Nome do Projeto
Conservação de goiaba vermelha “Pedro Sato” pelo uso de revestimento à base de quitosana e gelatina pela técnica layer-by-layer
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
12/11/2018 - 12/11/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
A goiaba (Psidium guajava L.) é uma fruta de origem tropical, muito apreciada pelo seu sabor e pelas características nutricionais. Após a colheita, a goiaba apresenta alta taxa respiratória e um rápido amadurecimento, com perda da coloração verde e amolecimento dos tecidos. Com isso, a goiaba vermelha ‘Pedro Sato’ apresenta uma vida de prateleira de até 6 dias a 25 ºC. Essas características dificultam ou impossibilitam o envio desses frutos a centros consumidores mais distantes. Assim, objetiva-se com o estudo avaliar a conservação de goiabas vermelhas “Pedro Sato” a temperatura ambiente, pelo uso de revestimento à base de quitosana e gelatina pela técnica layer-by-layer. As goiabas serão lavadas com água resfriada, sanitizadas e enxaguadas. Os seguintes tratamentos serão avaliados: [1] Controle (água deionizada); [2] Quitosana (1,5% p/v) e glicerol (1,0% p/v); [3] Gelatina (5% p/v) e glicerol (1% p/v); [4] Quitosana (1,5% p/v) e glicerol (1% p/v) + gelatina (5% p/v) e glicerol (1% p/v). Após, os revestimentos serão secos e as goiabas acondicionados em bandejas de poliestireno e armazenadas em câmara fria a temperatura de 20 °C durante o período de 8 dias. Serão realizadas avaliações de perda de massa, pH, acidez total titulável, sólidos solúveis totais, teor de ácido ascórbico, taxa respiratória, teor de clorofila, carotenoides e fenóis totais, além da atividade antioxidante. Como resultado espera-se obter um revestimento comestível que possa estender a vida útil de goiabas vermelhas armazenadas a 20 ºC, através do retardo da maturação, redução da perda de massa, manutenção da cor, pH, acidez, firmeza, teor de ácido ascórbico, compostos bioativos e atividade antioxidante.

Objetivo Geral

Geral
Avaliar a conservação de goiabas vermelhas “Pedro Sato” a temperatura ambiente, pelo uso de revestimento à base de quitosana e gelatina pela técnica layer-by-l
Específicos
- Determinar as características físicas e químicas das frutas revestidas através da perda massa, firmeza, sólidos solúveis, pH, acidez titulável e cor.
- Avaliar a taxa respiratória dos frutos.
- Quantificar o teor de clorofilas, ácido ascórbico, carotenoides, compostos fenólicos e atividade antioxidante.


Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
EMMANUEL MOREIRA PEREIRA412/11/201812/11/2019
GLÓRIA CAROLINE PAZ GONÇALVES112/11/201812/11/2019

Página gerada em 22/04/2024 23:13:20 (consulta levou 0.041820s)