Nome do Projeto
POPULARIZAÇÃO DAS CIÊNCIAS FORENSES: DA UNIVERSIDADE À ESCOLA
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
13/03/2018 - 13/03/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Educação
Linha de Extensão
Divulgação científica e tecnológica
Resumo
Os países estão cada vez mais desenvolvendo tecnologia-científica, e a educação deve acompanhar essa evolução, por isso é necessária a utilização de temas que estejam presentes de certa forma na vida dos discentes, como química contextualizada com assuntos da atualidade e do cotidiano. Com isso, os estudantes desenvolverão competências necessárias para evolução, como pró-atividade, organização, criatividade, pensamento inovador e questionador, estipulação de metas e objetivos para seu futuro. A ciência forense abrange diferentes áreas como antropologia, engenharia, física, química, biologia, dentre outras. Nos últimos anos, o interesse por essa ciência tem crescido devido às séries televisivas que retratam o cotidiano de equipes de pesquisadores forenses, conhecido como “Efeito CSI”. Esse tipo de programa vem despertando o interesse principalmente do público adolescente, visto que é uma área especializada na investigação criminal, que engloba revelações de impressões digitais, identificação de sangue em locais de crimes, identificações de substâncias entorpecentes como cocaína, maconha, LSD, exames de DNA, entre outros. A Química Forense pode propiciar a oportunidade de desenvolver atividades interdisciplinares no processo de ensino-aprendizagem, sendo aplicado em sala de aula conhecimentos para a resolução de crimes, o que possibilita que o estudante torne significativo o que aprende na disciplina, e que se oriente sobre uma possível escolha de curso de graduação. Uma equipe formada por estudantes do curso de Bacharelado em Química Forense e discentes de Pós-Graduação prepõem uma série de atividades junto à sociedade, popularizando as ciências forenses com o objetivo de diminuir a distância da escola e da Universidade.

Objetivo Geral

Objetivo Geral
Este projeto tem como objetivo divulgar as ciências forenses a alunos de escolas públicas na cidade de Pelotas, a fim de propiciar a aproximação da universidade com os ensinos fundamental e médio.

Objetivos Específicos
- Despertar o interesse dos alunos pelo estudo da química, com a utilização de conceitos e técnicas de ciências forenses;
- Apresentar a técnica de revelação de impressões digitais para alunos do ensino fundamental;
- Despertar a curiosidade ligada à ciência com ações em sala de aula, trabalhos coletivos em desenhos e pinturas, e o jogo das cores e as suas influências como reveladores de impressões digitais;
- Diminuir a distância entre Universidade e escola;
- Socializar o conhecimento adquirido na Universidade.

Justificativa

O interesse por esse projeto surgiu com o intuito de aumentar o relacionamento entre universidades e escolas, e despertar maior interesse dos alunos pelas disciplinas de ciências e química, com o uso de recursos didáticos e temáticas atuais.
Com o intuito de oferecer conhecimentos sobre ciências forenses desde os anos iniciais do ensino fundamental, propõe-se realizar projeto interdisciplinar com alunos entre 3º e/ou 4º ano utilizando a revelação de impressões digitais em atividades práticas. Além disso, com a aplicação de conceitos como perenidade, imutabilidade e variabilidade de impressões digitais, pretende-se que os alunos levem este conhecimento ao âmbito social, percebendo que existem diferenças entre os colegas e cada indivíduo é único e diferente.
Com o surgimento de séries televisivas, como a série americana CSI (Crime Scene Investigation) o público em geral, especialmente adolescente, passou a tomar conhecimento sobre a importância da ciência para desvendar crimes. A compreensão de que nem sempre estas séries relatam a realidade de peritos é extremamente importante, uma vez que o cientista forense trabalha com limitações experimentais e instrumentais. A realização de palestras voltadas para alunos de ensino médio tem como finalidade esclarecer e divulgar a realidade das ciências forenses, além de despertar o interesse destes alunos por esta ciência e, especialmente pela química.
Nesse sentido, espera-se que esse projeto possa contribuir aumentando o nível de interesse do estudo da química pelos estudantes, como também aproximar professores da rede pública e professores da universidade com troca de conhecimentos e atualizações de tópicos ligados à química; e por fim, ser uma proposta para os que querem ingressar em uma faculdade.

Metodologia

O projeto será realizado com encontros quinzenais em escola da rede pública da cidade de Pelotas, com duração de aproximadamente duas horas.
Para a execução do projeto com os alunos do ensino fundamental (3º e/ou 4º anos) a atividade será composta pelas seguintes etapas:
- Apresentação de conceitos básicos de papiloscopia;
- Realização de atividade prática onde os alunos revelarão suas próprias impressões digitais e utilizarão estas imagens na criação de imagens e desenhos;
- Demonstração de que existem diferentes tipos de impressões digitais (arco, presilha interna, presilha externa e verticilo) e comparação entre os alunos.

A realização de palestra para alunos de ensino médio (1º e/ou 2º ano) será realizada quinzenalmente, com duração média de 90 minutos. Nesta palestra serão abordados temas gerais das ciências forenses, com enfoque especial na química. Ao final, será aplicado questionário aos alunos a fim de avaliar a percepção quanto ao tema trabalhado.

Indicadores, Metas e Resultados

Com o desenvolvimento deste projeto de extensão, pretende-se gerar os seguintes impactos:
(a) Conscientização de alunos de ensino fundamental e médio sobre as ciências forenses;
(b) Socialização dentre os alunos das escolas, pois essas atividades permitem integração e estímulo da curiosidade coletiva;
(c) Interação entre professores da rede pública e professores da universidade com troca de conhecimentos e atualizações de tópicos ligados à química;
(d) Socialização do conhecimento;
(e) Diminuição da distância entre Universidade e escola.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA SILVEIRA PACHECO
BRUNO NUNES DA ROSA
CAROLINE CARAPINA DA SILVA
CAROLINE NICOLODI
CLAUDIO MARTIN PEREIRA DE PEREIRA2
PAULO ROMEU GONCALVES4
TAÍS POLETTI

Página gerada em 27/05/2022 22:23:58 (consulta levou 0.110105s)