Nome do Projeto
Identificação fúngica em hemoculturas de pacientes do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/04/2018 - 06/03/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas - Microbiologia - Micologia
Resumo
Fungemia corresponde ao isolamento de fungos na corrente sanguínea e nas últimas décadas a incidência dessas infecções tem aumentado. As fungemias ocorrem em pacientes com deficiência no sistema imune, câncer, Síndrome da Imunodeficência Adquirida (AIDS) ou em uso de imunossupressores, que têm alteração na barreira de defesa do organismo ou alteração na microbiota normal. Sendo assim, no Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel), os pacientes mais suscetíveis são os internados nas UTI’s adulta e neonatal. Os principais microrganismos envolvidos nas fungemias são espécies dos gêneros Candida (albicans e não-albicans), Trichosporon, Rhodotorula, Geotrichum, Hansenula, Malassezia e Saccharomyces. O diagnóstico pode ser desafiador e depende de culturas tradicionais de sangue e outros sítios estéreis. A hemocultura é o exame mais comum utilizado quando há suspeita de sepse. No Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel), utiliza-se o sistema Bactec (rotineiramente utilizando frascos específicos para bactérias) para a coleta e cultivo de sangue dos pacientes com suspeita de sepse. Na prática, frascos para hemocultura bacteriológica, proporcionam isolamento adequado de fungos, desde que respeitado os períodos necessários ao seu desenvolvimento. A hemocultura tem pouca sensibilidade para isolamento de leveduras, sendo frequentes os resultados falsos negativos, principalmente quando há concomitante infecção bacteriana. O meio de cultura ágar Sabouraud é o meio mais apropriado para o crescimento de fungos. Com base no acima exposto, o objetivo deste trabalho é investigar a presença de fungos em amostras de sangue colhidas para hemoculturas (bacterianas) no HE UFPel. Para isso, as amostras colhidas para hemoculturas serão semeadas em meio Sabouraud dextrose acrescido de cloranfenicol para verificar a presença de fungos. É de suma importância que se faça um levantamento sobre a possibilidade de haver fungemias não identificadas em nosso ambiente hospitalar, a fim de diminuir os índices de morbidade e mortalidade, bem como de conhecer os microrganismos responsáveis por essas fungemias, uma vez que esta prática não é realizada como rotina nesse hospital.

Objetivo Geral

Investigar a presença de fungos não detectados em hemoculturas realizadas no HE UFPel.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRESSA VIEIRA FREDIANI1002/04/201806/03/2020
CAROLINA LAMBRECHT GONÇALVES202/04/201806/03/2020
MARISA CASTRO JARA102/04/201806/03/2020
PEDRO RASSIER DOS SANTOS202/04/201806/03/2020

Página gerada em 09/12/2019 22:08:54 (consulta levou 0.113002s)