.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
VANISE REGINA BITENCOURT VALIENTE202/08/201502/08/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 26.000,00

Página gerada em 28/09/2022 16:09:05 (consulta levou 0.152604s)