Nome do Projeto
Avaliação da fermentação anaeróbica (silagem) de colostro equino e bovino
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/05/2018 - 10/05/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Resumo
SUBPROJETO I: A fermentação e acondicionamento anaeróbio do colostro equino surgem, como uma opção de uso para manutenção da concentração de imunoglobulinas, sem necessidade de resfriamento e com resultados promissores já estudados em bovinos. Em 2008, Saalfeld desenvolveu a silagem de colostro em bovinos como forma de aproveitamento do excesso de colostro produzido nas propriedades rurais, resolvendo problemas citados na literatura em relação à conservação, armazenamento e qualidade do colostro. Foi comprovado que a silagem de colostro bovino mantém as características físico-químicas do colostro in natura, bem como mantém a presença de micro-organismos e de outros constituintes colostrais, como proteínas, imunoglobulinas. Entretanto, inexiste a descrição da silagem de colostro para espécie equina. SUBPROJETO II:A produção atual de colostro bovino no Brasil alcança 1,9 bilhão de litros, dos quais metade alimenta os bezerros e a outra metade é desprezada. Segundo Saalfeld (2008) a utilização da silagem de colostro bovino como substituto do leite na alimentação de terneiras proporciona ao produtor de leite uma economia por animal criado de 200 litros de leite em média, que representam para o produtor o lucro da venda de 1.200 litros do produto.Tendo em vista a importância da utilização da silagem de colostro bovino na alimentação animal e a permissão do uso do colostro bovino para alimentação, entende-se que pesquisas com colostro bovino é extremamente relevante para elucidar e difundir os benefícios desse produto como alimento. o colostro bovino fermentado anaerobicamente (silagem do colostro) manteve as características físico-químicas e outros constituintes do colostro in natura, bem como a concentração de imunoglobulinas sendo desta forma, considerado um alimento adequado à alimentação animal. Adicionalmente, a avaliação microbiológica do produto revelou que após 21 dias de fermentação, bactérias de interesse na saúde animal não foram mais detectadas, restando viáveis apenas bactérias ácido láticas (BAL) incluindo os gêneros Lactobacillus spp. e Enterococcus spp. com provável potencial probiótico. Todavia, esses estudos não avaliaram as propriedades probióticas desses micro-organismos e pesquisas são necessárias para comprovar a atividade probiótica. O objetivo é avaliar a atividade probiótica e capacidade de imunomodulação in vitro, in vivo e ex vivo de bactérias ácido láticas (BAL) oriundas de colostro bovino anaerobicamente fermentado.

Objetivo Geral

Subprojeto I:Avaliar in vitro e in vivo a composição do colostro equino in natura e silagem de colostro equino em distintos períodos de fermentação.
Subprojeto II: Avaliar a atividade probiótica in vitro, in vivo e ex vivo das BAL previamente caracterizadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CARLOS EDUARDO WAYNE NOGUEIRA110/05/201810/05/2020
CAROLINA LITCHINA BRASIL3010/05/201810/05/2020
CAROLINE QUINTANA BRAGA1010/05/201810/05/2020
CRISTIANE TELLES BAPTISTA1010/05/201810/05/2020
FABIO PEREIRA LEIVAS LEITE110/05/201810/05/2020
FABIO RAPHAEL PASCOTI BRUHN110/05/201810/05/2020
GIOVANA MANCILLA PIVATO2010/05/201810/05/2020
JÚLIA DE SOUZA SILVEIRA2010/05/201810/05/2020

Página gerada em 16/07/2019 11:30:43 (consulta levou 0.076602s)