Nome do Projeto
Idéias raciais ,cultura e literatura na América Latina
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
08/04/2018 - 08/04/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Letras
Resumo
O projeto tem como objetivo estudar o vínculo entre as idéias raciais, a cultura e a literatura na América Latina, partindo da hipótese de que o fator racial é constitutivo da historia, da organização social e da cultura do continente. Nesta fase, se pesquisa o discurso da mestiçagem, como uma nova emergência do racismo, produto do pensamento das elites intelectuais brancas que procuram mascarar o domínio cultural, social y político, numa filosofia identitária y anti-racista. O mexicano José Vasconcelos é o modelo extremo desse projeto.

Objetivo Geral

O projeto parte da hipótese de que as relações raciais são um fator essencial em qualquer análise que pretenda entender a cultura de América Latina. Ao se propor pesquisar as relações entre a cultura e racismo nesta área geo-política, questiona-se a idéia dominante de que o racismo é um problema social produto de preconceitos, ignorâncias, mitos e erros científicos, tal como procurou apresentar o problema a UNESCO (1953) depois a experiência do nazismo na Europa. Mesmo se tem se avançado numa compreensão mas profunda, esta perspectiva, ainda hoje dominante, pretende confinar o racismo aos âmbitos da patologia social e por tanto estar-se-ia frente a um fenômeno sem nenhum apoio racional. Desta forma, encobre-se a participação das equipes intelectuais na formação, desenvolvimento, sustentação e projeção do racismo. Partindo do pressuposto de que as ideologias raciais surgem e se consolidam na Europa como consequência do seu expansionismo, entende-se o racismo como uma elaboração consciente e deliberada de política que justificassem a invasão dos territórios e a subordinação dos povos não ocidentais (Mignolo, 2001). Se apoiando na ideia da supremacia ocidental e da superioridade do cristianismo sobre todas as outras religiões (Aristóteles, Kant, Voltaire, Hegel, etc.), elaboram-se leis , os famosos códigos negros , para poder escravizar os africanos e regulamentar uma hierarquia humana entre dominados e dominadores. Esta corrente sera reforçada no século XIX com a aparição da biologia, a sociologia e a antropologia que contribuem a promover ideias como a de "raça", "povos selvagens" e "progresso" para afirmar o direito ocidental de conduzir o movimento da historia universal, agora com bases científicas. Essas ideologias foram introduzidas desde a época colonial, continuaram na época da independência e se espalharam no período contemporâneo, gerando os projetos de "branqueamento", da "eugenia"e da "mestiçagem" como formas diferentes de apagar os povos indígenas e africanos e reduzi-los a uma pura lembrança do passado sem vínculo nenhum com o presente.
Na segunda fase deste projeto , se analisará o discurso da mestiçagem, como um novo dispositivo de poder racial. O objetivo central é a obra do mexicano José Vasconcelos (1882-1959), onde as diferentes concepções confluem numa grandiosa apoteose do mestiço, ao mesmo tempo em que se declaram superadas as culturas indígenas e negras.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALFEU SPAREMBERGER208/04/201808/04/2020
GERUSA LESTON CORRÊA308/04/201808/04/2020
HELAÍNE FAGUNDES DOS SANTOS308/04/201808/04/2020
JOAO LUIS PEREIRA OURIQUE208/04/201808/04/2020
MILENA CRISTAL MOREIRA DE OLIVEIRA308/04/201808/04/2020

Página gerada em 12/11/2019 11:54:38 (consulta levou 0.082745s)