Nome do Projeto
Ações de saneamento aplicadas a comunidades carentes e isoladas de Pelotas
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
04/05/2018 - 04/05/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Saúde
Linha de Extensão
Grupos sociais vulneráveis
Resumo
O Saneamento básico é inerente ao início da evolução da sociedade, quando da formação dos grandes grupamentos humanos, onde ficou evidente ser uma necessidade primordial afastar os dejetos humanos e evitar o contato com a água potável, diminuindo assim a difusão de doenças e preservando a saúde pública. Na última década mais uma preocupação ficou em evidência, a necessidade do tratamento desses dejetos, evitando a poluição do meio ambiente, que já se encontra muito degradado pelo homem. O que se via na evolução dos grandes centros, agora é necessidade para pequenas comunidades isoladas, que da mesma forma das antigas civilizações, tem carência de tecnologias para atender a questão do saneamento e mais ainda atender a dois aspectos básicos, o baixo custo e a fácil manutenção da tecnologia implantada. Levando em conta a Agenda 21 da cidade de Pelotas, foi possível perceber que a prioridade, segundo os moradores, é a questão do saneamento. E hoje, o saneamento vai além da implantação de sistemas de abastecimento e tratamento de água, abrangendo tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos, drenagem pluvial e controle de vetores de doenças. Assim, esse projeto de extensão visa a implantação de um sistema de tratamento de esgoto adaptado, de forma individual para cada residência aliado a ações de educação ambiental.

Objetivo Geral

implantação de um sistema de tratamento de esgoto adaptado, de forma individual para cada residência.

Justificativa

No Brasil são produzidos em média de 8,4 bilhões de litros de esgoto por dia, dos quais 5,5 bilhões não recebem nenhum tipo de tratamento, despejados aleatoriamente no meio ambiente, contaminando o solo, rios, praias, mananciais e provocando, além de tudo, danos diretos à população. Nesse sentido, a ausência de saneamento básico nas comunidades isoladas, aliadas à sua carência social, resultam em problemas ambientais de contaminação e degradação da saúde humana. Projetos de baixo custo e ações de educação ambiental direcionados a esse público podem auxiliar a modificação da realidade atual e promover melhores condições de vida.

Metodologia

Atividades de extensão direcionadas a pequenas comunidades, através da implantação de um sistema de tratamento de esgoto adaptado, de forma individual para cada residência. Como esse tipo de projeto precisa se adaptar à realidade local, inclusive levando em conta as condições financeiras das famílias, o tratamento dar-se-á através da implantação de biodigestores feitos com caixas, conexões e válvulas comerciais encontradas em casas de materiais de construção. Além disso, considerando que um dos objetivos primordiais da Agenda 21 é a superação dos problemas socioambientais, serão desenvolvidas atividades que irão ao encontro aos anseios da comunidade, integrando, primordialmente: debates e fóruns com os moradores sobre os pontos mais críticos da cidade, mapeando as áreas contaminadas e monitorando as áreas de descarte de resíduos líquidos e sólidos; cursos e palestras, envolvendo principalmente o grupo jovem de escolas apresentando as alternativas e potencialidades da correta disposição de efluentes visando a saúde dos moradores e a preservação ambiental;

Indicadores, Metas e Resultados

Nesse projeto, será dada prioridade as questões de participação da comunidade nas etapas de implantação, à geração mínima de resíduos e odores, a fácil compreensão e difusão da tecnologia entre a comunidade e, acima de tudo, a aplicação das ferramentas de educação ambiental, para que a comunidade reconheça sua utilidade e importância. Uma vez que a simples implantação desse e outros sistemas não garantem o sucesso e continuidade do tratamento, é fundamental que o projeto de extensão contenha atividades de educação ambiental, tendo como meta ações que informem, transformem e incluam a comunidade em todas as etapas do projeto. Com isso, acredita-se que as ações direcionadas ao saneamento ambiental de comunidades carentes da cidade de Pelotas alcancem o maior número de pessoas e contribua para a minimização dos problemas ambientais e de saúde humana causados pelo não acesso à sistemas de tratamento.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDREA SOUZA CASTRO1
ANDREI REI RODRIGUES SILVEIRA
BRUNO MULLER VIEIRA1
DIULIANA LEANDRO1
ERICO KUNDE CORREA1
LUCIARA BILHALVA CORREA1
MAURIZIO SILVEIRA QUADRO1
RENAN DE FREITAS SANTOS
ROBSON ANDREAZZA1
VITOR ALVES LOURENÇO
WILLIAN CEZAR NADALETI1

Página gerada em 18/07/2019 10:14:29 (consulta levou 0.123527s)