Nome do Projeto
Avaliação da diversidade genética de populações bovinas e ovinas e suas implicações sob o ponto de vista produtivo pastoril
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2019 - 31/12/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Zootecnia
Resumo
A endogamia ou consanguinidade é definida como o acasalamento de indivíduos que são aparentados. Assim, a endogamia resulta em um aumento do número de pares de genes homozigotos e uma diminuição do número de pares de genes heterozigóticos. Este aumento da homozigose é desejável, sendo então a endogamia positiva, no entanto, a maioria dos indivíduos carrega genes recessivos indesejáveis, que permanecem ocultos, podendo ser então negativa. Em geral o desempenho animal para características como fertilidade, prolificidade, resistência a doenças, vigor e capacidade de sobrevivência diminui com a endogamia. Este declínio se denomina depressão endogâmica, que é essencialmente o oposto da heterose, ou do vigor híbrido, que é a vantagem obtida através do cruzamento de linhagens ou raças. Hoje, o uso de ferramentas para reprodução animal, IA, TE e FIV, e o uso maciço de reprodutores populares, acaba por disseminar estes genes de forma homogênea dentro da população. Portanto, o conhecimento dos pedigrees dos animais a serem usados, em especial aqueles que irão deixar grande quantidade de progênie, se faz de grande importância. Sabe-se que o desempenho dos animais têm impacto econômico. Sendo assim, é fácil concluir que um rebanho com alto nível de consanguinidade terá seu desempenho geral reduzido, e consequentemente, os lucros do produtor também serão diminuídos. Este é um aspecto importante que não deveria ser esquecido pelo produtor de rebanhos comerciais ao realizar acasalamentos consanguíneos. Para a execução do projeto, serão utilizados os dados de pedigree dos animais inscritos nos livros de puros de origem – PO – mantidos no acervo da Associação Nacional de Criadores Herd Book Collares (ANC Collares), entidade com sede em Pelotas, e na Associação de Criadores de Ovinos (ARCO), entidade com sede em Bagé. As analises serão efetuadas em programas computacionais específicos através de modelos próprios para cálculo dos coeficientes de consanguinidade, correlações e demais variáveis genéticas.

Objetivo Geral

Através da análise de registros genealógicos mantidos nos livros de animais puros de origem de diferentes raças bovinas e ovinas criadas no Brasil:

-Avaliar as taxas de endogamia dos rebanhos.
-Avaliar a herdabilidade e correlações genéticas e fonotípicas entre medidas de peso (nascimento, desmana e sobreano) usualmente utilizadas como critérios de seleção com escores de conformação, precocidade, musculatura, umbigo e caracterização racial, medidas biométricas (frame, compacidade e perímetro escrotal) e medidas na carcaça obtidas por ultrassom (área de olho de lombo e espessura de gordura subcutânea), com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento e aprimoramento de programas de melhoramento genético.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DÉBORA BERGMANN BÖCK2001/09/202031/08/2021
GUSTAVO OLIVEIRA DA SILVA201/04/201931/12/2021
JEAN PIERRE MARTINS MACHADO1601/04/201931/12/2019
RAFAEL ALDRIGHI TAVARES101/04/201931/12/2022
STEFANI MACARI101/04/201931/12/2022

Página gerada em 29/05/2022 04:58:28 (consulta levou 0.047647s)