Nome do Projeto
ACESSO À JUSTIÇA NO SÉCULO XXI: O TRATAMENTO DOS CONFLITOS NA CONTEMPORANEIDADE
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
30/10/2017 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Direito - Direito Processual Civil
Resumo
Há um intenso movimento de judicialização das relações sociais nas últimas décadas. Essa imensidão de litígios tem desenfreado não só a tecnicização da prestação jurisdicional, na tentativa de imprimir uma tramitação célere aos processos judiciais, como também desencadeou a adoção de medidas e reformas direcionadas para retomar a esfera da autocomposição como espaço igualmente legítimo de solução de conflitos. Também integra essa realidade uma desigualdade social patológica que, ora impede o acesso, ora leva ao Judiciário uma cidadania carente de políticas públicas essenciais (saúde, previdência e consumo, por exemplo). Além disso, observa-se um modelo de ensino jurídico pedagogicamente conservador e que, na contramão da sociedade, menospreza a dimensão histórica do processo de compreensão da realidade. Todos esses elementos fomentam uma litigiosidade crescente e sustentam uma jurisdição esquizofrênica, incapaz de garantir a adequação e sobretudo o aspecto democrático do acesso à justiça. A discussão recai, portanto, necessariamente, sobre as ondas renovatórias de acesso à justiça de Mauro Cappelletti, passados 40 anos do Projeto Florença. Ao debruçar-se sobre tais questões, o presente projeto de pesquisa pretende revisitar as propostas de Mauro Cappelletti, adequando a análise das ondas renovatórias à contemporaneidade. Com essa perspectiva, é preciso verificar o acesso à justiça por cidadãos hipossuficientes; é preciso avaliar o cenário do processo coletivo no Brasil e, neste sentido, apurar as políticas públicas de proteção aos direitos difusos, coletivos e individuais homogêneos; por fim, na perspectiva da terceira onda, é preciso apurar as medidas de efetivação dos procedimentos e rituais alternativos à jurisdição, elementos estes integrantes de uma avaliação mais ampla que Cappelletti vai chamar de “enfoque de acesso à justiça”, especialmente transversalizados pelo consenso como fator de ressignificação cultural da solução dos conflitos sociais. Essa investigação será conduzida a partir da valorização da consciência histórica como elemento indissociável no processo de compreensão da realidade e de pertencimento à tradição, na perspectiva do diálogo com a tradição, ou seja, uma reaproximação do direito com a tradição de concepção gadameriana, a fim de impactar as raízes conceitualistas e abstratas sobre as quais o Direito se funda, não mais compatíveis com a vida contemporânea e que afetam sobremaneira a qualidade do acesso à justiça.

Objetivo Geral

O projeto tem objetivo geral revisitar as ondas renovatórias de acesso à justiça de Mauro Cappelletti e, ao valorizar a perspectiva gadameriana da consciência histórica como elemento integrante da tradição, avaliar as políticas públicas de acesso à justiça na contemporaneidade, a fim de identificar, a partir das perspectivas de Cappelletti, quais as barreiras que precisam ser superadas, bem como definir quais as soluções que devem ser implementadas para garantir o acesso à justiça no ambiente democrático e na altura dos direitos humanos e fundamentais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CARLA DE OLIVEIRA BRINGUENTE230/10/201731/12/2019
BÁRBARA LIMONTA ROSA201/07/201831/12/2019
CAMILA SCHWONKE ZANATTA230/10/201731/12/2019
DANIELA DOS SANTOS NOBRE201/07/201831/12/2019
FABRICIO ZAMPROGNA MATIELO430/10/201731/12/2019
GABRIELA NUNES MIILLER230/10/201731/12/2019
GUSTAVO CASTAGNA MACHADO421/11/201831/12/2019
LAÍS LUCILIA RIBEIRO SANTA ROSA230/10/201731/12/2019
MARCELO AMARAL BEZERRA421/11/201831/12/2019
MARCO AURELIO ROMEU FERNANDES421/11/201831/12/2019
MARCOS CAPRIO FONSECA SOARES430/10/201731/12/2019
MARIANA TORRES NUNES201/07/201831/12/2019
THIAGO PINHEIRO DA SILVA230/10/201731/10/2018
VALÉRIA MENDES PINHEIRO230/10/201731/10/2018

Página gerada em 28/11/2021 14:16:38 (consulta levou 0.041885s)