Nome do Projeto
AVALIAÇÃO DA VULNERABILIDADE FÍSICA E SOCIOECONÔMICA À INUNDAÇÃO DE SISTEMAS COSTEIROS ABRIGADOS: ESTUDO DE CASO DA ORLA DO MUNICÍPIO DE PELOTAS/RS.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
04/06/2018 - 18/10/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Geografia
Resumo
As mudanças climáticas estão entre os assuntos mais discutidos no meio científico e imprensa em geral, devido aos riscos que podem representar à vida humana e aos meios de subsistência nas zonas costeiras de todo o mundo. As alterações climáticas podem ter impactos sobre muitas sociedades humanas e variar de região para região. Esses impactos incluem, entre outros (MICHAELOWA, 2001; DARWIN et al., 2001): a) Elevação do nível do mar, com consequente inundação; b) Derretimento de geleiras; c) Enchentes devido à mudança no padrão de precipitação; d) Secas; e) Mudanças na intensidade de tempestades. No Brasil, como discute Muehe (2010), existe uma variedade de formas costeiras ao longo do litoral, que irão ter uma resposta diferente a elevação do nível do mar. Ainda de acordo com Muehe (2010) a ocupação da zona costeira brasileira não é contínua, e os riscos estão concentrados nas áreas urbanas, sendo as inundações os maiores impactos esperados com a mudança climática. Através das características físicas e da ocupação das áreas adjacentes destas formas costeiras é possível identificar que existem graus diferentes de vulnerabilidade física e socioeconômica ao longo da zona costeira brasileira. Dentre estas formas estão os sistemas lagunares, localizados em áreas abrigadas, que possuem características hidrodinâmicas diferentes das áreas marinhas abertas. As zonas costeiras em todo mundo são reconhecidas por seus atrativos geomorfológicos e também por seu grande potencial socioeconômico. Estas áreas possuem recursos naturais que geram atrativos para o desenvolvimento de atividades portuárias ou formação de balneários lagunares e marinhos voltados ao turismo e veraneio. O aumento da demografia populacional e, consequentemente, a expansão de núcleos urbanos muitas vezes não respeita a dinâmica dos ecossistemas locais, modificando assim seu funcionamento. Por isso, a determinação da vulnerabilidade costeira, a partir da metodologia smartline, que utiliza variáveis estruturais, de processo e descritores socioeconômicos, é um importante exercício para futuros gestores formados em Geografia.

Objetivo Geral

O objetivo geral deste projeto de pesquisa é de avaliar a vulnerabilidade física e socioeconômica para as áreas adjacentes a orla do município de Pelotas/RS.
Os objetivos específicos são: a) Mapear os tipos de cobertura das terras existentes ao longo da orla; b) Avaliar, a partir de dados do Censo Demográfico do IBGE, a vulnerabilidade socioeconômica das áreas adjacentes a orla, determinando o Índice de Vulnerabilidade Socioeconômico (IVSo); c) Avaliar, a partir do comportamento hidrodinâmico da Lagoa dos Patos, a susceptibilidade da orla quanto a processos de inundação, determinando assim a vulnerabilidade física; d) Criar um Índice de Vulnerabilidade Costeira que integre variáveis estruturais, de processo e parâmetros socioeconômicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
GABRIEL VELOSO ROCHA LEMOS2004/06/201818/10/2019
MOISES ORTEMAR REHBEIN104/06/201818/10/2019
Taiane Duarte Moraes2004/06/201818/10/2019

Página gerada em 18/10/2021 11:14:12 (consulta levou 0.043802s)