Nome do Projeto
Empresarização e modernidade: características, implicações e resistências à generalização da forma empresa
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/07/2018 - 01/08/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Administração
Resumo
A empresa, um acontecimento moderno e insignificante em outros tempos e espaços, tornou-se, ao consolidar-se antes e acima de tudo como um símbolo de eficiência (econômica), a organização de referência (Solé, 2008) e o sistema normativo central das sociedades ocidentais e de todas as sociedades que seguem ou almejam a modernidade (Laval e Dardot, 2016). Esse avanço e predomínio da empresa, o qual denominamos de processo de empresarização (Solé, 2008) ou empresariamento como chamam os autores da área da Educação (Neves, 2001) e da Geografia/Urbanismo (Vainer, 2013), acaba, no limite, por contribuir para redefinir relações sociais, maneiras de viver e subjetividades. Apesar dessa centralidade, até o momento, há um pequeno número de trabalhos que abordam este fenômeno, assim como é quase inexistente a reflexão sobre a empresa, como ideia, forma ou modelo, no interior dos estudos organizacionais e da própria administração. Apesar de todos os aspectos negativos oriundos desse processo, talvez o cerne dessa escassez de trabalhos e desse avanço da empresa sobre tudo e todos seja, justamente, na compreensão da mesma como uma evidência característica e natural de nosso mundo. Por isto, queremos analisar as características, as implicações e as possíveis resistências à elevação da forma empresa como modelo social universalmente generalizável. Estamos cientes da amplitude do objetivo proposto. Na verdade, ele é mais do que um objetivo, ele fornece o norte para a consolidação e unificação da agenda de diversos pesquisadores que vem tratando ou começarão a tratar, em maior ou menor medida, da temática da empresarização (ou de suas variações) nos mais variados objetos e níveis de análise. Assim, é somente através do conjunto de pesquisas realizadas, cada qual com suas especificidades, que conseguiremos atender ao objetivo proposto.

Objetivo Geral

Objetivo Geral:

Analisar as características, as implicações e as possíveis resistências à elevação da forma empresa como modelo social universalmente generalizável.

Objetivos Específicos:

 Refletir criticamente sobre os traços da modernidade que contribuíram para consolidar a ideia de empresa;
 Adequar, sempre que possível, a discussão teórica dos traços da empresarização através do estudo das obras dos principais pensadores sociais brasileiros;
 Continuar com as investigações sobre as implicações relacionadas à incorporação de um comportamento empresarial por organizações/instituições da saúde, da educação e da cultura;
 Analisar os processos de subjetivação decorrentes da empresarização, bem como as manifestações individuais mais visíveis desse processo (empreendedorismo, coaching, financeirização, uberização e pejotização).
 Discutir o papel de outras instituições (mídia, Estado, família e religião) na construção e manutenção do poder e da ideia de empresa;
 Identificar e analisar o processo e as formas alternativas de organizar que podem oferecer alguma resistência ao modelo empresarial.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE HUBNER FRANZ431/07/201801/08/2024
ANA PAULA TIMM KROLOW431/07/201801/08/2024
ANDRESSA ANDRADE DUQUIA431/07/201801/08/2024
CAROLINE CASALI431/07/201801/08/2024
FRANCIELLE MOLON DA SILVA431/07/201801/08/2024
JANIELE CRISTINE PERES BORGES431/07/201801/08/2024
MARCIO BARCELOS431/07/201801/08/2024
MORGANA RIVA431/07/201801/08/2024

Página gerada em 21/09/2021 20:33:37 (consulta levou 0.050509s)